RJ investiga se outros 40 presos saíram com alvará falso

Inquérito surgiu depois de um traficante deixar a cadeia beneficiado pela irregularidade
-Publicidade-
Desembargador desconfiou da forma como os detentos deixaram a cadeia
Desembargador desconfiou da forma como os detentos deixaram a cadeia | Foto: Divulgação/Agência Brasil

A Secretaria Estadual de Administração Penitenciária do Rio de Janeiro está fazendo um “pente-fino” nos alvarás de soltura cumpridos desde setembro de 2020. Pelo menos 43 casos estão sendo investigados, conforme noticiou a TV Globo, no domingo 14. Isso porque o traficante João Filipe Barbieri deixou a penitenciária de Bangu, na Zona Oeste do Rio de Janeiro, com um documento falso. O criminoso não foi o único. Em novembro do ano passado, Gilmara Monique Amorim saiu pela porta da frente de uma cadeia, em Niterói (RJ), usando a mesma estratégia. Ela é condenada a mais de 18 anos de prisão por sequestro e assalto a banco. A investigação dos alvarás começou depois de um desembargador desconfiar da forma que foram liberados João Felipe Barbieri, dia 18 de novembro, e outro detento, João Victor Roza.

Telegram
-Publicidade-
* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais à equipe da publicação, a outro usuário ou a qualquer grupo ou indivíduo identificado. Caso isso ocorra, nos reservamos o direito de apagar o comentário para manter um ambiente respeitoso para a discussão.

Envie um comentário

Conteúdo exclusivo para assinantes.

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Revista OESTE, a primeira plataforma de conteúdo cem por cento
comprometida com a defesa do capitalismo e do livre mercado.

Payment methods
Security site
Gostou da Leitura?

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Payment methods
Security site