Escolas abertas: Grupo processa prefeitura de São Paulo

Movimento conta com mais de 30 mil apoiadores
-Publicidade-
Foto: Canva
Foto: Canva | escolas abertas x prefeitura de são paulo

Movimento conta com mais de 30 mil apoiadores

escolas abertas x prefeitura de são paulo
Foto: Canva
-Publicidade-

Advogada e mãe de criança em idade escolar, Isabel Quintella passou a atuar nas últimas semanas em prol dos estudantes paulistanos. Nesse sentido, ela figura como uma das líderes do Movimento Escolas Abertas. O grupo cobra da prefeitura de São Paulo a reabertura dos colégios públicos.

Leia mais: “Escola impõe ideologia de gênero: ‘querides alunes’”

Para falar sobre o tema, Isabel participou da edição desta segunda-feira, 14, de Os Pingos nos Is, programa da rádio Jovem Pan que conta com a presença de três colunistas da Revista Oeste: Ana Paula Henkel, Augusto Nunes e Guilherme Fiuza. Na entrevista, ela falou sobre as intenções do grupo formado, sobretudo, por pais & mães de crianças e adolescentes matriculados na rede de ensino básica da capital paulista.

Isabel destacou o fato de o movimento ter aberto processo contra a prefeitura de São Paulo. A advogada acusou o órgão liderado pelo prefeito Bruno Covas (PSDB) de não seguir o cronograma definido ainda no início da pandemia de covid-19 no país. Nesse sentido, afirmou não ter lógica as escolas seguirem fechadas.

Educação e saúde

Para ver as escolas abertas novamente o quanto antes, Isabel Quintella reforçou questões a relação do novo coronavírus com o público infantil. “Para crianças, a covid-19 é muito menos transmissível do que a gripe sazonal”, comentou a entrevistada de Os Pingos nos Is, colocando para o público mais um item em favor da reabertura gradual de colégios na maior cidade do Brasil.

Reforçando as mais de 30 mil assinaturas favoráveis ao movimento, a advogada cita, ainda, o tópico saúde alimentar em determinados casos. “Muitas crianças dependem da alimentação escolar”, garantiu. “Educação escolar deveria ser considerada como atividade essencial”, prosseguiu. “E como atividade essencial, ela não pode ficar fechada”, finalizou.

Leia também: “A formação que deforma”, matéria de capa da Edição 37 da Revista Oeste.

* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais à equipe da publicação, a outro usuário ou a qualquer grupo ou indivíduo identificado. Caso isso ocorra, nos reservamos o direito de apagar o comentário para manter um ambiente respeitoso para a discussão.

3 comentários

  1. Vários motivos para a reabertura das escolas: 1- está comprovada a ação quase iníqua do vírus entre está faixa de idade; 2- se ela tivesse de pegar o vírus, em casa, no contato com adultos que saem para trabalhar, já pegaram. ; 3 – escola década mais de um ano e um duro golpe no futuro destas criança e da nacao; 4- elas, as crianças, estão sendo afetadas pela ausência das escolas, afetadas psicologicamente. A ausência do contato com os colegas também atinge a saúde mental e emocional das crianças. Só pesquisar com verdadeiros cientistas que todos são favoráveis à reabertura.

Envie um comentário

-Publicidade-
Conteúdo exclusivo para assinantes.

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Revista OESTE, a primeira plataforma de conteúdo cem por cento
comprometida com a defesa do capitalismo e do livre mercado.

Payment methods
Security site
Gostou da Leitura?

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Payment methods
Security site