Projetos de Lei? Melhor ser indígena, transexual, vegano ou permacultor

Uma pequena amostra dos candidatos mais celebrados pela esquerda que venceram a eleição
-Publicidade-

Foi-se o tempo em que projetos de Lei ligados à Educação, Saúde ou Segurança eram o que garantia votos aos candidatos a vereador ou prefeito no Brasil. Aliás, foi-se o tempo, inclusive, de qualquer “projeto de lei”. Uma pequena amostra dos políticos mais celebrados pela esquerda prova que, mais do que qualquer proposta, o que conta hoje é ser parte de alguma minoria: indígenas, transexuais, gays, mulheres, negros, veganos ou mesmo permacultores.

-Publicidade-

 

Telegram
-Publicidade-
* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais.

34 comentários

    1. E nós que estamos pagando a conta dessa fantasia, desse teatro patético que tem por objetivo a parasitagem, a devassa e o benefício próprio. Quanto aos projetos políticos e propostas de trabalho, esquece, essa palavra não consta no dicionário da esquerda.

  1. Em contraponto podemos sem muito esforço relacionar centenas de senhores diplomados, bem intencionados, cultos, experientes, politizados, comprometidos com projetos sérios e engenhosos que assaltaram os cofres públicos. Esses senhores e senhoras de bem e com padrões de virtudes inabaláveis e vida ilibada formam os mais de 138 parlamentares investigados pela justiça por corrupção ativa e passiva. Nesse bojo há também senhores juízes afastados do cargo por corrupção, juízes nepotistas e vendedores se sentenças , juízes supremos protetores de traficantes , parlamentares lobistas aprovando Medidas Provisórias que beneficiam grandes grupos econômicos , partidos que obrigam construtoras a doar vultosos recursos para imprensa engajada sem falar nos senhores de bem e de família que se apossaram e invadiram as estatais e agências do governo para delas tirar o máximo de dinheiro sujo oriundo de favores, extorsões , nepotismo e toda sorte de favorecimentos pessoais e corporativos. Acredito que a matéria também deve falar desses senhores e senhoras de padrões “normais” e arquétipos de cidadania e de virtudes e colocá-los onde merecem também nessa avaliação dos eleitos: na cadeia. O quê exatamente os personagens mostrados farão com seus mandatos teremos que esperar para avaliar, mas com relação aos impolutos engravatados com currículos acadêmicos recheados nós já sabemos do que são capazes e que certamente continuaram a fazer com o beneplácito civil da nossa colossal indiferença. O CENTRÃO foi o mais aprovado nas eleições municipais que ora termina. Também elegemos e reelegemos as grandes oligarquias nordestinas das famílias do coronéis. Só me resta então concordar: brasileiro não sabe votar.

  2. Essa revista é uma VERGONHA! Garanto que não leram uma única linha de propostas desses candidatos. São maus candidatos por que? Por serem índios, transexuais, travestis, gays, negros , etc? Quanto ódio… quanta falta de empatia com quem quer brigar pelos seus direitos. Democracia é isso: cada grupo sendo representado.

    1. Então diz aí: o que vão fazer? Muitos dos “candidatos das minorias” que já passaram pela história política não fizeram nada além de … ganhar a eleição e passar 4 anos vivendo às custas dos úteis que lhes elegeram. Ok, não é uma exclusividade deles, mas não trouxeram nada de novo ao cenário político .

      1. Não. Democracia não é “separar”**** a sociedade em “grupos**” e cada um deles entrando em desavenças****” com todas as outras pelos “cofres* da viúva” (e todos sob justificativa de “buscar direitos”).
        Enfim, essa sua concepção de democracia está errada. Entendo você pensar assim, pois escolas, universidades, mídia, imprensa, especialistas, políticos, etc. “garantem” que democracia é isso. Mas não é. Procure outras fontes de pesquisa e “questione-se”.

        *Usei outra palavra, mas não passa pela “corretor automático do site****”, pois a palavra é o feminino de um “ser que não classificado como humano***” e possui mais de um significado: um deles é “cofre” (que é o exatamente o que quis dizer).

