Técnico da Anvisa explica como funciona remédio anticovid aprovado pela agência

Autarquia liberou uso emergencial do Regkirona
-Publicidade-
A medicação injetável é de uso restrito a hospitais
A medicação injetável é de uso restrito a hospitais | Foto: Volodymyr Hryshchenko / Unsplash

Os brasileiros terão mais uma ferramenta para enfrentar o coronavírus: o medicamento Regkirona, conhecido como regdanvimabe na comunidade científica. Na quarta-feira 11, a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) aprovou o uso emergencial da droga na luta contra a covid-19.

“São anticorpos sintéticos que fazem com que o vírus não consiga mais se replicar”, explicou Gustavo Mendes, gerente de Medicamentos da Anvisa, em entrevista à CNN Brasil. “O Regkirona tem de ser utilizado em pessoas que já estão contaminadas, nos casos leves e moderados”, acrescentou.

Mendes diz que o fármaco não deve ser administrado no tratamento de quadros graves da doença por haver registros de piora da situação clínica dos pacientes. “Para quem está hospitalizado, precisando de oxigenação suplementar, nós não vimos benefício.”

-Publicidade-

A medicação injetável é de uso restrito a hospitais, voltado a programas de saúde pública, conforme Mendes. Ele afirmou ainda que o remédio precisa ser usado somente depois de teste positivo para a infecção pelo novo coronavírus, no prazo de sete dias após o início dos sintomas.

Leia também: “A solução que venceu a ideologia”, reportagem publicada a Edição 3 da Revista Oeste

Telegram
-Publicidade-
Conteúdo exclusivo para assinantes.

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Revista OESTE, a primeira plataforma de conteúdo cem por cento
comprometida com a defesa do capitalismo e do livre mercado.

Meios de pagamento
Site seguro
Gostou da Leitura?

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Meios de pagamento
Site seguro