‘Nossas crianças foram penalizadas com a falta de aulas’, diz ministro da Educação

Milton Ribeiro defende o retorno das atividades presenciais nas escolas e critica sindicatos que 'quiseram criar um caos'
-Publicidade-
O ministro da Educação, Milton Ribeiro, foi entrevistado no programa <i>Opinião no Ar</i>, da RedeTV!
O ministro da Educação, Milton Ribeiro, foi entrevistado no programa Opinião no Ar, da RedeTV! | Foto: Reprodução/YouTube

Em entrevista ao programa Opinião no Ar, da RedeTV!, nesta segunda-feira, 2, o ministro da Educação, Milton Ribeiro, lamentou o longo período em que os estudantes brasileiros ficaram sem aulas presenciais durante a pandemia de covid-19. Em muitas cidades do país, o retorno às aulas está acontecendo somente hoje.

“Minha esperança é que os professores entendam que está na hora de darem um passo em termos de patriotismo e atenção à criança brasileira. A gente não pode colocar na educação qualquer cor ideológica ou partidária”, afirmou Ribeiro. “Nossas crianças foram penalizadas com a falta do retorno às aulas presenciais. Nosso país é um dos últimos a retornar presencialmente às aulas”, lembrou o ministro. 

Leia mais: “‘Com a pandemia, regredimos 20 anos na educação brasileira’, afirma especialista”

-Publicidade-

Ribeiro disse que há preocupação com as medidas sanitárias de prevenção para evitar maiores riscos a alunos e professores. “Não é um retorno a qualquer preço, mas com cuidados, uso dos protocolos, máscara, distanciamento, álcool em gel… E agora temos ainda a questão da vacinação dos profissionais da educação”, destacou. “Essa vacinação em massa que está acontecendo partiu do MEC. Nós é que fomos lá pedir para que todas as desculpas pudessem ser colocadas de lado.”

Leia também: “Araçatuba: escolas municipais retomam aulas presenciais”

Na entrevista, Ribeiro lamentou a pressão de sindicatos da área de educação no sentido de que as aulas não fossem retomadas de forma presencial. “Existe uma minoria barulhenta que tem tempo para estar mobilizando as pessoas e trabalhou fortemente para que as aulas não fossem retomadas, no intuito de criar um caos na educação”, afirmou. “Este mesmo grupo esteve 20 anos no poder e deixou a educação brasileira nas últimas colocações do Pisa [Programa Internacional de Avaliação de Estudantes], que avalia a leitura e a escrita das crianças.”

Entrevista: “‘Se pudesse voltar no tempo, jamais teria fechado as escolas'”, diz secretário de Educação de São Paulo

Telegram
-Publicidade-
* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais.

1 comentário

  1. Como esse ministro pretende alterar esse sistema de ensino se os docentes são os mesmos de 20 anos atrás e que a renovação dos quadros docentes sempre piorou em termos de qualidade desse pessoal?
    “Este mesmo grupo esteve 20 anos no poder e deixou a educação brasileira nas últimas colocações do Pisa… Isso foi o que ele e muitos por aí dizem. Eu pergunto: Estão fazendo algo para melhorar esse quadro? Se tem não dizem e se não dizem é porque não há plano algum.
    Como se pode se esforçar para o retorno às aulas, se eles próprios dizem que o sistema de ensino está um caos? Retornar ao caos? É isso?

Envie um comentário

Conteúdo exclusivo para assinantes.

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Revista OESTE, a primeira plataforma de conteúdo cem por cento
comprometida com a defesa do capitalismo e do livre mercado.

Meios de pagamento
Site seguro
Gostou da Leitura?

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Meios de pagamento
Site seguro