        ** estou tentando deduzir a palavra censurada. Agora coloquei “grupo” (originalmente era uma palavra que também significava grupo, mas cuja “origem” era referência a grupos indígenas)

        *** Terceira tentativa de achar a palavra que não pode ser usada. Talvez eu tenha consertado o “erro” no texto principal, mas tenha cometido outro na explicação. Vamos ver se passa.

        **** Agora, jà troquei 3 de uma vez só. Vamos ver se passa.

      2. Não. “O governo do povo(7)” não é “separar”(4) a sociedade em “grupos(2)” e cada um deles entrando em desavenças(4)” com todas as outras pelos “cofres(1) do tesouro(5)” (e todos sob justificativa de “buscar direitos”).
        Enfim, essa sua concepção de “governo do povo (7)” está errada. Entendo você pensar assim, pois escolas, universidades, mídia, imprensa, especialistas, políticos, etc. “garantem” que democracia é isso. Mas não é. Procure outras fontes de pesquisa e “questione-se”.

        (1)Usei outra palavra, mas não passa pela “corretor automático do site(4)”, pois a palavra é o feminino de um “ser que não classificado como humano(3)” e possui mais de um significado: um deles é “cofre” (que é o exatamente o que quis dizer).

        (2) estou tentando deduzir a palavra censurada. Agora coloquei “grupo” (originalmente era uma palavra que também significava grupo, mas cuja “origem” era referência a grupos indígenas)

        (3) Terceira tentativa de achar a palavra que não pode ser usada. Talvez eu tenha consertado o “erro” no texto principal, mas tenha cometido outro na explicação. Vamos ver se passa.

        (4) Agora, já troquei 3 de uma vez só. Vamos ver se passa.

        (5) Está difícil!

        (6) estava usando asterisco para indicar as palavras que foram trocadas no texto, mas acho que asterisco também não pode. Tentando usar números como notas, então..

        (7) “governo do povo” é o que supostamente esse que vivemos. Não usei o nome comum pois ainda estou tentando descobrir a palavra que não pode ser escrita.

    2. Não. Democracia não é dividir a sociedade em “tribos” e cada uma delas brigando com todas as outras pelas “burras da viúva” (e todas sob justificativa de “buscar direitos”).
      Enfim, essa sua concepção de democracia está errada. Entendo você pensar assim, pois escolas, universidades, mídia, imprensa, especialistas, políticos, etc. “garantem” que democracia é isso. Mas não é. Procure outras fontes de pesquisa e “questione-se”.

    3. Não. Democracia não é dividir a sociedade em “tribos” e cada uma delas brigando com todas as outras pelos “cofres* da viúva” (e todas sob justificativa de “buscar direitos”).
      Enfim, essa sua concepção de democracia está errada. Entendo você pensar assim, pois escolas, universidades, mídia, imprensa, especialistas, políticos, etc. “garantem” que democracia é isso. Mas não é. Procure outras fontes de pesquisa e “questione-se”.

      *Usei outra palavra, mas não passa pela censura, pois a palavra é o feminino de um animal e possui mais de um significado: um deles é “cofre” (que é o exatamente o que quis dizer).

    4. Não. Democracia não é dividir a sociedade em “grupos**” e cada uma delas brigando com todas as outras pelos “cofres* da viúva” (e todas sob justificativa de “buscar direitos”).
      Enfim, essa sua concepção de democracia está errada. Entendo você pensar assim, pois escolas, universidades, mídia, imprensa, especialistas, políticos, etc. “garantem” que democracia é isso. Mas não é. Procure outras fontes de pesquisa e “questione-se”.

      *Usei outra palavra, mas não passa pela censura, pois a palavra é o feminino de um animal e possui mais de um significado: um deles é “cofre” (que é o exatamente o que quis dizer).

