PGR pede ao Supremo revogação da prisão domiciliar de Marcos Valério

Publicitário vem cumprindo pena em casa desde março do ano passado por causa da pandemia de covid-19
-Publicidade-
O publicitário Marcos Valério foi condenado por participar do mensalão do PT e do PSDB
O publicitário Marcos Valério foi condenado por participar do mensalão do PT e do PSDB | Foto: Reprodução/Redes Sociais

A Procuradoria-Geral da República (PGR) pediu ao Supremo Tribunal Federal (STF) a revogação da prisão domiciliar do publicitário Marcos Valério, condenado nos esquemas do mensalão do PT e do PSDB. Ele vem cumprindo pena em casa desde março do ano passado por causa da pandemia de covid-19.

Trata-se do segundo pedido da PGR para que a medida seja revogada. Em dezembro de 2020, o ministro Luís Roberto Barroso, do STF, negou a solicitação.

-Publicidade-

No âmbito da ação penal 470, o mensalão petista, Valério foi condenado pelos crimes de peculato, corrupção ativa, lavagem de dinheiro e crime contra o sistema financeiro. A pena total foi de mais de 37 anos de prisão, inicialmente em regime fechado. Em 2018, o publicitário também foi julgado por participação no mensalão tucano e pegou uma pena de 16 anos de reclusão por peculato e lavagem de dinheiro.

Em setembro de 2019, Barroso concedeu a Valério a progressão de pena para o regime semiaberto. No ano passado, no início da pandemia, a Vara de Execuções Criminais de Ribeirão das Neves (MG) autorizou a transferência temporária para a prisão domiciliar — inicialmente, pelo prazo de 90 dias. Desde então, o benefício vem sendo prorrogado.

-Publicidade-
Conteúdo exclusivo para assinantes.

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Revista OESTE, a primeira plataforma de conteúdo cem por cento
comprometida com a defesa do capitalismo e do livre mercado.

Meios de pagamento
Site seguro
Seja nosso assinante!

Reportagens e artigos exclusivos produzidos pela melhor equipe de jornalistas do Brasil.