Estado de São Paulo volta hoje à fase vermelha; saiba o que muda

A etapa é a mais restritiva do plano de contingência da covid-19 antes da emergencial
-Publicidade-
Estudo revela que o 'lockdown' é ineficaz
Estudo revela que o 'lockdown' é ineficaz | Foto: Roberto Casimiro/Estadão Conteúdo

O governador de São Paulo, João Doria (PSDB), fez o Estado retroagir à fase vermelha nesta segunda-feira, 12. A etapa é a mais restritiva do plano de contingência da covid-19 antes da emergencial. A decisão foi anunciada na semana passada, conforme noticiou a Revista Oeste. A retirada presencial de produtos em bares e restaurantes já é permitida, porém, o consumo nos estabelecimentos continua proibido. Além disso, as atividades religiosa seguem interrompidas, segundo estabeleceu o Supremo Tribunal Federal.

O que abre?

    -Publicidade-
  • Segurança: serviços de segurança privada e pública;
  • Educação: colégios de educação básica, com limite de 35% da capacidade de alunos;
  • Bares, lanchonetes e restaurantes: permitido serviços de delivery e que permitem a compra drive thru. Também é possível fazer retirada;
  • Alimentação: supermercados, hipermercados, açougues e padarias, lojas de suplemento, feiras livres. É vedado o consumo no local;
  • Serviços gerais: lavanderias, serviços de limpeza, hotéis, manutenção e zeladoria, serviços bancários (incluindo lotéricas), serviços de call center, assistência técnica de produtos eletroeletrônicos e bancas de jornais.

O erro do lockdown

Publicado pela revista britânica The Lancet em julho de 2020, um estudo revelou que, em uma comparação entre 50 países, a covid-19 foi mais mortal em lugares com população mais velha e com maior taxa de obesidade, mas não se observou redução de mortalidade em países que fecharam suas fronteiras ou aplicaram o “bloqueio completo”. Na Universidade de Edimburgo, na Escócia, um pesquisador concluiu que as infecções na Grã-Bretanha já estavam diminuindo antes que o lockdown começasse no fim de março.

Uma análise realizada pelo Instituto de Tecnologia de Karlsruhe descobriu que as infecções na Alemanha estavam se reduzindo na maior parte do país antes do início das medidas de confinamento. Também foi provado que o toque de recolher imposto na Baviera e em outros Estados não surtiu efeito. Nos Estados Unidos, menos de 1% da população vive em lares de idosos, mas, em janeiro de 2021, essa pequena fração foi responsável por 36% das mortes por covid-19 no país. Até mesmo quem estava “protegido” entre muros não escapou do contágio.

Leia mais: “O fracasso do lockdown”, reportagem publicada na Edição 45 da Revista Oeste

Telegram
-Publicidade-
* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais.

6 comentários

  1. Será que um dia o Dória vai responder pelas mortes de covid, uma vez que ele proíbe o tratamento precoce, e pela falência das empresas? Eu acredito que deveria haver uma enxurrada de processos, tanto de familiares de pessoas que morreram sem tratamento nos hospitais, quando de empresários que tiveram prejuízos por causa do trancamento do estado de São Paulo.

Envie um comentário

Conteúdo exclusivo para assinantes.

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Revista OESTE, a primeira plataforma de conteúdo cem por cento
comprometida com a defesa do capitalismo e do livre mercado.

Meios de pagamento
Site seguro
Gostou da Leitura?

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Meios de pagamento
Site seguro