São Paulo obriga assinatura de termo para quem tomar Pfizer no lugar de AstraZeneca

Documento começou a ser entregue na segunda-feira 13, primeiro dia do 'intercâmbio' de vacinas na capital paulista
-Publicidade-
Intercâmbio de vacinas já começou na cidade de São Paulo
Intercâmbio de vacinas já começou na cidade de São Paulo | Foto: Divulgação/Unsplash

A prefeitura de São Paulo está obrigando os cidadãos que tomaram a vacina contra a covid-19 da Pfizer como segunda dose, em substituição à da AstraZeneca (que está em falta nos postos de saúde de capital), a assinarem um termo de compromisso no qual manifestam estarem “cientes” e “de acordo” com o chamado “intercâmbio de vacinas”.

O termo começou a ser entregue na segunda-feira 13, primeiro dia de vacinação com a Pfizer das pessoas que tomaram AstraZeneca como primeira dose.

Leia mais: “Depois de duas semanas, Fiocruz retoma entrega de vacinas à Saúde”

-Publicidade-

A imunização na capital paulista começou ontem por volta das 14 horas. No primeiro dia do intercâmbio vacinal, segundo a prefeitura, foram aplicadas 49.162 doses de Pfizer em pessoas que deveriam tomar a AstraZeneca.

Leia também: “SP começa a vacinar com Pfizer quem tem 2ª dose da AstraZeneca atrasada”

Em nota, a administração municipal informou que segue as diretrizes estabelecidas pelo Programa Estadual de Imunização (PEI) do governo paulista. A autorização para a mistura de vacinas e as instruções para o procedimento foram publicadas no dia 11 de setembro.

Leia também: “STF obriga governo a entregar vacinas exigidas por Doria”

Telegram
-Publicidade-
Conteúdo exclusivo para assinantes.

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Revista OESTE, a primeira plataforma de conteúdo cem por cento
comprometida com a defesa do capitalismo e do livre mercado.

Meios de pagamento
Site seguro
Gostou da Leitura?

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Meios de pagamento
Site seguro