Maioria do STF acompanha Fachin e vota por julgamento sobre Lula no plenário

Após críticas de Ricardo Lewandowski e Marco Aurélio Mello no início da sessão, outros magistrados da Corte apoiaram decisão do relator
-Publicidade-
O ministro Alexandre de Moraes, do STF, foi um dos que acompanharam Edson Fachin em julgamento na Corte
O ministro Alexandre de Moraes, do STF, foi um dos que acompanharam Edson Fachin em julgamento na Corte | Foto: Reprodução/YouTube

A maioria dos ministros do Supremo Tribunal Federal (STF) acompanhou Edson Fachin e votou para que a decisão do colega de anular as condenações do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) no âmbito da Lava Jato seja analisada pelo plenário da Corte, e não pela Segunda Turma.

Após a fala de Fachin, manifestaram-se com o relator os ministros Nunes Marques, Alexandre de Moraes, Luís Roberto Barroso, Rosa Weber, Dias Toffoli, Cármen Lúcia, Luiz Fux e Gilmar Mendes. Apenas os ministros Ricardo Lewandowski e Marco Aurélio Mello votaram de forma contrária ao relator.

-Publicidade-

“A estrutura do STF se faz para privilegiar o plenário. Existe um STF, e não três Supremos Tribunais Federais”, afirmou Moraes. “Não consigo enxergar que o julgamento pelo plenário do STF significa desrespeito ao juízo natural.”

Leia mais: “Lewandowski e Marco Aurélio criticam Fachin por submeter ao plenário decisão sobre Lula”

O ministro Luís Roberto Barroso também acompanhou o entendimento de Fachin. “Não há nenhuma ambiguidade. O regimento é claríssimo. É uma faculdade discricionária do relator: afetar ou não afetar ao plenário”, disse. 

Como noticiamos, o presidente do STF, Luiz Fux, anunciou que a Corte se limitaria, hoje, a discutir se a decisão de Fachin deveria ser julgada pelo plenário ou analisada por uma das turmas do tribunal. A discussão do mérito do caso ficará para a sessão de amanhã, quinta-feira 15.

Fachin declarou a incompetência da Justiça Federal do Paraná nos casos do tríplex do Guarujá, do sítio de Atibaia e das doações ao Instituto Lula. Segundo o ministro, a 13ª Vara Federal de Curitiba não era o “juízo natural” dos casos. Os processos foram encaminhados à Justiça Federal do Distrito Federal.

Na esteira das anulações das condenações de Lula, a Segunda Turma do STF retomou o julgamento da suspeição do ex-juiz Sergio Moro nos processos relativos a Lula, analisando um habeas corpus apresentado pela defesa do petista. Por 3 votos a 2, Moro foi considerado suspeito.

Telegram
* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais à equipe da publicação, a outro usuário ou a qualquer grupo ou indivíduo identificado. Caso isso ocorra, nos reservamos o direito de apagar o comentário para manter um ambiente respeitoso para a discussão.

7 comments

  1. Importante voltar com Lula na mídia. O jornal em decadência da esquerda, a Folha comunista de São Paulo, até a Folha vejam só (não foi a Mônica Bérgamo), registrou na semana que passou que 80% da população brasileira não quer ver Lula pela frente.
    Então, vamos dar uma levantada para o datafolha ou ibope chutar!!!

  2. A pocilga virou um teatro. Todos sabem qual será o resultado dessa “trágica encenação”, ou seja , declarar a inocência do Carniça maldito. Alisam primeiro para depois dar a chicotada. Vagabundos!

Envie um comentário

-Publicidade-
Conteúdo exclusivo para assinantes.

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Revista OESTE, a primeira plataforma de conteúdo cem por cento
comprometida com a defesa do capitalismo e do livre mercado.

Payment methods
Security site
Gostou da Leitura?

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Payment methods
Security site