Lira adia novamente retorno das votações presenciais na Câmara

A volta estava prevista para depois do Carnaval
-Publicidade-
A decisão do presidente da Câmara, Arthur Lira, foi publicada no sábado 5
A decisão do presidente da Câmara, Arthur Lira, foi publicada no sábado 5 | Foto: Wallace Martins/Futura Press/Estadão Conteúdo

O presidente da Câmara dos Deputados, Arthur Lira (PP-AL), adiou por tempo indeterminado o retorno das votações 100% presenciais em Brasília.

O fim do trabalho remoto estava marcado para depois do Carnaval. Agora, os congressistas continuam liberados para votar virtualmente.

A decisão foi publicada em edição extraordinária do Diário Oficial da Câmara dos Deputados no sábado 5 de março. Com a decisão, o presidente da Câmara libera os colegas para continuarem em seus Estados, em ano de eleição. O ato de Lira também prejudica as comissões, que, sem o retorno dos deputados, continuarão sem funcionar plenamente.

-Publicidade-

Segundo o parlamentar, a medida pretende diminuir a circulação de pessoas na Câmara por causa da covid-19. “O objetivo é preservar a saúde não só dos parlamentares, mas também dos servidores e dos colaboradores.”

Em janeiro, o deputado havia permitido o trabalho remoto para conter o avanço da variante Ômicron da covid-19.

Na época, Lira também justificou a medida por causa do aumento das passagens aéreas. “Também vai nos ajudar na melhor aplicação dos recursos públicos. Tarifas aéreas estão altíssimas e a flexibilidade nas remarcações só acontece quando é do interesse das companhias”, disse o deputado.

-Publicidade-
* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais.

7 comentários Ver comentários

  1. E nós pagamos por tudo isso… Assistimos todos os dias esse caras viajando pelo País, em conchavos políticos, ou p o exterior desmoralizando e sabotando o Brasil.

  2. Será que querem arrastar até as eleições para usarem como pretexto de uso de voto por Correios ou celular? Já chega o absurdo de cobrarem carteira de vacinação para quem entra ( não é parlamentar) e para eles, que deveriam dar o exemplo, não é necessário!

  3. A preguiça que tem nome e endereço. E os gastos de combustível, paletó, refeição, estão sendo poupados? Ou acharam uma forma de ganhar mais do povo brasileiro? Não entendo essa frescura, pensam que são o que? O Brasil precisa de gente que trabalhe, que agregue e não parasitas, enganadores. Achava que com o Lira, seria diferente, mas lá está cheio de mais do mesmo.

  4. Com políticos deste calibre, o Brasil não vai dar certo. Pro inferno seu Lira, vá pra PQP. Já estamos tomando ciência que este Legislativo além de ser extremamente covarde pela submissão ao STF, quando ficou de quatro na maior alegria, não faz falta. Onde estão os que se consideram bons, vão ficar quietos e ser coniventes com essa vagabundagem.

Envie um comentário

Conteúdo exclusivo para assinantes.

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 23,90 mensais.

Revista OESTE, a primeira plataforma de conteúdo cem por cento
comprometida com a defesa do capitalismo e do livre mercado.

Meios de pagamento
Site seguro
Seja nosso assinante!

Reportagens e artigos exclusivos produzidos pela melhor equipe de jornalistas do Brasil.