Investimento em energia solar avança mais de 50% no Brasil

Setor atraiu R$ 13 bilhões de investimentos ao decorrer de 2020
-Publicidade-
O setor de energia solar ocupa a sétima posição na lista de fontes energéticas no Brasil
O setor de energia solar ocupa a sétima posição na lista de fontes energéticas no Brasil | Foto: Canva

O ano de 2020 foi positivo para a área de energia solar do país. Nesta semana, a Associação Brasileira de Energia Solar (Absolar) comemorou os resultados apresentados nos últimos 12 meses, com novos investimentos, crescimento e geração de empregos.

Leia mais: “Distribuidoras de energia estão no radar de desestatizações”

Na parte financeira, a Absolar destaca números bilionários. De acordo com a entidade, o setor de energia solar recebeu aporte na casa de R$ 13 bilhões. Em 2019, o montante de recursos destinados ao segmento foi de aproximadamente R$ 8,5 bilhões. Ou seja: crescimento de 52% em investimentos.

-Publicidade-

Embora o Brasil tenha enfrentado a pandemia da covid-19 no ano passado, a energia solar está na lista de setores que movimentaram positivamente o mercado de trabalho. Segundo a associação representativa da área, o segmento foi responsável por gerar 86 mil postos de trabalho. Dessa forma, a área emprega 224 mil profissionais.

Potencial para crescimento

Apesar dos investimentos e dos números positivos em 2020, o setor de energia solar ocupa a sétima posição na lista de fontes energéticas no Brasil, com capacidade de 7,5 gigawatts. Atualmente, são nove usinas solares espalhadas em nove Estados: Bahia, Ceará, Minas Gerais, Paraíba, Pernambuco, Piauí, Rio Grande do Norte, São Paulo e Tocantins.

Presidente da Absolar, Rodrigo Sauaia vê potencial de crescimento da matriz energética. Ele fala em baixo custo e competitividade. “A energia solar fotovoltaica reduz o custo de energia elétrica da população, aumenta a competitividade das empresas e desafoga o orçamento do poder público”, afirmou em contato com o jornal O Estado de S. Paulo. “[Isso beneficia] pequenos, médios e grandes consumidores do país”, prosseguiu o executivo.

Leia também: “O que esperar na política energética e mineral”, entrevista com o ministro Bento Albuquerque publicada na Edição 42 da Revista Oeste

-Publicidade-
* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais.

Envie um comentário

Conteúdo exclusivo para assinantes.

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Revista OESTE, a primeira plataforma de conteúdo cem por cento
comprometida com a defesa do capitalismo e do livre mercado.

Meios de pagamento
Site seguro
Seja nosso assinante!

Reportagens e artigos exclusivos produzidos pela melhor equipe de jornalistas do Brasil.