-Publicidade-

Maju Coutinho, sobre o ‘lockdown’: ‘O choro é livre’

Fala da jornalista foi considerada elitista e insensível com os trabalhadores e desempregados
O jornalismo foi uma das profissões que menos sofreu com as medidas de restrição
O jornalismo foi uma das profissões que menos sofreu com as medidas de restrição | Foto: Reprodução/TV Globo

A apresentadora do Jornal Hoje Maju Coutinho polemizou por declarações que deu sobre o lockdown. Na quarta-feira 17, ao comentar as restrições de prefeitos e governadores, ela disse: “Os especialistas são unânimes em dizer que essas são medidas indispensáveis agora para conter a circulação do vírus. O choro é livre, não dá para a gente reclamar, é isso que tem”, afirmou. Minutos depois do vídeo viralizar, “O choro é livre” e “#GloboLixo” chegaram à lista de assuntos mais comentados do Twitter. Para os críticos, Maju foi elitista e insensível com quem passa por dificuldades econômicas em decorrência do surto de covid-19.

Veja imagens

O fracasso do lockdown

Publicado pela revista britânica The Lancet em julho de 2020, um estudo revelou que, em uma comparação entre 50 países, a covid-19 foi mais mortal em lugares com população mais velha e com maior taxa de obesidade, mas não se observou redução de mortalidade em países que fecharam suas fronteiras ou aplicaram o “bloqueio completo”. Na Universidade de Edimburgo, na Escócia, um pesquisador concluiu que as infecções na Grã-Bretanha já estavam diminuindo antes que o lockdown começasse no fim de março.

Uma análise realizada pelo Instituto de Tecnologia de Karlsruhe descobriu que as infecções na Alemanha estavam se reduzindo na maior parte do país antes do início das medidas de confinamento. Também foi provado que o toque de recolher imposto na Baviera e em outros Estados não surtiu efeito. Nos Estados Unidos, menos de 1% da população vive em lares de idosos, mas, em janeiro de 2021, essa pequena fração foi responsável por 36% das mortes por covid-19 no país. Até mesmo quem estava “protegido” entre muros não escapou do contágio.

Mortes por milhão de habitantes

Reportagem da Revista Oeste demonstrou a ineficácia das medidas de isolamento. Confira:

secretária de doria
Foto: Revista Oeste

Leia mais: “O fracasso do lockdown”, reportagem publicada na Edição 45 da Revista Oeste

* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias.
Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais à equipe da publicação, a outro usuário ou a qualquer grupo ou indivíduo identificado. Caso isso ocorra, nos reservamos o direito de apagar o comentário para manter um ambiente respeitoso para a discussão.

16 comentários

      1. Devemos dar nomes aos bois. Quando precisarmos de referir a grobolixo, vamos dizer o nome de seus dirigentes, pois algum deles pode estar tomando cafezinho ao seu lado

  1. Esse comentário é a cara da emissora, que se julga a dona da verdade e da virtude, ignorando qualquer discussão que aponte diferente ou outras consequências. Um desserviço absoluto.

  2. Claro! Com um salário de 60 mil reais por mês ela não precisa chorar. E quem ganha um salário mínimo, sua Maju? Se não trabalhar, o que vai comer?

  3. O meu sentimento é de asco. Além de disseminar fakenews! Não há convergência de opiniões dos especialistas!!!
    Não passa de uma HIPÓCRITA!!!

  4. Até admirava Maju como comentarista do clima, simpática, modesta e sem vaidades. Ocorre que a Globo talvez para fazer média com o público anunciou que ela subiria para o Jornal Nacional para substituir não sei quem.
    Salvo engano fez esse trabalho 1 dia somente e voltou ao trabalho anterior. Demorou para ser promovida, mas recentemente passou a fazer o jornal globo da tarde e foi contaminada pelo ódio da Globo ao governo Bolsonaro e a quem não pode seguir a “ciência” que a globo lhe ensinou, “fique em casa”. Maju parece desconhecer a enorme população brasileira que sequer tem agua e esgoto.

Envie um comentário

-Publicidade-
Exclusivo para assinantes.