Revista Oeste - Eleições 2022

SP aplica multa de R$ 27 mil a mulher que ‘furou’ fila da vacina

Ela tinha sido imunizada com duas doses da CoronaVac, mas estava insegura e resolveu tomar a vacina da Janssen
-Publicidade-
A lei, que prevê multa de R$ 100 mil para quem furar a fila de vacinação no Estado de São Paulo, entrou em vigor em fevereiro de 2021
A lei, que prevê multa de R$ 100 mil para quem furar a fila de vacinação no Estado de São Paulo, entrou em vigor em fevereiro de 2021 | Foto: Reprodução/Redes Sociais

A Secretaria da Justiça de São Paulo determinou a aplicação da primeira multa contra uma pessoa por furar a fila da vacinação contra a covid-19. Com a decisão, irrecorrível no âmbito administrativo, a veterinária Jussara Sonner agora tem um prazo de 30 dias para pagar pouco mais de R$ 27 mil.

A veterinária completou o esquema vacinal com duas doses da CoronaVac em fevereiro e março de 2021, em uma unidade de saúde de Guarulhos, na Grande São Paulo. Mesmo assim, tomou a dose única da Janssen em outro posto três meses depois por vontade própria. Segundo a Secretaria da Justiça, a dose de reforço começou a ser recomendada só em setembro do ano passado, depois da fraude cometida pela veterinária.

Nas redes sociais, na época, Jussara disse que estava incomodada por ter sido imunizada apenas com a CoronaVac. “Sei que nenhuma vacina é totalmente segura, pois não houve tempo para realização dos testes”, escreveu. “Esperei três meses e hoje consegui tomar a Janssen. Agora me sinto mais protegida.”

-Publicidade-

A lei, que prevê multa de R$ 100 mil para quem furar a fila de vacinação no Estado de São Paulo, entrou em vigor em fevereiro de 2021. De acordo com o secretário estadual da Justiça, Fernando José da Costa, a veterinária é a primeira pessoa, de fato, condenada a pagar uma multa com base nessa infração, por não haver mais a possibilidade de interposição de recurso no âmbito administrativo.

Em janeiro deste ano, a veterinária tinha recebido a mesma penalidade por parte da Comissão Especial Integrada da Vacinação da Secretaria da Justiça, que investigou o caso. “A infratora não apresentou argumentos que demonstrassem o seu arrependimento ou mesmo justificativa para passar na frente de outras pessoas que eram prioritárias na fila de vacinação à época”, explicou o secretário.

“Tratar substâncias como seguras é um escândalo”

“Prossegue a insanidade das vacinas experimentais de covid, com a anuência/complacência de autoridades, médicos, jornalistas, milícias checadoras e outros irresponsáveis que terão de responder por sua conivência com essa violência, mais cedo ou mais tarde. Enquanto isso, vamos vendo o que se tornou proibido ver: os efeitos adversos graves pós-‘vacina’ de covid.

Tratar como seguras substâncias que não têm seus estudos de segurança concluídos é um escândalo. E é o que faz a propaganda dominante, oficial ou não. Mas o delito é ainda mais grave: diante de reações adversas coincidentes com a aplicação da ‘vacina’ de covid, cuja investigação seria essencial ao menos para se iniciar o real dimensionamento dos riscos, as autoridades viram as costas.”

É o que afirma Guilherme Fiuza na reportagem “O enigma da mielite transversa” publicada na edição 114 da Revista Oeste

-Publicidade-
* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais.

6 comentários Ver comentários

  1. O resto do mundo brigando pra não tomar essa porcaria e muitos brasileiros brigando e pagando pra tomar. “Eh, eh, eh vida de gado, povo marcado e povo feliz”.

  2. O que deveria ser feito, seria aumentar a multa em dobro, primeiro por passar na frente de outras pessoas, segundo, como veterinária, portanto ligada à área da saúde e em terceiro lugar, prá deixar de ser imbecil, por acreditar nessas porcarias.
    “Sei que nenhuma vacina é totalmente segura, pois não houve tempo para realização dos testes”, imagine então se soubesse que a tal da vacina era segura.

  3. O termo imunizado é errado, mesmo porque não imuniza, antes não tivesse tomado, mas cada um arrisca sua vida como quer, tomando ou não tomando.

Envie um comentário

Conteúdo exclusivo para assinantes.

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Revista OESTE, a primeira plataforma de conteúdo cem por cento
comprometida com a defesa do capitalismo e do livre mercado.

Meios de pagamento
Site seguro
Seja nosso assinante!

Reportagens e artigos exclusivos produzidos pela melhor equipe de jornalistas do Brasil.