Em São Paulo, operação da polícia mira traficantes na cracolândia

São cumpridos 36 mandados de prisão
-Publicidade-
A operação começou por volta das 4 horas com 650 policiais
A operação começou por volta das 4 horas com 650 policiais | Foto: Divulgação

A polícia de São Paulo está realizando uma megaoperação contra o tráfico de drogas na Praça Princesa Isabel, no centro da capital, apontada como novo local da cracolândia.

A operação começou por volta das 4 horas. O objetivo, segundo a polícia, é cumprir 36 mandados de prisão e retirar da região as barracas de usuários de drogas. Participam da ação 650 oficiais.

Há efetivo também na Praça Júlio Prestes, para impedir a volta dos usuários à antiga cracolândia. O local foi esvaziado em março, mas os usuários de drogas migraram para a Praça Princesa Isabel.

-Publicidade-

“Um trabalho de Inteligência identificou os traficantes, que foram filmados, e isso serviu de base para a Justiça decretar os mandados de prisão”, disse o delegado Roberto Monteiro.

“Hoje, na verdade, essas barracas são utilizadas para encobrir o tráfico. Todas as barracas serão tiradas, porque elas não são utilizadas para moradia, mas, sim, para guardar droga e encobrir o tráfico”, disse o delegado Severino Pereira de Vasconcelos.

Segundo a prefeitura, a orientação é encaminhar os usuários para a Rua General Rondon, perpendicular à praça, onde estão posicionadas as equipes de assistentes sociais. Serão oferecidas vagas nas unidades do Serviço Integrado de Acolhida Terapêutica.

A nova cracolândia

Desde a transferência da cracolândia principal, quem passa pela Praça Princesa Isabel depara com uma aglomeração de gente consumindo drogas a céu aberto. O cenário é desolador: restos de comida no chão (de marmitas entregues por ONGs, como a do padre Júlio Lancellotti), barracas, um forte odor de excrementos humanos e entorpecentes. No início desta semana, a prefeitura iniciou “ações de zeladoria” e retirou 35 toneladas de lixo do local, incluindo madeiras usadas na confecção de moradias improvisadas. Exceto as barracas onde as drogas são vendidas. Apesar da iniciativa, a nova cracolândia permanece e as “casas” voltaram a ser erguidas assim que os agentes públicos deixaram o local.

O dia a dia dos moradores nos arredores da Praça Princesa Isabel, que já era difícil em razão da antiga cracolândia, localizada a poucos metros dali, se tornou infernal. A corretora de imóveis Marina Martins, de 57 anos, mora há 20 no local. Quando chegou do sul de Minas Gerais, lembra que a praça era um local limpo, colorido, com feiras de artesanato aos fins de semana e reduto de lazer para os moradores. “Minha filha aprendeu a andar de bicicleta ali”, recordou. “Hoje, é impossível imaginar uma criança andando de bicicleta naquele local. Para sair de casa, tem de tomar cuidado. Logo pela manhã, há dependentes químicos com pedaços de pau na mão, garrafas, entre outros objetos, que intimidam as pessoas. Nossa vida aqui, que já não era fácil, se tornou o apocalipse.”

Leia mais na reportagem “Apocalipse Zumbi”, de Cristyan Costa, publicada na edição 107 da Revista Oeste

-Publicidade-
* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais.

8 comentários Ver comentários

  1. No início dos anos 60, durante o governo de Carlos Lacerda, houve uma operação feita pela polícia para retirar os mendigos que infestavam o centro da cidade do Rio de Janeiro, desde aquela época eu era um leitor, aliás aprendi ler, inclusive com a revista O Cruzeiro, desde o ano de 1957, então eu estava por dentro de tudo o que acontecia naquela cidade. Enfim tinha fotos de corpos desses mendigos boiando no rio Guandú que à época suas margens ainda não eram urbanizadas, foi um escândalo até internacional já naqueles tempos. Enfim, foi a solução que as autoridades acharam a melhor, para resolver o problema. Não estou aqui sugerindo nada disso, estou apenas relatando um fato histórico. Imaginem se isso fosse hoje?

    1. SIM!!
      TUDO SAFADO..querem inaugurar o Hospital…
      o PCC junto com as ONGs estão mandando os cracudos danificarem todos os semáforos da região central….e roubar os fios da iluminação pública…
      É NESSAS HORAS QUE EU APOIO UM DITADURA VIU…
      MALDITOS QUEM TEM DÓ DESSES VAGABUNDOS…MALDITOS e que tenham uma vida horrivel por se acharem bonzinhos dando moedinhas e ou apoiando NÓIAS.

  2. Tem que obrigar os ongueiros e padre lancelotti a levar essa turma para suas casas.
    Quanto aos traficantes presos, o Xandão que defendeu o PCC não deve tá gostando nada disso.
    Se tiver grana para pagar os advogados de brasilândia, dos escritórios que tem familiares de ministros do stf, já serão soltos até mesmo por ligação de algum mimizento.
    A CASA DE horrores de brasilândia passa por cima da 1ª, 2ª e 3ª instâncias.
    Esquisito é que na casa de horrores dificilmente há juiz, quase todos são advogadinhos indicados pelo pt, psdb, mdb…

    1. Mas o padre LEVA!!
      Só os menininhos novinhos e bonitinhos depois de um banho…e se tivesse ainda a boquinha da FEBEM cujo recebimento de 5 mil reais para cada rebelião mediada…JÁ ESTARIA DANDO UMA LAND ROVER pro mlk mais PIKA da cacro.

      1. OU VOCÊS ESQUECERAM DA HISTORIA ESCABROSA DESSE PADRE E AS VERBAS DA PETROBRAS??!!
        ESSE PADRE É AMIGUINHO INTIMO DA SONINHA FRANCINE …a que deu barracas para esse nóias acamparem nas calçadas e os trabalhadores e estudantes andarem na rua..
        MALDITOS MIL VEZES OS QUE TEM DÓ DE VAGABUNDOS.

Envie um comentário

Conteúdo exclusivo para assinantes.

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Revista OESTE, a primeira plataforma de conteúdo cem por cento
comprometida com a defesa do capitalismo e do livre mercado.

Meios de pagamento
Site seguro
Seja nosso assinante!

Reportagens e artigos exclusivos produzidos pela melhor equipe de jornalistas do Brasil.