Pfizer entrega hoje mais 936 mil doses ao Ministério da Saúde

Estudo mostrou que o imunizante tem 97% de eficácia contra a covid-19
-Publicidade-
No total, o Brasil contratou 200 milhões de unidades do produto
No total, o Brasil contratou 200 milhões de unidades do produto | Foto: Reprodução/Pfizer

O governo federal recebeu neste domingo, 27, mais 936 mil doses da vacina contra a covid-19 da Pfizer. A mercadoria desembarcou no aeroporto de Viracopos, em Campinas (SP), às 07h30. Até agora, 17 lotes com imunizantes da farmacêutica norte-americana chegaram ao país, totalizando 13 milhões de unidades. O Ministério da Saúde acertou a compra de 200 milhões de vacinas. A Pfizer assegurou que cumprirá a encomenda até o fim de 2021.

Um estudo conduzido em Israel e publicado no Journal of the American Medical Association mostrou que o imunizante da Pfizer reduziu as infecções sintomáticas pela doença em 97%, ao passo em que diminuiu as assintomáticas em 86%. O estudo foi conduzido junto a 6.710 profissionais da área de saúde, dos quais 5.953 receberam ao menos uma dose da vacina, 5.517 receberam as duas doses e 757 não foram vacinados. Eles foram acompanhados por um período de 63 dias, entre de 20 de dezembro de 2020 e 25 de fevereiro de 2021.

Leia também: “A supervacina”, reportagem publicada na Edição 39 da Revista Oeste

-Publicidade-
Telegram
-Publicidade-
* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais à equipe da publicação, a outro usuário ou a qualquer grupo ou indivíduo identificado. Caso isso ocorra, nos reservamos o direito de apagar o comentário para manter um ambiente respeitoso para a discussão.

4 comentários

  1. Já imaginou o controle disto tudo, se o governo central não fosse este que sabiamente escolhemos para nós representar?
    Vacinas seriam a nós vendidas, mas a grande parte doada a cubanos, venezuelanos, etc.
    Não dá mesmo prá acreditar no STF que temos, e conosco sequer tem compromisso.
    Igualmente, fomos traidos pela maioria em quem votamos. E não adianta esta retórica de afirmar, sulisticamente, que o povo é analfabeto e não sabe votar.
    Essa marginalidade que se apossou da coisa pública desde o fim da democracia, como premonizara João Batista Figueiredo, não tem escrúpulos, são traidores, bandidos da pior espécie.

  2. Se temos que tomar uma vacina testada na população mundial, nós que estamos sendo cobaias, nada mais justo tomar de um laboratório ” um tantinho “, mais confiável. Ninguém me fará tomar Coronavac.

Envie um comentário

Conteúdo exclusivo para assinantes.

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Revista OESTE, a primeira plataforma de conteúdo cem por cento
comprometida com a defesa do capitalismo e do livre mercado.

Payment methods
Security site
Gostou da Leitura?

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Payment methods
Security site