Universidade federal divulga filme sobre comunismo e manual em linguagem neutra

Conteúdo chegou ao e-mail de servidores e alunos por um canal oficial da instituição de ensino, que se explicou
-Publicidade-
Página de abertura do manuel de 'caloures' de federal no Paraná | Foto: Reprodução
Página de abertura do manuel de 'caloures' de federal no Paraná | Foto: Reprodução

Um manual em linguagem neutra e um filme sobre comunismo foram enviados a servidores e alunos do campus Curitiba da Universidade Tecnológica Federal do Paraná (UTFPR). O material chegou por meio de um canal oficial da instituição com o título “Movimento por uma Universidade Popular”.

No e-mail, um convite pede que os destinatários assistam ao documentário Educação em Movimento, que trata de “experiências de ensino popular” sobre a América Latina. A íntegra da obra está disponível no site do MST. A sessão vai ocorrer em 18 de maio, nas dependências da UTFPR, no Bloco E, sala 306.

Ainda no texto, há menções à necessidade de uma “universidade da e para a classe trabalhadora”. O e-mail sugere ainda a leitura de uma cartilha em linguagem neutra que não esclarece se é sobre o movimento ou a UTFPR: “Aproveite para olhar o Manual dos Caloures e conhecer nossas pautas”.

-Publicidade-

Manual em linguagem neutra

Ilustrada com imagens do revolucionário Vladimir Lenin, do guerrilheiro Che Guevara, do escritor Paulo Freire, da feminista Frida Kahlo e outras personalidades de extrema esquerda, a cartilha em fundo vermelho com tons de vinho saúda os alunos com um “bem vindes (sic) à UTFPR”.

Adiante, há uma frase do comunista cubano Julio Antonio Mella: “O que caracteriza a revolução universitária é seu desejo de ser um movimento social, de compenetrar-se da alma e das necessidades dos oprimidos, de sair do lado da reação, passar à terra de ninguém, e juntar-se valente e nobremente às fileiras da revolução, na vanguarda do proletariado.”

O texto de introdução identifica os estudantes recém-chegados como caloures todes. A cartilha também resume o que é o ajuntamento que a criou. “O Movimento por uma Universidade Popular (MUP) é um movimento nacional que é novo na UTFPR. Nos organizamos para pensar e lutar por um modelo de universidade para a classe trabalhadora”, informa trecho da cartilha. “Professores, funcionários e alunos podem construir um MUP conosco.”

Nota da instituição

“Esclarecemos que este material não é institucional e não representa de maneira alguma a UTFPR campus Curitiba ou a Instituição. A informação foi enviada sem a devida autorização e medidas administrativas serão tomadas com relação a essa ação. Pedimos desculpas pelos transtornos. Não é, com certeza, de nenhum projeto nosso e desconhecemos esse movimento.”

Leia também: “A lavagem cerebral nas salas de aula”, reportagem publicada na Edição 108 da Revista Oeste

-Publicidade-
* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais.

32 comentários Ver comentários

  1. Duvido que o filme diga que o comunismo tenha matado mais de 100 milhões de pessoas! Que tenha feito muitas mulheres e crianças bater o récord mundial de caminhar, andar, correr, se esconder ….migrar.

  2. Sou egresso do Cefet-PR (Utfpr) cuja excelência no ensino era devido a disciplina, ordem e principalmente aos professores que se dedicavam a ensinar conteúdo é não fazer política.
    É triste saber que a esquerda também já tomou conta dessa universidade. Não por ser esquerda ou direita, mas por saber que as pautas da esquerda não trazer progresso, avanço, desenvolvimento. Então imagine o estrago que essas pautas trarão numa universidade TECNOLÓGICA. Ao invés de ensinar cálculo, física estão ensinando tudes, nudes, Paulo Freire.

  3. Serão tomadas medidas administrativas em relação a essa ação 🤔 quero só ver, pra m é conversa fiada, não vão dar em nada, é tudo uma máfia esquerdista,as, tomara que eu esteja errada, pelo bem da mentalidade futura dos alunos 🙏

  4. Vocês pais que tem filhos em idade escolar e universitária, deveriam começar a prestar mais atenção ao que vem sendo ensinado a seus filhos desde sempre. Não adianta ficarem aqui indignados em saber disso através de um artigo, e não verem o que seus filhos vem recebendo como uma “mensagem do bem” nas Universidades, bancados na grande maioria das vezes por vocês.

  5. Falta de criatividade é mesmo um transtorno. Eles quererem nos assombrar com os fantasmas do comunismo e querem o controle sobre a linguagem para que ninguém ouse pensar diferente. Querem formar pessoas em robôs em vez de seres pensantes.

  6. Engraçado que ‘presidente’ é neutro, mas os acéfalos queriam que fosse ‘presidAnta’…
    Como são patéticos, a falta de banho está contaminando o cérebro…

  7. Do jeito que estao querendo doutrinar as universidades federais, paga com os impostos que mes a mes pagamos, como empresaria nao aceito que uma universidade federal use o espaço para outa finalidade a nao ser formar profissionais, se continuar e melhor fechar esses espaços e os professores militante usarem o espaço do mst.

      1. Reitor dessa universidade sabe direitinho o que está fazendo. Faz parte do plano deles. Essa história de nota para se explicar é balela. Tudo planejado. Algo desse tipo não é disponibilizado à toa, por dentro de um sistema que certamente dispõe de filtros de comunicação. As universidades públicas viraram um celeiro ideológico para este tipo de proselitismo, esse lixo e muitos outros. É um erro grave essa história de autonomia universitária. De novo a formação acadêmica sendo usada para desqualificar as boas virtudes do intelecto e do ser. Se é pública o reitor e conselheiros devem responder segundo ótica das liberdades, do porque querer fomentar bases de sustentação para estabelecer regime de autoritarismo. Isso sim é crime contra soberania brasileira, há um forte indício de crimes contra o povo, contra a Vida.

  8. Usam uma instituição federal, que deveria ensinar educar a juventude brasileira, mantida com os impostos do contribuinte, para fazer militância e apologia ao comunismo, feminismo, e outras porcarias.

  9. Quem dita as regras em universidades federais, agora, é o mst?? Ou fazem uma faxina nesses doutrinadores, ou acaba logo com essas universidades.

Envie um comentário

Conteúdo exclusivo para assinantes.

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Revista OESTE, a primeira plataforma de conteúdo cem por cento
comprometida com a defesa do capitalismo e do livre mercado.

Meios de pagamento
Site seguro
Seja nosso assinante!

Reportagens e artigos exclusivos produzidos pela melhor equipe de jornalistas do Brasil.