Revista Oeste - Eleições 2022

Time de vôlei rescinde contrato com Maurício Souza após polêmica sobre comentário ‘homofóbico’

Campeão olímpico também foi multado e obrigado a se retratar publicamente
-Publicidade-
Campeão Olímpico é multado e obrigado a se retratar publicamente
Campeão Olímpico é multado e obrigado a se retratar publicamente | Foto: Reprodução/Confederação Brasileira de Voleibol

A diretoria do time masculino de vôlei Minas Tênis Clube rescindiu nesta quarta-feira, 27, o contrato de Maurício Souza, campeão olímpico nos Jogos Rio 2016, em razão da pressão de patrocinadores após ele ter feito comentários considerados homofóbicos nas redes sociais.

Recentemente, o atleta usou as mídias digitais para opinar sobre a nova versão de quadrinhos do Super-Homem, na qual o herói é bissexual: “Hoje em dia o certo é errado, e o errado é certo… Não se depender de mim. Se tem que escolher um lado, eu fico do lado que eu acho certo! Fico com minhas crenças, valores e ideias. ‘Ah, é só um desenho, não é nada demais.’ Vai nessa que vai ver onde vamos parar”, escreveu Souza, que já foi considerado o melhor central da Liga Mundial de Vôlei.

Em outro post, ele questiona o uso da linguagem neutra em novela da Globo.

-Publicidade-
View this post on Instagram

Uma publicação compartilhada por Mauricio Souza (@mauriciosouza17)

Ele também postou uma foto de Gabrielle Ludwig e criticou a inclusão da atleta na equipe feminina de basquete dos EUA. Ludwig era homem, mudou de sexo aos 50 anos e é fisicamente maior e mais forte que as colegas.

Em outra publicação nas redes, Souza também recebeu críticas ao divulgar um vídeo explicando que é conservador e defensor de ideais cristãos. “Lutar pelo que se acredita é para poucos! Pelos meus valores, crenças e propósitos, eu irei até o fim! Custe o que custar”, disse.

Depois de ser criticado e enfrentar a fúria da patrulha de canceladores digitais, Souza chegou a publicar um vídeo dizendo que respeitava a opção sexual de todas as pessoas, mas que se preocupava em alertar as crianças. Sobre as críticas, afirmou que todos têm liberdade de expressão e que ele também tem o direito de dizer o que pensa.

“Não pode ter dois pesos. Não posso ser [considerado] homofóbico porque eu penso diferente, porque tenho outra visão das coisas”, afirmou Souza no vídeo. “Tem de respeitar como eu respeito, a escolha de cada um. Só não mexe com crianças”, disse.

Leia também: “Na Nova Zelândia, trans ganha prêmio de Atleta Feminina do Ano”

Afastamento por tempo indeterminado

Segundo o jornal O Estado de S. Paulo, o presidente do Minas Tênis Clube, Ricardo Vieira Santiago, se reuniu com Souza para informar sobre seu afastamento por tempo indeterminado. O atleta ainda recebeu uma multa e foi orientado a fazer uma retratação pública, publicada no Twitter do jogador.

“Pessoal, após conversar com meus familiares, colegas e diretoria do clube, pensei muito sobre as últimas publicações que eu fiz no meu perfil. Estou vindo a público pedir desculpas a todos a quem desrespeitei ou ofendi; esta não foi minha intenção”. 

O que disseram os patrocinadores 

 A Fiat Automóveis e a Gerdau — ambas patrocinadoras do Minas — fizeram uma carta de repúdio ao comentário do jogador. “Estamos atentos aos últimos acontecimentos envolvendo o time de vôlei Fiat Minas Gerdau e o jogador Maurício Souza, e, portanto, cobrando as medidas cabíveis, de acordo com o nosso posicionamento inegociável diante do respeito à diversidade e à inclusão”, publicou a Fiat Automóveis. 

Leia também: A falsa inclusão de atletas transexuais nos esportes femininos

“Repudiamos qualquer tipo de manifestação de cunho preconceituoso ou homofóbico. Já solicitamos a posição oficial do clube sobre as tratativas necessárias ao caso para adotar as medidas cabíveis, o mais breve possível. Reforçamos nosso compromisso com a diversidade e inclusão, um valor inegociável para a companhia”, informou a Gerdau.

Comunicado nas redes

A rescisão do contrato foi anunciada pelo próprio jogador em seu Instagram: “ Não sou mais jogador do Minas! Agradeço aos meus companheiros, comissão técnica, meu “fisio”, ao meu diretor, presidência e sócios por tudo! Sigo meu caminho plantando o que acredito, meu legado continua! O que deixarei para meus filhos e netos é o que conta no final”, publicou. 

Duas horas antes, Mauricio fez um vídeo dizendo que não cometeu crime algum — veja aquiO atleta permanece com o desejo de continuar em quadra. “Pode ter certeza que eu vou arrumar outro time. Eu não jogo porque sou grande ou porque sou bonitinho. Eu jogo porque sou competente, assim como os homossexuais jogam porque são competentes”, comentou.

Leia também: “A tirania do cancelamento foi longe demais” 

 

-Publicidade-
Conteúdo exclusivo para assinantes.

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Revista OESTE, a primeira plataforma de conteúdo cem por cento
comprometida com a defesa do capitalismo e do livre mercado.

Meios de pagamento
Site seguro
Seja nosso assinante!

Reportagens e artigos exclusivos produzidos pela melhor equipe de jornalistas do Brasil.