      ** estou tentando deduzir a palavra censurada. Agora coloquei “grupo” (originalmente era uma palavra que também significava grupo, mas cuja “origem” era referência a grupos indígenas)

    5. Não. Democracia não é dividir a sociedade em “grupos**” e cada uma delas brigando com todas as outras pelos “cofres* da viúva” (e todas sob justificativa de “buscar direitos”).
      Enfim, essa sua concepção de democracia está errada. Entendo você pensar assim, pois escolas, universidades, mídia, imprensa, especialistas, políticos, etc. “garantem” que democracia é isso. Mas não é. Procure outras fontes de pesquisa e “questione-se”.

      *Usei outra palavra, mas não passa pela censura, pois a palavra é o feminino de um “ser que não classificado como humano***” e possui mais de um significado: um deles é “cofre” (que é o exatamente o que quis dizer).

      ** estou tentando deduzir a palavra censurada. Agora coloquei “grupo” (originalmente era uma palavra que também significava grupo, mas cuja “origem” era referência a grupos indígenas)

      *** Terceira tentativa de achar a palavra que não pode ser usada. Talvez eu tenha consertado o “erro” no texto principal, mas tenha cometido outro na explicação. Vamos ver se passa.

    6. Não. Democracia não é “separar”**** a sociedade em “grupos**” e cada um deles entrando em desavenças****” com todas as outras pelos “cofres* do tesouro*****” (e todos sob justificativa de “buscar direitos”).
      Enfim, essa sua concepção de democracia está errada. Entendo você pensar assim, pois escolas, universidades, mídia, imprensa, especialistas, políticos, etc. “garantem” que democracia é isso. Mas não é. Procure outras fontes de pesquisa e “questione-se”.

      *Usei outra palavra, mas não passa pela “corretor automático do site****”, pois a palavra é o feminino de um “ser que não classificado como humano***” e possui mais de um significado: um deles é “cofre” (que é o exatamente o que quis dizer).

      ** estou tentando deduzir a palavra censurada. Agora coloquei “grupo” (originalmente era uma palavra que também significava grupo, mas cuja “origem” era referência a grupos indígenas)

      *** Terceira tentativa de achar a palavra que não pode ser usada. Talvez eu tenha consertado o “erro” no texto principal, mas tenha cometido outro na explicação. Vamos ver se passa.

      **** Agora, já troquei 3 de uma vez só. Vamos ver se passa.

      ***** Está difícil!

    7. Não. Democracia não é “separar”(4) a sociedade em “grupos(2)” e cada um deles entrando em desavenças(4)” com todas as outras pelos “cofres(1) do tesouro(5)” (e todos sob justificativa de “buscar direitos”).
      Enfim, essa sua concepção de democracia está errada. Entendo você pensar assim, pois escolas, universidades, mídia, imprensa, especialistas, políticos, etc. “garantem” que democracia é isso. Mas não é. Procure outras fontes de pesquisa e “questione-se”.

      (1)Usei outra palavra, mas não passa pela “corretor automático do site(4)”, pois a palavra é o feminino de um “ser que não classificado como humano(3)” e possui mais de um significado: um deles é “cofre” (que é o exatamente o que quis dizer).

      (2) estou tentando deduzir a palavra censurada. Agora coloquei “grupo” (originalmente era uma palavra que também significava grupo, mas cuja “origem” era referência a grupos indígenas)

      (3) Terceira tentativa de achar a palavra que não pode ser usada. Talvez eu tenha consertado o “erro” no texto principal, mas tenha cometido outro na explicação. Vamos ver se passa.

      (4) Agora, já troquei 3 de uma vez só. Vamos ver se passa.

      (5) Está difícil!

      (6) estava usando asterisco para indicar as palavras que foram trocadas no texto, mas acho que asterisco também não pode. Tentando usar números como notas, então..

    8. “Errado” (9). “O governo do povo(7)” não é “separar”(4) a sociedade em “grupos(2)” e cada um deles entrando em desavenças(4)” com todos os outros pelos “cofres(1) do tesouro(5)” (e todos sob justificativa de “buscar direitos”).
      Enfim, essa sua “definição” (8) de “governo do povo (7)” está errada. Entendo você pensar assim, pois escolas, universidades, mídia, imprensa, especialistas, políticos, etc. “garantem” que democracia é isso. Mas não é. Procure outras fontes de pesquisa e “questione-se”.

