União Europeia: ‘Políticos não podem culpar a Ucrânia pela guerra’

Recentemente, Lula afirmou que o presidente ucraniano também era responsável pelo conflito
-Publicidade-
Ignacio Ybáñez, embaixador da União Europeia no Brasil
Ignacio Ybáñez, embaixador da União Europeia no Brasil | Foto: Reprodução

A União Europeia afirmou que os políticos não podem culpar a Ucrânia pela guerra com a Rússia.

Em entrevista ao site Poder360 nesta segunda-feira, 16, o embaixador do bloco econômico no Brasil, Ignacio Ybáñez, disse ser preciso “respeito à realidade” nos discursos políticos.

“Quando um país agride outro, não se pode colocar agressor e agredido no mesmo nível”, afirmou Ybáñez. “Não é possível isso acontecer em uma sociedade, no âmbito privado e muito menos no ponto de vista internacional”, completou.

-Publicidade-

Ybánez repetiu várias vezes ser a Rússia o país que deliberadamente decidiu romper com o direito internacional e agredir um país independente e soberano. O governo e a população da Ucrânia, diante da agressão, reagem de forma admirável ao invasor, em sua opinião.

“Aqui há um único culpado, que é a Rússia”, afirmou. “O agressor tem de parar de agredir.”

Recentemente, uma declaração do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva sobre a guerra Rússia–Ucrânia não foi bem recebida pela União Europeia. O pré-candidato do PT ao Planalto afirmou à revista Time que o líder ucraniano, Volodymyr Zelensky, também é responsável pelo conflito.

-Publicidade-
* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais.

2 comentários Ver comentários

  1. Apesar do sr. Lula SEMPRE falar coisas falsas, sem nexo, sim, o entrevistado, pelo “Poder360”, um site à esquerda, está errado. Se for ver pelo lado de “quem agrediu primeiro”, foi a Ucrânia, sim, em 2014, quando o grupo que está no poder desde então, passou a agredir cidadãos russos, e de origem russa, nos enclaves da fronteira com a Rússia. O líder russo, Putin, vem condenando a agressão ( com mortes de crianças, inclusive ), que os radicais ucranianos vêm provocando às pessoas russas, que querem se unir à Russia, nos locais citados. Repito: isso acontece desde 2014. O grande problema das pessoas é serem parciais e correr para eleger mocinhos e bandidos em uma guerra. Isso acontece com o povo dito comum, e com os tais “analistas internacionais ” de conflitos. No caso, os dois lados estão errados, os dois lados, como em todas as guerras, provocam atrocidades, mas os ucranianos, se o leitor daqui tiver paciência em pesquisar várias fontes, não apenas os que escolhem lados; descobrirá que estes vêm cometendo várias atrocidades aos civis que não estão ao lado do Ucrânia, nessa guerra. Lembro sempre do tal Batalhão Azov, nazista ( sim, eles usam símbolos do nazismo, como já provou um coronel suíço em longa reportagem que li ), persegue e mata cidadãos de origem russa, contrário à manutenção das suas cidades à bandeira da Ucrânia. É muito raso dizer que quem invade é o culpado, baseado apenas no início do conflito, em fevereiro deste ano. Nessa guerra, há muitos interesses econômicos da OTAN, UE, UN, US, etc., que nada fizeram para evitar a guerra, pois a Rússia não invadiu de repente, do nada. Putin fez várias advertências ao “líder” ucraniano, que inclusive esteve ao lado dos massacres contra os moradores russos, em 2014.

Envie um comentário

Conteúdo exclusivo para assinantes.

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Revista OESTE, a primeira plataforma de conteúdo cem por cento
comprometida com a defesa do capitalismo e do livre mercado.

Meios de pagamento
Site seguro
Seja nosso assinante!

Reportagens e artigos exclusivos produzidos pela melhor equipe de jornalistas do Brasil.