Escola impõe ideologia de gênero: ‘querides alunes’

Instituição fala em "neutralização gramatical"
-Publicidade-
Em colégio do RJ, professores vão ter de ensinar que há "querides alunes" | Foto: Canva
Em colégio do RJ, professores vão ter de ensinar que há "querides alunes" | Foto: Canva | colégio franco-brasileiro - ideologia de gênero - querides alunes

Instituição fala em “neutralização gramatical”

colégio franco-brasileiro - ideologia de gênero - querides alunes
Em colégio do RJ, professores vão ter de ensinar que há “querides alunes” | Foto: Canva
-Publicidade-

O Colégio Franco-Brasileiro não conta mais com alunos ou alunas. Desde terça-feira 10, a instituição de ensino particular sediada no Rio de Janeiro tem “querides alunes”. Em comunicado enviado aos pais dos estudantes, a empresa informa que passa a dar vez à ideologia de gênero em suas dependências e em suas plataformas de ensino.

Leia mais: “Colégio demite professora que acusou Bolsonaro pela morte de Marielle”

No conteúdo, o Colégio Franco-Brasileiro afirma ser necessário adotar o que se define por “neutralização de gênero gramatical”. Ainda de acordo com a direção pedagógica da escola, a medida é uma forma de combate ao “machismo e ao sexismo”. Segundo o comando da escola, o modelo atual, que simplesmente respeita as normas da língua portuguesa, afeta os estudantes que não se identificam com o “sistema binário de gênero”.

Além de dar como exemplo que, internamente, “querides alunes” passa a ser considerado correto, a direção do colégio abriu a possibilidade de professores e alunos usarem expressões como “queridos alunos e queridas alunas”. De acordo com a instituição, a segunda alternativa se torna aceitável, pois evita a representação de todos os gêneros apenas por substantivo masculino.

colégio franco-brasileiro - querides alunes - ideologia de gênero
Foto: Reprodução/O Globo

Piada de mau gosto

A decisão do Colégio Franco-Brasileiro do Rio de Janeiro tem movimentado a internet. Usuários do Twitter classificam a medida como piada de mau gosto. Colunista da Revista Oeste, Guilherme Fiuza está entre os que analisaram a situação por meio da rede social. “Querides hipócrites: agora é preciso substituir também o nome da instituição para Franque Brasileire. Façam o seu trabalhe direite”, ironizou o jornalista, que viu seguidores cobrarem resolução por parte do Ministério da Educação (MEC).

  • Mais sobre ideologia de gênero:

“A epidemia global da confusão sobre gênero”
“A polêmica em torno das crianças que querem mudar de gênero”
“‘Ideologia de gênero’ sai da pauta do STF”

Telegram
* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais à equipe da publicação, a outro usuário ou a qualquer grupo ou indivíduo identificado. Caso isso ocorra, nos reservamos o direito de apagar o comentário para manter um ambiente respeitoso para a discussão.

40 comments

  1. Por incrível que pareça, tem pais moderninhos que não se importam com esses assuntos, então o negócio é o seguinte: Os que se sentirem incomodados, que retirem seus filhos deste estabelecimento e deixem que formem mais uma legião de idiotas úteis (ou inúteis?) no futuro. Colégio franco-brasileiro… tinha que ter francês na parada.

  2. Uma pergunta: Como ficam as regras gramaticais? O aluno desse “colégio” (?) que escrever, usando esse critério, em um concurso terá sua resposta aceita? E a justificativa dessa insanidade é absurda!

  3. Ainda bem q é particular, os pais já podem tirar os seus filhos e colocar em outra escola, se fosse em uma pública a população teria q impedir. Certo ?….certa?….putz maldito corretor q não aprendeu a regra ainda….certe?. Agora…..puuutz….agore sim.

  4. Os pais devem protestar com veemência contra um atentado destes. É uma verdadeira doença intelectual instalada na sociedade. E o que é pior, vindo de uma instituição de ensino.

  5. Certamente esta escole deve ter uns esquerdoides na direção. Querem acabar com a família, com a segurança, com nossa liberdade e agora com a língua portuguesa. País, seus filhos estão sendo doutrinados nesta escola. Se tinham duvida, agora ficou explicito.

  6. O pessoal desse colégio chanado Escola Fraque Brasileire Querides Hipócretes deviam ter sido vítimas da Vice americana, a tal de Kamala SemAlces, que prega o aborto até o 11o mês (9 para os americanes e 11 para os brasileires). Bande de lixes!

  7. Sem dúvida, a escola é um centro de doutrinação comunista (eles negarão) disfarçado sob o embuste multicultural. Os pais dos alunos não fazem ideia do risco q seus filhos correm nesse lugar. Não se espantem quando perderem seus filhos, e isso vai ser muito rápido. Somente pais alienados cometerão o absurdo de manter os filhos nesse lixo. Retirem os filhos imediatamente! Salvem-nos antes q seja tarde. A sociedade não pode se dar ao luxo de perder mais ninguém para os comunistas.

