Universidades federais suspendem retorno às aulas

Aumento de casos de covid-19 modificou os planos de retomada das aulas
-Publicidade-
<i>Campus</i> da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ)
Campus da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) | Foto: EBC

As universidades federais do Rio de Janeiro (UFRJ), de Santa Catarina (UFSC) e de Lavras (UFLA), em Minas Gerais, suspenderam o retorno das aulas presenciais.

As decisões foram motivadas pelo aumento de casos de covid-19.

UFRJ

-Publicidade-

A reitoria da UFRJ, maior instituição federal de ensino do Brasil, anunciou a medida na quinta-feira 6. As atividades da universidade estavam parcialmente presenciais, mas a decisão estabelece a volta ao remoto até o dia 31 deste mês.

“A UFRJ está monitorando a evolução da variante Ômicron e, tão logo a situação melhore, informará sobre a possibilidade de retorno das atividades presenciais”, informou a reitoria em nota.

A retomada do presencial na UFRJ começou em novembro para atividades práticas e trabalhos de campo da graduação, pós-graduação e extensão. O plano para as aulas teóricas da instituição, previstas para retornar ao presencial em abril, permanece.

UFSC

A Universidade Federal de Santa Catarina suspendeu a retomada das atividades presenciais por tempo indeterminado.

A volta, que incluía o retorno ao trabalho presencial de todos os servidores que não são do grupo de risco da covid-19, aconteceria a partir da segunda-feira, 10.

Entretanto, a instituição alega que o crescimento dos casos da covid-19, com confirmação da presença da Ômicron no Estado, levou à suspensão.

Segundo nota da UFSC, Santa Catarina vive uma “explosão de casos” com busca alta de atendimentos nos hospitais que justificam a medida.

“A universidade segue com os esforços a fim de proteger a comunidade universitária. Sempre agiremos respeitando a ciência e preservando vidas, é isso que estamos fazendo nesse momento”, explicou a reitoria da UFSC.

UFLA

A UFLA, localizada no município de Lavras, em Minas Gerais, emitiu nota na sexta-feira 7, suspendendo as aulas presenciais até o dia 29 deste mês.

A instituição afirmou que o cenário epidemiológico do município vai ser analisado constantemente nos próximos dias para basear novas decisões.

Associação ainda não tem decisão

A Associação Nacional de Dirigentes de Instituições Federais do Ensino Superior ainda não concluiu nenhum posicionamento sobre o cenário atual.

“Estamos debatendo e analisando os dados para elaborar diretrizes e recomendações no processo de retorno para que possamos publicar um documento”, informou.

-Publicidade-
* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais.

14 comentários Ver comentários

  1. Uê mas se estão todos vacinados por que suspender aulas? No inicio foi dito bem claramente que estas vacinas não funcionavam contra a Omicrom, pois o virus sofreu mutações importantes.Agora eles dizem que se tomar a 3 ,4 e 5 dose ai funciona kkkkkk, não existe isto ou funciona ou não!! aumentar a dose não vai mudar a formula e tem muita mulinha ai que já embarcou nesta nova narrativa. E vamos vender vacina pros alieneitors, mais um ano perdido sem estudo kkk imagina o que vamos formar….

  2. 2Ts 3:10  Porque, quando ainda convosco, vos ordenamos isto: se alguém não quer trabalhar, também não coma. 

    Corta o salário deles para ver se não voltariam no outro dia!
    Se falta de lockdown fosse gerar crise todos os presos estariam mortos.
    As escolas na China não pararam, mesmo as das crianças. Por que ninguém fala nisso aqui? Seria porque eles só servem para gerar a propaganda inicial e implantar a agenda para quebrar os outros, depois seguem a vida normalmente?

  3. Toda aquela perseguição ao Weintraub na época que era ministro se explica agora dia a dia, pois ele foi o ÚNICO a não ser conivente com essa patifaria que fizeram das instituições públicas de ensino deste país. De lá pra cá, só cara fraco e sem expressão, que permitem a doutrinação sem sequer dar um pio.

  4. Tem De vender logo essas Instituição de Merda e Demitir esses BURGUES QUE JÁ ROUBAM MAIS DE 8MIL DA POPULACÃO TODO MÊS, DEVIAM COMEÇAR A DEMITIR OS BURGUESES NAS LISTAS DOS SINDICATOS COMO SINDICEFET

  5. Essas federais precisam de um limpeza urgente, um antro de fumeiros e baderneiros, produção mesmo nada é nosso dinheiro que poderia ser melhor usado sendo gasto com inúteis, pobre educação …

  6. Os bozoloides falam em renovação do congresso mas sabem que juntando todos os escritos bolsonaristas de todas as valetas do Brasil não chega a 20% da população,e a milícia já tem centenas de representantes no congresso, que jamais largarão a teta. O máximo que os bolsoafetivos podem fazer é tirar um bozoloide e colocar outro no lugar

  7. Só quem viu como ficou um DA ou andou no campus dessa terra improdutiva sabe que é um lugar em que jogaram sal e nada florescerá, viva a derrocada da URSS.

Envie um comentário

Conteúdo exclusivo para assinantes.

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Revista OESTE, a primeira plataforma de conteúdo cem por cento
comprometida com a defesa do capitalismo e do livre mercado.

Meios de pagamento
Site seguro
Seja nosso assinante!

Reportagens e artigos exclusivos produzidos pela melhor equipe de jornalistas do Brasil.