Prisão domiciliar ‘humanitária’ de Roger Abdelmassih segue revogada, decide STJ

Benefício já havia sido cassado pelo Tribunal de Justiça de São Paulo (TJ-SP)
-Publicidade-
Roger Abdelmassih foi condenado a quase 280 anos de prisão
Roger Abdelmassih foi condenado a quase 280 anos de prisão | Foto: Reprodução/TV Globo

O Superior Tribunal de Justiça (STJ) manteve nesta sexta-feira, 22, a decisão monocrática tomada por um desembargador convocado de não reconhecer o habeas corpus apresentado pela defesa do ex-médico Roger Abdelmassih. Ele foi condenado a quase 280 anos de prisão por ter estuprado várias de suas pacientes e está encarcerado na penitenciária de Tremembé (SP).

A decisão mantém a revogação da prisão domiciliar “humanitária”, que já havia sido cassada pelo Tribunal de Justiça de São Paulo (TJ-SP). Segundo o STJ, não há elementos que justifiquem a transferência de Abdelmassih para cumprir a pena em sua residência.

O ex-médico retornou para a cadeia em julho deste ano. Ele havia obtido o benefício do regime domiciliar em abril de 2020, por fazer parte do grupo de risco para a covid-19. Nos últimos meses, Abdelmassih alega que vem sofrendo com problemas de saúde — ele chegou a ser internado duas vezes.

-Publicidade-
-Publicidade-
* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais.

1 comentário Ver comentários

Envie um comentário

Conteúdo exclusivo para assinantes.

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Revista OESTE, a primeira plataforma de conteúdo cem por cento
comprometida com a defesa do capitalismo e do livre mercado.

Meios de pagamento
Site seguro
Seja nosso assinante!

Reportagens e artigos exclusivos produzidos pela melhor equipe de jornalistas do Brasil.