Jornalistas do SportTV usam linguagem neutra para se referir a atleta

Apresentadora e comentarista optaram por elu em vez de ela ou ele
-Publicidade-
Foto: Reprodução/Mídias Sociais
Foto: Reprodução/Mídias Sociais

Depois de contaminar universidades e empresas, a linguagem neutra chegou aos esportes. Conrado Santana, comentarista do Sport TV, e Natália Lara, apresentadora do canal, usaram um pronome “sem gênero” para se referir a Quinn, que joga na seleção canadense, durante a partida de futebol feminino entre Japão e Canadá, na Olimpíada de Tóquio.

Elu está saindo”, disse Santana, ao ser repetido por Lara. “E elu jogou muito bem no meio-campo. Marcou demais. Provavelmente, por isso está sendo substituído. Marcou muito Quinn e está entrando a Rose”, prosseguiu o jornalista. Como os apresentadores explicam, Quinn é “trans não-binária” e não se identifica com o gênero feminino ou masculino.

Veja o vídeo

-Publicidade-

“Novilíngua”

A linguagem neutra foi tema de uma reportagem publicada na Edição 62 da Revista Oeste. “Trata-se de uma crise da inteligência”, disse Caio Perozzo, especialista em linguagem e professor de literatura do Instituto Borborema. Cíntia Chagas, professora de português, garante que a linguagem neutra marginaliza cegos e surdos e é um desrespeito ao idioma.

-Publicidade-
* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais.

17 comentários Ver comentários

  1. A FARSA DA INCLUSÃO COM PRONOMES NEUTROS
    (Não sei quem é o autor, mas vale a pena a leitura)

    Outro dia sentei em um restaurante com um amigo. A garçonete chega para nos atender, nos cumprimenta com um sorriso:

    – “Olá Amigues!”

    – “Amigues?”, eu disse, também com um sorriso.

    – “Isso mesmo, somos um restaurante inclusivo!”, ela respondeu com orgulho.

    – “Olha que bom! Isso é ótimo porque em pouco tempo chegará um amigo que é cego. Você tem o cardápio em Braille?”

    – “Não, não temos isso.”

    – “Ok, mas minha esposa também vem, mas vem com minha afilhada, que é autista. Menu com pictogramas, otimizado para pessoas autistas, vocês têm?”

    – “Não, desculpe…”, ela disse visivelmente nervosa.

    – “Não tem problema, isso geralmente acontece. Imagino que a linguagem de sinais para clientes surdos você deve saber certo?”

    – “A verdade é que você está me encurralando”, responde sorrindo de nervoso.

    Ela não estava mais confortável, tímida de vergonha, um pouco de culpa e um pouco de desconforto também.

    Então eu disse:

    “- Não se preocupe, isso geralmente acontece. Mas então lamento dizer que vocês não são um lugar inclusivo, vocês querem estar na moda. Aqui, essas pessoas não conseguiriam se comunicar ou pedir para comer ou beber.

    Quer ser inclusivo, inclua todos. Todos aqueles que o sistema não dá oportunidade. É difícil, sim e muito, mas não devemos achar que um E, um X, ou @ no final faz de você inclusivo. Atentar contra a língua portuguesa não lhe tornará inclusivo, lhe tornará burro.

  2. Não fariam isso com a seleção masculina. Está sobrando para as mulheres. Compartilhar banheiros, penitenciárias e tal. Preferia o respeito de antigamente.

  3. Se futebol já era uma coisa extremamente CHATA de se assistir antes, agora então, que virou COISA DE VIADINHO, é INSUPORTÁVEL. Tem que ser muito mongolão e estúpido, para ficar assistindo passivamente a algo deste tipo, sinceramente.

  4. Vagabundos da globo. Cambada de escrotos, negacionistas da biologia. Querem posar de bonzinhos e vão para o fim. Mimizentos do inferno.

  5. Deram corda agora aguenta, imagina a confusão na cabeça de uma criança que esta sendo alfabetizada, isto pra mim é doença desta gente, eu não consumo nada de quem adota esta bizarrice doentia, querer modificar a nossa lingua em função de opção sexual é o fim dos tempos mesmo, e se o PT voltar isto se torna lei com certeza.
    Sodoma e Gomorra ficaram para trás……

  6. O que estamos vendo é a degradação dos valores morais, e isso acontece de tempos em tempos. Chega um momento que tudo retrocede e recomeça do zero novamente.

  7. Engraçado que usa elu para não usar ele ou ela! Porém depois usa a palavra substituido!Não usou substituida ou substituidu!!É uma hipocrisia tamanha de quem quer aparecer!!Parece que na entrevista desta rede de canais você precisa provar ser um idiota para poder ser contratado.

  8. Segundo a reportagem, “Quinn é “trans não-binária” e não se identifica com o gênero feminino, tampouco com o masculino.”. Pergunta: por que, então, está jogando futebol feminino?

      1. Sugiro uma rápida leitura sobre o ‘Marxismo Cultural’ e as ideias de Antonio Gramsci. Manuais desta galera da Lacrolândia do Projacquistão.

    1. Excelente ponto! Se “elu” não se identifica com nada, deveria primeiro cuidar disso antes.

      Mas muito mais patético é a globx entrar na onda.

  9. As reportagens do Cristyan são abrangentes, elucidativas e até de utilidade pública.
    Já não sintonizavamos em canais globolixo, mas vai aí a recomendação para aqueles que ainda insistem em acompanhar qualquer coisa que venha desse grupo.
    A menos que você sintonize às vezes, como Eu, apenas para “copiar” quem patrocina essa corja, para não preferencia-los em nossas compras.
    NÃO COMPRE OS PRODUTOS VEICULADOS NESSA EMISSORA, cuja linha de pensamento e ideologia impacta com a vida da família brasileira.

Envie um comentário

Conteúdo exclusivo para assinantes.

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 23,90 mensais.

Revista OESTE, a primeira plataforma de conteúdo cem por cento
comprometida com a defesa do capitalismo e do livre mercado.

Meios de pagamento
Site seguro
Seja nosso assinante!

Reportagens e artigos exclusivos produzidos pela melhor equipe de jornalistas do Brasil.