Governo de SP garante que reabrirá as escolas em fevereiro

A decisão foi tomada depois da pressão exercida por políticos e pela sociedade civil
-Publicidade-
O governador de São Paulo, João Doria, anunciou a reabertura das escolas da rede estadual pública de ensino
O governador de São Paulo, João Doria, anunciou a reabertura das escolas da rede estadual pública de ensino | Foto: Governo do Estado de São Paulo

O governo de São Paulo garantiu nesta quarta-feira, 27, que as aulas presenciais serão retomadas em 8 de fevereiro. Uma semana antes, no dia 1º, a rede pública de ensino estará com as portas abertas para fornecer merenda escolar aos estudantes. A alimentação terá de ser requisitada pelos alunos e responsáveis por meio de um cadastro na internet ou solicitação presencial nas unidades de ensino.

A gestão do governador João Doria (PSDB) informou que a merenda será voltada prioritariamente a “alunos mais vulneráveis”. O ensino público estadual possui cerca de 3,5 milhões de estudantes e, segundo estimativa feita pela Secretaria de Educação paulista, 770 mil jovens estão nessas condições.

-Publicidade-

Volta às aulas adiada

Na sexta-feira 22, o governo decidiu adiar o início das aulas da rede estadual, antes previsto para 1º de fevereiro, e suspendeu a obrigatoriedade do retorno presencial dos alunos nas fases laranja e vermelha do Plano São Paulo. A decisão foi anunciada por causa do aumento de infecções por coronavírus no Estado.

A pressão exercida por vereadores, deputados e grupos da sociedade civil, como o Escolas Abertas, que se mobilizaram pela retomada das aulas presenciais seguindo os protocolos de segurança, foi fundamental para que o Estado e municípios decidissem, enfim, reabrir as escolas. Como mostrou um levantamento da Unesco publicado neste fim de semana, o Brasil foi o país que manteve as salas de aula fechadas por mais tempo. Foram 40 semanas, contra 22 em grande parte do mundo.

Leia também: “Escolas abertas: grupo processa prefeitura de São Paulo”

* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias.
Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais à equipe da publicação, a outro usuário ou a qualquer grupo ou indivíduo identificado. Caso isso ocorra, nos reservamos o direito de apagar o comentário para manter um ambiente respeitoso para a discussão.

2 comentários

  1. Eu não sei onde ele sofreu essa pressão civil, pq aqui na minha cidade a maioria das mães não quer mandar enquanto essa situação permanecer. Duvido muito que tenha sido pressão civil! Dória é um lixo, só pensa em si mesmo!

Envie um comentário

-Publicidade-
Exclusivo para assinantes.