      (1)Usei outra palavra, mas não passa pela “corretor automático do site(4)”, pois a palavra é o feminino de um “ser que não classificado como humano(3)” e possui mais de um significado: um deles é “cofre” (que é o exatamente o que quis dizer).

      (2) estou tentando deduzir a palavra censurada. Agora coloquei “grupo” (originalmente era uma palavra que também significava grupo, mas cuja “origem” era referência a grupos indígenas)

      (3) Terceira tentativa de achar a palavra que não pode ser usada. Talvez eu tenha consertado o “erro” no texto principal, mas tenha cometido outro na explicação. Vamos ver se passa.

      (4) Agora, já troquei 3 de uma vez só. Vamos ver se passa.

      (5) Está difícil!

      (6) estava usando asterisco para indicar as palavras que foram trocadas no texto, mas acho que asterisco também não pode. Tentando usar números como notas, então..

      (7) “governo do povo” é o que supostamente esse que vivemos. Não usei o nome comum pois ainda estou tentando descobrir a palavra que não pode ser escrita.

      (8) tentando… como o “teste” foi publicado, logo há palavras que não devem ser ditas no meu texto…

      (9) Once more!

    9. “Errado” (9). “O governo do povo(7)” não é “separar”(4) a sociedade em “grupos(2)” e cada um deles entrando em desavenças(4)” com todos os outros pelos “cofres(1) do tesouro(5)” (e todos “buscando direitos” (10)).
      Enfim, essa sua “definição” (8) de “governo do povo (7)” está errada. Entendo (11) pensar assim, pois escolas, universidades, mídia, imprensa, especialistas, políticos, etc. “garantem” que democracia é isso. Mas não é. Procure outras fontes de pesquisa e “questione-se”.

      (1)Usei outra palavra, mas não passa pela “corretor automático do site(4)”, pois a palavra é o feminino de um “ser que não classificado como humano(3)” e possui mais de um significado: um deles é “cofre” (que é o exatamente o que quis dizer).

      (2) estou tentando deduzir a palavra censurada. Agora coloquei “grupo” (originalmente era uma palavra que também significava grupo, mas cuja “origem” era referência a grupos indígenas)

      (3) Terceira tentativa de achar a palavra que não pode ser usada. Talvez eu tenha consertado o “erro” no texto principal, mas tenha cometido outro na explicação. Vamos ver se passa.

      (4) Agora, já troquei 3 de uma vez só. Vamos ver se passa.

      (5) Está difícil!

      (6) estava usando asterisco para indicar as palavras que foram trocadas no texto, mas acho que asterisco também não pode. Tentando usar números como notas, então..

      (7) “governo do povo” é o que supostamente esse que vivemos. Não usei o nome comum pois ainda estou tentando descobrir a palavra que não pode ser escrita.

      (8) tentando… como o “teste” foi publicado, logo há palavras que não devem ser ditas no meu texto…

      (9) Once more!

      (10) mais uma vez…

      (11) tirando uma palavra

    10. “Errado” (9). “O governo do povo(7)” não é “separar”(4) a sociedade em “grupos(2)” e cada um deles entrando em desavenças(4)” com todos os outros pelos “cofres(1) do tesouro(5)” (e todos “buscando direitos” (10)).
      Enfim, essa sua “definição” (8) de “governo do povo (7)” está errada. Entendo (11) pensar assim, pois escolas, universidades, mídia, imprensa, especialistas, políticos, etc. “garantem” que democracia é isso. Mas não é. Procure outras fontes de pesquisa e “questione-se”.

      (1)Usei outra palavra, mas não passa pela “corretor automático do site(4)”, pois a palavra é o feminino de um “ser que não classificado como humano(3)” e possui mais de um significado: um deles é “cofre” (que é o exatamente o que quis dizer).

