Revista Oeste - Eleições 2022

Justiça libera homem que confessou envolvimento em mortes de Dom e Bruno

Investigadores dizem que a versão dele é “pouco crível e desconexa com os fatos até o momento apurados”
-Publicidade-
Gabriel Pereira Dantas, de 26 anos | Foto: Divulgação/PCSP
Gabriel Pereira Dantas, de 26 anos | Foto: Divulgação/PCSP

A Justiça do Amazonas decidiu soltar o suspeito Gabriel Pereira Dantas, que se entregou à polícia em São Paulo na quinta-feira, 23, para confessar o envolvimento no assassinato do indigenista Bruno Pereira e do jornalista britânico Dom Phillips.

Dantas abordou militares na praça da República, no centro da capital paulista, e disse estar envolvido no crime. O suspeito explicou ao delegado que foi o responsável por pilotar a canoa usada na execução do crime.

Ele foi ouvido pela Polícia Civil e encaminhado para a Superintendência da PF em São Paulo. “Ele permanece em liberdade, tendo em vista que não há indícios de ter participado dos crimes ora em apuração, já que apresentou versão pouco crível e desconexa com os fatos até o momento apurados”, informou um comunicado da Superintendência da PF no Amazonas.

-Publicidade-

A juíza do caso, Jacinta Silva dos Santos, titular da Comarca de Atalaia do Norte, decidiu pela liberação do suspeito depois de o Ministério Público opinar de maneira contrária ao pedido de prisão.

Em nota, a magistrada declara que a decisão ocorreu “por não estarem atendidos os requisitos legais exigidos para a decretação de prisão temporária”.

Versão de Dantas sobre caso Dom e Bruno

Dantas disse ao delegado que, depois dos assassinatos, teria fugido para Santarém, no Pará. De lá, pegou um ônibus para Manaus, seguiu para Rondonópolis, no Mato Grosso, e depois para São Paulo, onde estava vivendo nas ruas.

O suspeito é de Manaus, mas estava morando, antes do crime, em Atalaia. Segundo a Polícia Civil, ele não tem registro de ocorrências anteriores.

-Publicidade-
* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais.

9 comentários Ver comentários

  1. Na minha humilde opinião, o que aconteceu foi uma oportunidade.
    O Bruno enchia o saco dos matutos, porém acompanhado de PFs armados.
    O dia que foi dar um rolê com o patrão inglês, sem guarda armada, os matutos – como já fizeram milhares de vezes – aproveitaram a situação para sumir com mais um chato.

  2. Aparentemente alguém muito maior comprou a confissão deste laranja para despistar as investigações, isso sim. Modus operandi similar ao caso Adélio, que no dia do crime estava também dando entrada lá na Câmara dos Deputados para visita.

  3. Pois é. E o ministro Milton, no meio de uma investigação, sem provas confirmadas sobre a ocorrência de corrupção, sem indícios confirmados, foi preso. Aí tem…

  4. Pegou um ônibus para Manaus…

    Deve ser difícil pegar um ônibus de Santarém para Manaus.

    A BR-319 só é transitável para veículos preparados para trilha.

  5. Gozado, até hoje a tentativa de homicídio do Bolsonaro não foi esclarecida, cadê a eficiência da polícia federal? Muito estranho, não vejo a imprensa esquerdopata tupiniquim e gringa cobrarem o fato.

Envie um comentário

Conteúdo exclusivo para assinantes.

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Revista OESTE, a primeira plataforma de conteúdo cem por cento
comprometida com a defesa do capitalismo e do livre mercado.

Meios de pagamento
Site seguro
Seja nosso assinante!

Reportagens e artigos exclusivos produzidos pela melhor equipe de jornalistas do Brasil.