Voto impresso: implantação custa menos de R$ 4 por eleitor

"Queremos mudar o sistema eleitoral a partir de 2022 com a volta do voto impresso", afirma Bolsonaro
-Publicidade-
Presidente da República, Jair Bolsonaro | Foto: Carolina Antunes/PR
Presidente da República, Jair Bolsonaro | Foto: Carolina Antunes/PR

“Queremos mudar o sistema eleitoral a partir de 2022, com a volta do voto impresso”, afirma Bolsonaro

Bolsonaro
Presidente da República, Jair Bolsonaro | Foto: Carolina Antunes/PR
-Publicidade-

O custo da implantação de urnas com votos impressos no Brasil não chega a R$ 4 por eleitor, a cada eleição. Em 2017, quando a medida estava em via de ser adotada, o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) estimou o custo total da transição em R$ 2,5 bilhões, e ela poderia ser feita em dez anos. No país existem cerca de 140 milhões de eleitores que comparecem às urnas a cada dois anos. Em uma década, portanto, ocorrem cinco processos eleitorais. Ao dividir o valor estimado pelo TSE pela soma de eleitores em cada disputa, o custo será de aproximadamente R$ 3,60 por voto.

Durante a live semanal realizada na última quinta-feira, 5, o presidente Jair Bolsonaro afirmou que deseja a adoção da medida já no próximo pleito. “Queremos mudar o sistema eleitoral a partir de 2022, com a volta do voto impresso”, afirma Bolsonaro.

O uso do voto impresso foi aprovado na minirreforma eleitoral de 2015 e deveria ter sido iniciado em 2018. No entanto, o Supremo Tribunal Federal considerou a medida inconstitucional.

Leia também: “A Justiça Eleitoral é coisa nossa”, reportagem na edição 32 da Revista Oeste

Na reforma aprovada, o registro do voto em papel seria feito por impressoras acopladas às urnas. O eleitor não poderá tocar ou levar o voto impresso para casa. Após digitar o número do candidato na urna eletrônica, será possível conferir em um visor de acrílico o voto, que cairá em uma urna lacrada, e poderá ser usado em caso de pedido de recontagem.

 

Telegram
* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais à equipe da publicação, a outro usuário ou a qualquer grupo ou indivíduo identificado. Caso isso ocorra, nos reservamos o direito de apagar o comentário para manter um ambiente respeitoso para a discussão.

10 comments

  1. Com o Barrroso Boca de Veludo no TSE é melhor ter todas as garantias possíveis. Ele já está articulando há tempos uma estratégia para fraudar as próximas eleições.

    1. Devia articular um tiro na fuça desse michê de george soros(vulgo gyorgy schwartz.) Mandar esses 2 pro inferno pra fazer uma suruba com o kahpeta!

  2. Sim, precisamos exigir o voto impresso já para a eleição de 2022. Os Ministros decidiram ser inconstitucional porque pensaram que o eleitor poderia manipular o papel. Como isso não ocorrerá, cai a decisão deles automaticamente.

  3. Antes de instituir o voto impresso. o que é altamente recomendável, é necessário trocar o software das urnas eletrônicas e retirar seu gerenciamento da empresa venezuelana . Sem isso, nada irá mudar, a possibilidade de fraude é giganatesca.

  4. Só uma pergunta: Se os USA tivesse urnas apenas eletrônicas como agora seria possível a recontagem ou auditoria do resultado? Voto impresso é o único meio de auditar ou recontar votos. Quem diz que as urnas eletrônicas são totalmente invioláveis, ou desconhece, ou fala de má fé. Só um exemplo: O suftware das urnas podem ser modificados para um resultado desejado. Nada é totalmente seguro. NADA. Veja que hakars já entraram até no sistema do pentágono.

Envie um comentário

-Publicidade-
Conteúdo exclusivo para assinantes.

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Revista OESTE, a primeira plataforma de conteúdo cem por cento
comprometida com a defesa do capitalismo e do livre mercado.

Payment methods
Security site
Gostou da Leitura?

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Payment methods
Security site