    1. Concordo, Loreana, a educação está tão ruim, embora os esforços do governo, que a solução é o homeschooling. Veja no q as escolas se tornaram nas mãos desses comunistas. Precisamos retirar os filhos do ambiente escolar. As escolas estão totalmente contaminadas pelos dementes adoradores de Paulo Freire e por toda uma geração de pedagogos de merda. Com o homeschooling, os cidadãos de bem escolherão professores em cooperativas de conservadores e ficaremos de olho. As crianças e jovens só têm a ganhar. De minha parte, JAMAIS perdoarei as esquerda pelo q fizeram às nossas crianças.

  8. Esse negócio é uma filhadaputice tão grande…mas tão grande, que só pode ser piada! Aliás, é uma coisa de comediante mesmo…QUERIDES ALUNES AQUI QUEM FALES É O MUSSUM…AGORES TODES PODIS FAZE CAGADIS À VONTADIS. !!!
    TÁ LIBERADIS !!!

    1. Que geração de imbecis a sociedade criou. Sem palavras para esse novo idiotês criado por jovens que moram com os pais até os 50 anos e não amadurecem nunca. PQP.

  9. Concordo com a neutralização, pois valorizar a diversidade é algo fundamental numa sociedade democrática.
    A língua portuguesa não é estática, está sempre em transformação. Temos incorporação de palavras estrangeiras, regionalismo, aglutinação e outros tantos fenômenos que constantemente renovam o português.
    No caso da neutralização de gênero gramatical, há um propósito essencial e urgente em tempos de intolerância: a inclusão das múltiplas identidades. Então, que seja bem-vinde a atitude de respeitar as diferenças.

    1. Estudante, jornalista, analista, a língua portuguesa é repleta de palavras comuns de dois gêneros, inclusive umas bem cabidas nessa discussão toda: I-D-I-O-T-A-S e I-M-B-C-I-S ÚTEIS .

  10. Isso é palhacada, onde se viu isso, um idioma tão difícil e ainda querer complicar mais ainda, respeito as diferenças começa dentro de casa não com essa idiotice, só piora gramatical,!!!!

  11. O que os pais sensatos estão fazendo que ainda não cancelaram a matrícula de seus filhos nesse colégio? Diversidade de gêneros nada mais é do que separação da sociedade em grupos. O MEC e a Secretaria de Educação do Rio precisam agir rapidamente para evitar maiores danos ao ensino dessas crianças.

  12. É uma escola particular, tendo a total liberdade de adotar suas normas cabendo aos pais que estiverem insatisfeitos com as regras retirarem os seus filhos da instituição a qualquer momento. Ao meu ver é algo benéfico, pois essa escola passa a ser apenas uma opção de educação liberal em meio a vasta gama de escolas particulares conservadoras existentes hoje por todo o pais. ISSO SE CHAMA LIBERALISMO. MINHA ESCOLA, MINHAS REGRAS.

    1. Sim! Mas se depois não conseguir emprego, passar em concursos ou ter uma vida social fora da “bolhe”, NÃO VAI TENTAR nazisticamente impor sua linguagem aos outros. Enfim, aceite a auto exclusão econômica social! ISSO SE CHAMA LIBERALISMO! MINHAS ESCOLHAS, MINHAS CONSEQUÊNCIAS!

    2. Escola particular pode adotar suas regras, mas não sua própria gramática. Quem lhes deu autoridade para alterar a língua portuguesa? Passando a outra disciplina, e se resolverem ensinar que 2+2=5? Existem normas, linguísticas, matemáticas e outras, e não cabe a qualquer escola, por mais arrogante que seja, alterá-las a seu bel-prazer.

  13. Os diretores da escola devem fazer parte do seleto grupo que fazia questão de chamar nossa querida ex-líder da nação de PresidAntA, ops, PresidentA. Peço a Deus que as pessoas reais se encham dessa palhaçada.

  14. O ENEN vai mudar as regras de gramática? Se não mudar todos estes alunos da escola vão reprovar, logo não conseguirão entrar em nenhuma faculdade gerando uma multidão de pessoas frustadas e prejudicas por uma decisão estranha.

  15. Com tantos assuntos que podem e devem ser levados aos alunos, a fim de que tenham conhecimento de seus direitos e obrigações civis básicos, de seus direitos e obrigações constitucionais básicos, das normas básicas de direito penal, das normas básicas de direito administrativo, enfim, de todo um acervo legal que permite ao cidadão contribuinte o exercício mais consciente de sua cidadania, bem como o desenvolvimento de seu senso crítico, não permitindo manipulação pelos espertalhões de plantão, eis que surge um bando de mentecaptos em sentido contrário, desviando a atenção dos jovens para inutilidades. É aquilo que se chama “nuvem de fumaça” impedindo a visão correta de fatos e atos escusos.

  16. Quem é da geração que acompanhou Os Trapalhões na época de Didi, Dedé, Mussum e Zacarias sabe falar muito bem essa “novilingue” porque aprendemos com o Mussum a dizer brazilis, forevis, cacildis. Será que Mussum já foi professor dessa escola?

Envie um comentário

-Publicidade-
Conteúdo exclusivo para assinantes.

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Revista OESTE, a primeira plataforma de conteúdo cem por cento
comprometida com a defesa do capitalismo e do livre mercado.

Payment methods
Security site
Gostou da Leitura?

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Payment methods
Security site