Jungmann: Bolsonaro mandou caças sobrevoarem STF para ‘estourar os vidros’

Declaração do ex-ministro da Defesa do governo de Michel Temer gerou dúvidas e desconfiança nas redes sociais
-Publicidade-
Força Aérea Brasileira teria sido pressionada pelo presidente Jair Bolsonaro, segundo o ex-ministro da Defesa Raul Jungmann
Força Aérea Brasileira teria sido pressionada pelo presidente Jair Bolsonaro, segundo o ex-ministro da Defesa Raul Jungmann | Foto: Reprodução/Redes Sociais

O ex-ministro da Defesa Raul Jungmann afirmou, em entrevista publicada pela revista Veja, que obteve a informação de que o presidente Jair Bolsonaro teria ordenado a Força Aérea Brasileira (FAB) a realizar um voo rasante com o caça Gripen sobre o Supremo Tribunal Federal (STF), para “estourar os vidros” do prédio da Corte.

Jungmann, que também ocupou a pasta da Justiça e da Segurança Pública no governo do ex-presidente Michel Temer, disse ainda que a saída dos comandantes das Forças Armadas, em março, se deveu justamente à suposta determinação de Bolsonaro — que não teria sido cumprida pelos chefes militares.

Leia mais: “Governadores marcam reunião emergencial para discutir crise entre Poderes”

-Publicidade-

“Ele chamou um comandante militar e perguntou se os jatos Gripen estavam operacionais. Com a resposta positiva, determinou que sobrevoassem o STF acima da velocidade do som para estourar os vidros do prédio. Bolsonaro mandou fazer isso. Tenho um depoimento em relação a isso. Ao confrontá-lo com o absurdo de ações desse tipo, eles foram demitidos”, acusou o ex-ministro.

Ainda segundo Jungmann, “existe uma constante atuação de constrangimento por parte do presidente da República, para forçar as Forças Armadas a endossar os atos e as falas dele”. Foi por não endossar os achaques ao Supremo Tribunal Federal, ao Congresso Nacional e aos governadores, pelas políticas engendradas na pandemia, que, pela primeira vez, os chefes da Aeronáutica, Marinha e Exército foram demitidos. Eles não se dobraram”, insistiu.

Leia mais: “STJ vê com ‘preocupação’ pedido de impeachment de Moraes”

Jungmann completou: “Os três foram demitidos porque se recusaram a envolver as Forças Armadas nas declarações e nos atos do presidente da República. Toda vez que ele se sente ameaçado, sobe o tom e desrespeita os outros Poderes, constrangendo as Forças Armadas a endossar esse discurso”.

Até o momento, a Presidência da República não se manifestou sobre as declarações do ex-ministro de Temer. As Forças Armadas também não se posicionaram. As acusações de Jungmann repercutiram nas redes sociais neste domingo, e muita gente colocou em dúvida a veracidade do que disse o ex-ministro da Defesa.

Leia também: “Ex-ministros da Justiça de FHC, Lula, Dilma e Temer pedem rejeição de impeachment contra Moraes”

O jornalista Leonardo Coutinho, colunista da Gazeta do Povo, lembrou que neste momento há apenas um protótipo do caça Gripen, ainda em fase de testes na Embraer. O contrato com a empresa sueca Saab foi assinado no fim de 2013, por cerca de R$ 23,7 bilhões (pelo câmbio atual) e prevê, além da produção das 36 aeronaves até 2024, um programa de transferência de tecnologia para o desenvolvimento dos jatos no Brasil.

Telegram
-Publicidade-
Conteúdo exclusivo para assinantes.

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Revista OESTE, a primeira plataforma de conteúdo cem por cento
comprometida com a defesa do capitalismo e do livre mercado.

Meios de pagamento
Site seguro
Gostou da Leitura?

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Meios de pagamento
Site seguro