-Publicidade-

Rádio perde anunciantes após jornalistas ironizarem assalto

Comentaristas exaltaram ação dos bandidos que promoveram "noite do terror" em Criciúma (SC)
Na madrugada de terça-feira, bandidos fortemente armados saquearam uma agência do Banco do Brasil na cidade
Na madrugada de terça-feira, bandidos fortemente armados saquearam uma agência do Banco do Brasil na cidade | Lucas Colombo/Estadão Conteúdo

Quatro anunciantes da Rádio Gaúcha (a maior emissora do Rio Grande do Sul) informaram nesta sexta-feira, 4, o fim da parceria com o veículo de comunicação. Santa Clara, ZeZé Biscoitos, Unicred e a Vinícola Salton alegaram que o motivo é a repercussão negativa da edição de 1° de dezembro do programa Timeline, uma das atrações da rádio. Isso porque os jornalistas David Coimbra e Kelly Matos teceram comentários polêmicos sobre o assalto em Criciúma, cidade no interior de SC. Depois do ocorrido, a rádio publicou uma nota desculpando-se.

Conforme noticiou Oeste, na madrugada de terça-feira, bandidos fortemente armados saquearam uma agência do Banco do Brasil, fizeram reféns e levaram uma quantia vultosa ainda não calculada pelas autoridades. Um policial militar, que trocou tiros com os assaltantes, ficou ferido e está no hospital em estado grave. Até o momento, seis pessoas suspeitas de participação no caso foram presas. É o maior assalto já registrado na história de Santa Catarina. A seguir, os principais trechos dos comentários dos jornalistas sobre o episódio:

1) Coimbra: “Vamos supor que todos os assaltantes fossem assim: organizados. Eles têm método. E, mais que isso, eles têm respeito pelo cidadão. […] Chamaram um funcionário do banco e perguntaram: ‘Quanto você ganha?’. O cara respondeu. E o bandido: ‘Está vendo? Não estamos tirando dinheiro de ninguém. Estamos tirando dinheiro do banco’. Ou seja, existe uma filosofia no assalto deles. […] Existe uma moral. […] Não é algo contra o cidadão, tanto que eles deram dinheiro às pessoas. […] Estou falando para você, que é bandido: Tome consciência. Seja como os caras de Criciúma, que respeitam a população. A ação tem de ser para outros alvos e não o pobre trabalhador. Existe ética para tudo”.

2) Matos: “Esse episódio lembrou a série da Netflix La Casa de Papel. A série fala um pouco sobre criminosos com essa filosofia: não estão roubando do povo. […] No Assalto ao Banco Central, filme que narra uma ideia parecida, ele diz assim: ‘Crime não é roubar um banco. É fundar um banco’.”

Repercussão

Ao cancelar o patrocínio com a Rádio Gaúcha, a Unicred argumentou que “respeita a liberdade de imprensa e o trabalho realizado pelos jornalistas e pela RBS; no entanto, não compactua com os comentários realizados a respeito de bancos e assaltantes”. A Irmãos Ruivo, que controla a ZeZé Biscoitos, repudiou o episódio e informou, em nota, que tem compromisso com a preservação do Estado Democrático de Direito.

A cooperativa Santa Clara reafirmou que defende a segurança pública e a integridade física dos cidadãos. Também a Vinícola Salton anunciou que está retirando patrocínio da rádio. O posicionamento das quatro empresas representa um “Sleeping Giants” às avessas, uma vez que, agora, não foi preciso uma milícia digital pressionar anunciantes de modo a intimidar veículos de comunicação. As próprias companhias decidiram se manifestar.

Assista ao vídeo

O colunista do jornal Brasil sem Medo Leandro Ruschel divulgou nas redes o vídeo com o comentário dos jornalistas. Assista:

Posicionamento da Rádio Gaúcha

“A respeito de manifestação feita pelo comunicador David Coimbra, no programa Timeline da última quarta-feira (2), sobre o assalto em Criciúma (SC), o Grupo RBS informa que não houve intenção de minimizar a gravidade da ação criminosa e de ofender as empresas, os cidadãos e os policiais que foram feridos. O comunicador se retratou no ar nessa quinta-feira (3). A RBS pede desculpas pelo ocorrido e afirma seu respeito às instituições financeiras e às forças policiais, assim como a todas as pessoas atingidas pelo lamentável episódio. A linha editorial da RBS nos assuntos de segurança busca auxiliar cidadãos e empresas a se protegerem e valoriza as forças policiais na defesa da lei e da sociedade. A empresa tem como princípio estar aberta às críticas e aos questionamentos de todos, para ouvir suas percepções sobre todo e qualquer tema e estabelecer uma relação constante de diálogo e respeito. Essa atitude será reforçada nos próximos dias com diversos setores da sociedade com o propósito de aperfeiçoar o seu jornalismo responsável e independente.”

* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias.
Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais à equipe da publicação, a outro usuário ou a qualquer grupo ou indivíduo identificado. Caso isso ocorra, nos reservamos o direito de apagar o comentário para manter um ambiente respeitoso para a discussão.

22 comentários

    1. Me desculpem os termos usados, mas, se esses babacas tivessem apontados um fuzil em suas caras cinicas, estariam se borrando todo de medo. Bando de Canalhas. É esse ponto que chegou a nossa imprensa. Cadê o MPF para autuar esses biltres por apologia ao crime?

  1. trabalhei por 30 anos em um banco mas não tenho necessidade de enaltecer a empresa, que é como as demais que visam lucros e dão empregos a centenas de milhares de pessoas. enaltecer bandido é ser pior que o bandido. é ser miserável e não merece ter o mínimo de respeito. várias empresas estão cancelando patrocínios. só esclarecendo o que essa dupla que idolatra bandido “profissional”, o que eles disseram equivale a dizer que o cara que se masturba em um ônibus é correto pois não estupra… é isso mesmo, não é? me senti ofendido pois parece que deixar de existir uma empresa, por ser banco, é bom, é por que tem garantido o empreguinho de comentarista esquerdista progressista que nada mais é do que nada, um verdadeiro zero a esquerda. a tal rádio gaúcha tem todo o direito de manter seus “coisos” mas com isso leva o desprezo de todas as pessoas honestas e trabalhadoras, que são a enorme maioria do povo brasileiro. a diferença são bandidos e esse tipo de coisa que trabalha na rádio. lamentável

    1. O dinheiro que está nos bancos é daquela pessoa que, anos a fio, economizou para comprar um carro, um imóvel, mas os jornalistas acham que deve brotar dinheiro em árvores dentro dos estabelecimentos bancários.

  2. Qualquer imbecil tem voz hoje em dia.. Por isso ninguém respeita mais nada! Perdeu-se o parâmetro pra tudo! “Toda opinião é válida!” Tá aí o resultado.. Um sujeito irradiando uma asneira dessa!!!

  3. Perderam totalmente o senso do ridículo e a imbecilidade tomou conta. O que devemos fazer é não darmos audiência para estes meios ditos de comunicação, que acha que tudo é válido para “cativar” o público. Felizmente e ao que parece, o disco está virando de lado e lentamente a população de bom senso está reagindo.

  4. Veículo de comunicação que defende este tipo de ideologia, compactua com essas práticas deveria ser impedido de funcionar. O governo deveria caçar a licença dessa emissora e processar por incitação ao crime esses apresentadores.

  5. Liberdade de imprensa????? Fake news???? E a punição à emissora que permitiu esse absurdo de enaltecimento ao crime deveria ser vposta fora do ar por pelo menos uma semana para esses criminosos aprenderem que apologia ao crime é abominável. Mas nada acontecerá porque a justiça brasileira, principalmente o stf, pactuam com o crime.

  6. “Não estamos tirando dinheiro de ninguém. Estamos tirando dinheiro do banco.” e “não estamos roubando do povo.” O banco é público? Sim. Quem sustenta o banco? Dinheiro público. Logo o dinheiro roubado é do povo e estão sim roubando o povo. Me pergunto que nível de jornalistas eles são. Ah sim, são militantes de esquerda, assim os poucos neurônios que eles tem não conseguem raciocinar corretamente ou talvez a maconha que fumam os deixam assim. Lamentável. Minha sugestão, contratem só jornalistas de verdade e não militantes.

  7. O banco é público? Sim. Quem sustenta o banco? Dinheiro público. Logo o dinheiro roubado é do povo e estão sim roubando o povo. Me pergunto que nível de jornalistas eles são. Ah sim, são militantes de esquerda, assim os poucos neurônios que eles tem não conseguem raciocinar corretamente ou talvez a maconha que fumam os deixam assim. Lamentável. Minha sugestão, contratem só jornalistas de verdade e não militantes.

  8. Dois pseudo-jornalistas! Não compensa nem qualificar essas criaturas asquerosas, seria perda de tempo! Passo longe desses veículos de comunicação com vagabundos assim! Já deixei ouvir até outra rádio, a Jovem Pan, que, excluindo-se Os Pingos nos Is e um outro jornalista descente, está infestada essa lepra esquerdopata!

    1. Para se ver o nível da imprensa brasileira. Em qualquer país do mundo o que aconteceu é crime. Porta dos fundos afrontando igrejas, programas humoristicos globais sem respeitar nada e ninguém. Assim vai apodrecendo a sociedade brasileira com apoio do STF e de grande parte da mídia esquerdopata e bandida do Brasil. Reage Brasil, Reage POVO.

Envie um comentário

-Publicidade-
Exclusivo para assinantes.