-Publicidade-

Polícia investiga furto de 50 vacinas CoronaVac em posto de saúde no Rio

Em nota, Secretaria Municipal da Saúde da capital fluminense confirma o episódio e diz que polícia já realizou perícia no local
Homem furtou 50 vacinas de posto de saúde no Rio de Janeiro; polícia investiga o crime
Homem furtou 50 vacinas de posto de saúde no Rio de Janeiro; polícia investiga o crime | Foto: Reprodução

A Polícia Civil abriu um inquérito para investigar o furto de 50 vacinas CoronaVac — produzidas pelo laboratório chinês Sinovac, em parceria com o Instituto Butantan — no Centro Municipal de Saúde Professor Carlos Cruz Lima, na zona norte do Rio. As informações são do jornal O Globo.

Leia mais: “Estudo no Chile mostra que vacinados com CoronaVac têm baixa quantidade de anticorpos”

Segundo a publicação, um vigilante do posto de saúde constatou o arrombamento e, por meio das imagens do circuito interno, confirmou a entrada de um homem por volta das 4 horas da madrugada desta segunda-feira, 5. Ele permaneceu no local por cerca de dez minutos.

Leia também: “ButanVac é alternativa no caso de a vacina chinesa ser ineficaz”

O homem, que aparentava ter entre 30 e 40 anos, carregava uma mochila. Ele forçou a entrada na sala de imunização, onde os frascos das vacinas estavam armazenados. Em depoimento à polícia, um funcionário do posto de saúde disse ter acionado, assim que tomou conhecimento do furto, a Secretaria Municipal da Saúde.

Em nota, a pasta confirmou o episódio e informou que a polícia já realizou perícia no local e prosseguirá as investigações.

Leia também: “O que o setor privado pode fazer pela vacinação”, reportagem de Paula Leal publicada na Edição 54 da Revista Oeste

* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias.
Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais à equipe da publicação, a outro usuário ou a qualquer grupo ou indivíduo identificado. Caso isso ocorra, nos reservamos o direito de apagar o comentário para manter um ambiente respeitoso para a discussão.

2 comentários

  1. No Rio de Janeiro, ladrão e gente atoa não falta, e roubar soro fisiológico travestir de vacina nem dá nada, é ladrão roubando de ladrão.

  2. Essa notícia traduz a nossa falência como nação, povo, sociedade. Se quisermos ter alguma esperança de recuperação, temos que excluir fisicamente pessoas, como esse ladrão e a corja política que o protege.

Envie um comentário

-Publicidade-
Exclusivo para assinantes.