Roteirista oferece emprego apenas para pretas ou indígenas

'Não estou tirando as chances de ninguém', disse a contratante
-Publicidade-
Déia Freitas é apresentadora do <i> podcast Não inviabilize</i> | Foto: Divulgação/Déia Freitas
Déia Freitas é apresentadora do podcast Não inviabilize | Foto: Divulgação/Déia Freitas

podcaster e roteirista Déia Freitas abriu um processo seletivo feminino para oferecer emprego apenas para pretas ou indígenas. O caso gerou polêmica nas redes sociais devido ao edital não contemplar homens, além de brancos.

Segundo a contratante, a iniciativa não é preconceituosa, mas sim uma forma de dar chances a pessoas invisíveis na sociedade, segundo a mulher. Ela garante que a iniciativa vai continuar, apesar das críticas que recebeu na internet.

“Não tem cabimento isso. Por que eu tenho que abrir essa vaga para pessoas brancas?”, disse Déia, em entrevista ao jornal Folha de S.Paulo, publicada na terça-feira 11. “Não estou tirando as chances de ninguém”.

-Publicidade-

Atualmente, o Brasil tem 13 milhões de desempregados, conforme a mais recente pesquisa do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

No mesmo levantamento, o IBGE informou que os que deixaram de procurar um emprego chegam 5 milhões.

Repercussão do emprego apenas para pretas ou indígenas

Sem explicar por que, menos de 24 horas depois de anunciar a vaga, Déia afirmou que perdeu acesso ao e-mail destinado a receber currículos. Conforme ela, havia aproximadamente 60 pessoas aguardando ser chamadas.

A vaga anunciada pela podcaster é para assistente de roteiro. O contrato de quatro meses previa uma remuneração de R$ 22 mil, pagos em parcelas de R$ 5 mil, mais um bônus de R$ 2 mil ao fim do contrato.

O anúncio de Déia se destinava a: “Mulheres cis (que nasceram do sexo feminino), mulheres trans, travesti”; “somente pretas, pardas e indígenas”. Também dizia: “a vaga contempla também mulheres com deficiência” e “pode mãe solo, pode casada, pode solteira, pode tico-tico no fubá, pode hétero, pode lésbica, pode bi, pode tudo, isso não é importante para a vaga”.

As críticas ao perfil do candidato que ela buscava para a vaga não veio de conservadores, segundo Déia. “Vêm de pessoas brancas aparentemente do mesmo lado que eu”, observou. “Meu post foi parar até em grupo de feministas radicais, que me acusaram de querer contratar homens, em referência ao fato de o anúncio dar prioridade a travestis e mulheres trans”.

Outros casos

Em setembro de 2020, o Magazine Luiza causou polêmica ao anunciar que só aceitaria candidatos negros em seu programa de trainees de 2021. A decisão da empresa abriu um disputa entre os que elogiam a medida e aqueles que acusam a Magalu de “racismo reverso” com brancos.

A juíza do Trabalho Ana Luiza Fischer Teixeira de Souza Mendonça escreveu em seu perfil no Twitter: “Discriminação na contratação em razão da cor da pele: inadmissível”. “Na minha Constituição, isso ainda é proibido”, prosseguiu a juíza, ao responder um comentário feito na publicação.

-Publicidade-
* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais.

29 comentários Ver comentários

  1. Não usando verba pública, via lei qualquer, contrate quem ela quiser.
    Agora, imagine um empresa qualquer anunciando que só vai contratar brancos e de ascendencia nórdica para ver o que acontece.
    Essa senhora e todos que se comportam dessa maneira é que são os verdadeiros preconceituosos.

  2. Notem, qdo nós, pessoas normais, que andamos por aí, seja trabalhando, com a família, com amigos, de um lado para o outro, NUNCA nos importamos com a cor da pele das pessoas que nos relacionamos, porque o povão não liga pra essas coisas, o que vale é a pessoa ser gente boa e se tem vergonha na cara ou não, independente da cor da pele, o maior preconceito está na mente suja de pessoas como esta mulher horrorosa, essa gente só pensa nisso o tempo todo, além é claro, de estar sempre atrás de arrumar uma boquinha e trazer uma grana pública pra fazer esses filmes merdas.

  3. Competência não serve de nada para essa gente. Contrata a primeira cabeça de bagre que aparecer só para lacrar e nada mais. Azar o dela.

  4. Se der de cara com esta figura numa rua escura à meia-noite, vou morrer de medo achando que é algum tipo de monstro, esta noite acho que não vou conseguir dormir, vade retro satana

  5. Dna. Déia Freitas.
    Resolveu aparecer e se promover não é?
    A senhora pode escolher entre os candidatos, quem a sua cabecinha acha, mesmo o anuncio sendo para todos os seres humanos.
    A seletividade é só para aparecer. Bobo eu em comentar e te dar espaço.

  6. Fiquie preocupado mesmo quando vi na novela das 9, uma branca se olho azul como empregada domestica, pensei logo: vixe essa roubou o emprego de uma minoria.

  7. Acho que se ela vai pagar com o dinheiro dela, pode escolher quem quiser para trabalhar. Se prefere pessoas negras ou indígenas, é questão de gosto pessoal. Mas se eu fizesse uma seleção para alguém trabalhar de secretária para mim e colocasse como condição ser mulher branca, alta e loira, aposto que seria uma gritaria infernal.

  8. Não critico, acho apenas que esta liberdade para escolher o perfil que quer contratar seja estendido a todos e que ninguém reclame também quando houver anúncios de vagas apenas para loiras altas de olhos azuis ou apenas para homens brancos saudáveis e sem frescuras aparentes!

  9. Dra. juíza do Trabalho Ana Luiza Fischer, acredite, em breve, a Corte Mais Suprema do Planeta vai resolver que a cidadã da matéria está correta e determinará aplicação universal.
    E quem ousar discordar, ainda que em pensamento, vai direto pro xilindró.
    A subordinação não é à Constituição, mas à agenda progressista. Há tempos.

  10. No meu entendimento, ela emprega quem ela quiser. Agora, se isso irá resolver o problema dela já são outro quinhentos. O dinheiro que ela captou para esse “investimento” vem da Rouanet? Isso é que tem que ser visto.

    1. Achei engraçado, alguem ai tem visto qq propaganda ou promoção na internet q usou um branco ou uma branca? Até promoção de escolas caras tem a face da minoria…. enfim, não uso produtos mesmo, sou imune a propagandas. Sou pobre.

  11. Não está prejudicando ninguém … sei … para “reparar” preconceito, provoca mais preconceito, isso não é justiça, isso e vingança, lacração, doença! Entre um ator branco muito bom e um negro medíocre, ela preferirá o medíocre por causa da cor, muito sensata, m e u s p a r a b é n s 🙄🤢

  12. se não tiver dinheiro público, pode contratar até para dá o cool. Chega de Estado intervir em tudo. Por mim nem existiria CLT, vc tem um sócio oculto e nem sabe!!!!

Envie um comentário

Conteúdo exclusivo para assinantes.

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Revista OESTE, a primeira plataforma de conteúdo cem por cento
comprometida com a defesa do capitalismo e do livre mercado.

Meios de pagamento
Site seguro
Seja nosso assinante!

Reportagens e artigos exclusivos produzidos pela melhor equipe de jornalistas do Brasil.