-Publicidade-

Prejuízo causado por secretário da Saúde do DF é superior a R$ 18 milhões

Francisco Araújo Filho tomou posse no cargo depois que o covidão já havia começado

Francisco Araújo Filho tomou posse no cargo depois que o covidão já havia começado

Francisco Araújo Filho | Imagem reproduzida a partir das redes sociais

Na última terça-feira, 25, Francisco Araújo Filho, secretário de Saúde do Distrito Federal, foi preso pela Operação Falso Negativo. A investigação, conduzida pelo Ministério Público do DF (MPDF), acusa Araújo Filho de cometer fraudes na compra de testes rápidos para a detecção da covid-19. Através da dispensa de licitação autorizada em função da pandemia, duas empresas teriam fechado contratos superfaturados com o governo distrital, causando um prejuízo milionário aos cofres públicos.

Leia também: ‘Uma vergonha’, diz Lula sobre parecer em prol de procurador da Lava Jato

A nota do MPDF informa que “são objeto de investigação duas dispensas de licitação” para compra dos exames para diagnosticar a doença. Com a empresa Luna Park Brinquedos, “identificou-se o superfaturamento de 146,57% no comparativo com preços ofertados pelas demais concorrentes”. Com a Biomega Medicina Diagnóstica, foi constatado sobrepreço “de 42,75% nas aquisições de testes”. Com o valor do prejuízo, “superior a R$ 18 milhões, seria possível comprar mais de 900 mil testes rápidos”.

Na planilha com as contratações realizadas com a dispensa de licitações em função da pandemia, entretanto, consta o empenho de R$ 23,5 milhões de reais junto a essas empresas para aquisição de apenas 120 mil testes rápidos para o diagnóstico da covid-19. Mais de R$ 3,5 milhões para Luna Park e R$ 19,9 milhões para a “Biomega Medicina Diagnóstica”.

Francisco Araújo Filho tomou posse como secretário de Saúde do Distrito Federal em 16 de março deste ano, época em que o vírus chinês já havia feito a primeira vítima no Brasil.

Nota de esclarecimento da Biomega

Em nota, a Biomega informa que participou de processo licitatório com mais empresas e venceu pelo menor preço. A companhia esclarece que “é um laboratório de análises clínicas, e não uma distribuidora de testes. Portanto, não vendeu kits para testagem, e sim prestou serviços para análise e determinação de laudos de exames laboratoriais referentes à covid-19.” A empresa está analisando a representação do MP e prepara sua defesa.

 

* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais à equipe da publicação, a outro usuário ou a qualquer grupo ou indivíduo identificado. Caso isso ocorra, nos reservamos o direito de apagar o comentário para manter um ambiente respeitoso para a discussão.

Envie um comentário

-Publicidade-
Exclusivo para assinantes.
R$ 19,90 por mês