      (2) estou tentando deduzir a palavra que está sendo “filtrada” (12). Agora coloquei “grupo” (originalmente era uma palavra que também significava grupo, mas cuja “origem” era referência a grupos indígenas)

      (3) Terceira tentativa de achar a palavra que não pode ser usada. Talvez eu tenha consertado o “erro” no texto principal, mas tenha cometido outro na explicação. Vamos ver se passa.

      (4) Agora, já troquei 3 de uma vez só. Vamos ver se passa.

      (5) Está difícil!

      (6) estava usando asterisco para indicar as palavras que foram trocadas no texto, mas acho que asterisco também não pode. Tentando usar números como notas, então..

      (7) “governo do povo” é o que supostamente esse que vivemos. Não usei o nome comum pois ainda estou tentando descobrir a palavra que não pode ser escrita.

      (8) tentando… como o “teste” foi publicado, logo há palavras que não devem ser ditas no meu texto…

      (9) Once more!

      (10) mais uma vez…

      (11) tirando uma palavra

      (12) mais uma troca

    11. Sua concepção de democracia (“tribos” lutando uma contra as outras pelos cofres públicos em nome da “busca de direitos”) é está nada correta. Entendo você pensar assim.

    12. Entendo você pensar assim, pois escolas, universidades, mídia, imprensa, especialistas, políticos, etc. “garantem” que democracia é isso. Mas não é. Procure outras fontes de pesquisa e “questione-se”.

    13. Entendo você pensar assim, pois lugares onde vamos teoricamente aprender, coisas que compramos teoricamente para aprender, pessoas que ouvimos porque teoricamente são mais sábios, “garantem” que democracia é isso. Mas não é. Procure outras fontes de pesquisa e “questione-se”.

      1. “… lugares onde vamos teoricamente aprender, coisas que compramos teoricamente para aprender, pessoas que ouvimos porque teoricamente são mais sábios” são eufemismos que tive que usar para passar pela censura do site. Impressionante. Escrevi meu comentário e não era publicado. Reescrevi 12 VEZES o comentário e ainda assim não passava no “filtro”. Resolvi escrever parcelado. Deu certo e, por partes, consegui descobrir quais o “trecho” herético”.
        Usei os eufemismos acima, enfim. Mas é um absurdo as palavras que foram censuradas…

    14. DEMOCRACIA É JUSTAMENTE REPRESENTAR A MAIORIA, E NÃO GOVERNAR PARA A MINORIA. SE OS CANDIDATOS DEFENDEM PAUTAS PARA AS MINORIAS, ESTA TOTALMENTE INDO CONTRA O QUE È DEMOCRÁTICO

  3. E há ainda quem diga que nós somos os culpados por eleger PARLAMENTARES que nos proporcionarão LEIS, grande parte analfabetos, e tampouco observamos e cobramos como atuam nas casas legislativas.
    Como assim, se muitos de nossos candidatos, com excelente formação e experiência profissional não conseguem se eleger, cobrar de quem?

  4. Aconteceu na minha cidade mas acho que foi regra em QUASE todos os municípios, graças à famigerada COLIGAÇÃO: o ELEITO menos votado (o último a preencher uma cadeira), teve MENOS votos do que 20 candidatos que NÃO se elegeram. Onde está a democracia (respeito pela maioria)? Quando se vota qualquer questão relevante, qualquer que seja o assunto, é a maioria que “leva”. Aqui, na nossa política, é o contrário…

  5. Meu Deus!!!!!!! quanta ignorância. Deve-se governar pra todos!!!! e as “minorias” precisam ser representados para que as “maiorias” não acabem com seus direitos!

Envie um comentário

Conteúdo exclusivo para assinantes.

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Revista OESTE, a primeira plataforma de conteúdo cem por cento
comprometida com a defesa do capitalismo e do livre mercado.

Meios de pagamento
Site seguro
Gostou da Leitura?

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Meios de pagamento
Site seguro