Ministro da Saúde defende liberdade de escolha para vacinação

'A relação médico-paciente tem de ser baseada na autonomia', afirma secretária de Gestão do Trabalho da Educação da pasta
-Publicidade-
O ministro da Saúde, Marcelo Queiroga
O ministro da Saúde, Marcelo Queiroga | Foto: Walterson Rosa/Ministério da Saúde

O ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, defendeu a liberdade de escolha para os brasileiros durante a vacinação contra a covid-19. A declaração ocorreu nesta segunda-feira 18, data em que se comemora o Dia do Médico.

“O governo Bolsonaro defende fortemente a liberdade”, disse o ministro. “Nós queremos que as pessoas livremente possam ter acesso às políticas de saúde, como a política de vacinação.”

-Publicidade-

Ao lado de Queiroga, a médica Mayara Pinheiro, que está à frente da Secretaria de Gestão do Trabalho e da Educação na pasta, fez uma manifestação de apoio à autonomia dos médicos para a escolha dos tratamentos. Ela afirma que os profissionais da área estão sendo “perseguidos” e “desafiados” a não tratar os pacientes da forma autônoma para a qual foram “formados”.

“A relação médico-paciente tem de ser baseada na autonomia, autonomia do médico e do paciente”, afirmou Mayra. “O vínculo médico-paciente não pode ser quebrado por quem quer que seja, nem pelo Estado. É uma relação entre a consciência e a confiança”, disse Queiroga, em um evento no Ministério da Saúde.

-Publicidade-
Conteúdo exclusivo para assinantes.

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Revista OESTE, a primeira plataforma de conteúdo cem por cento
comprometida com a defesa do capitalismo e do livre mercado.

Meios de pagamento
Site seguro
Seja nosso assinante!

Reportagens e artigos exclusivos produzidos pela melhor equipe de jornalistas do Brasil.