Cabral é ouvido pela Lava Jato novamente hoje - Revista Oeste

Edição da semana

Em Em 26 out 2020, 12:00

Cabral é ouvido pela Lava Jato novamente hoje

26 out 2020, 12:00

Ex-governador do Rio, ex-chefe de gabinete dele, Wilson Carlos, e ex-presidente da Fecomercio-RJ Orlando Diniz depõem sobre desvios de R$ 10 milhões

sergio cabral, operação jabuti, operação lava jato, fecormercio-rj, orlando diniz, wilson carlos, sistema s, desvios, corrupção, marcelo bretas

O ex-governador do Rio Sérgio Cabral será ouvido pela Lava Jato mais uma vez
Foto: Governo do Estado do Rio de Janeiro

Condenado a mais de 300 anos de prisão pela Operação Lava Jato, o ex-governador do Rio de Janeiro Sérgio Cabral volta a depor numa investigação relacionada a ela — a Operação Jabuti — nesta segunda-feira, 26.

Além de Cabral, o ex-chefe de gabinete dele, Wilson Carlos, e o ex-presidente da Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (Fecormercio-RJ) Orlando Diniz também devem ser ouvidos pelo juiz Marcelo Bretas, da 7ª Vara Federal do Rio de Janeiro.

Os três devem contar à Justiça sobre o suposto desvio de R$ 10 milhões em recursos públicos da entidade.

De acordo com o Ministério Público Federal (MPF), na época da gestão de Sérgio Cabral, a Fecomercio chegou até mesmo a contratar funcionários-fantasma, entre eles parentes e operadores ligados ao ex-governador.

Durante a Operação Jabuti constatou-se a contratação de escritórios de advocacia com verbas públicas federais do Sesc e do Senac, o que originou a Operação Esquema $, deflagrada em setembro deste ano.

Segundo informações do MPF, dos R$ 355 milhões gastos pelo sistema, R$ 150 milhões foram desviados. A Polícia Federal fez buscas em escritórios de advocacia famosos, como os de Cristiano Zanin e Roberto Teixeira, defensores do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva; Ana Tereza Basílio, advogada do governador afastado do Rio Wilson Witzel; e Frederick Wassef, ex-advogado da família Bolsonaro. Todos criticaram a operação, alegando que prestaram serviços legalmente e que a operação foi um abuso de autoridade.

TAGS

*O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais à equipe da publicação, a outro usuário ou a qualquer grupo ou indivíduo identificado. Caso isso ocorra, nos reservamos o direito de apagar o comentário para manter um ambiente respeitoso para a discussão.

0 comentários

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Assine a nossa newsletter

Colunistas

O império dos sem-voto

Há cada vez mais pessoas que nunca receberam um único voto na vida, e não têm mandato nenhum, dizendo o que o cidadão deve ou não deve fazer

O mal de roupa nova

O Partido Democrata não esconde as intenções: quer mais coletivismo, menos autonomia dos Estados, maior controle exercido pelo Executivo central e intervenção na economia

A nova Torre de Babel

Ao contrário do mito bíblico, a torre atual está sendo edificada com base na confusão proposital das palavras por indivíduos desprovidos de inteligência e coragem

Segundo turno nupcial

“Ué, você tá torcendo pra mim?” / “Não sei. Estou indeciso”

A imprensa morre no escuro

A atividade que já foi chamada de “quarto poder” escorrega perigosamente para a irrelevância

O resgate de Tocqueville

O desprezo pelo cristianismo, tão comum em meios “progressistas”, representa um perigoso afastamento dos pilares norte-americanos

A coerção e o coronavírus

A necessidade de restrições ocasionais não deve abalar os fundamentos do verdadeiro liberalismo, sustentado no “inovismo” e no “adultismo”

Uma nova doença: o vício em desculpas

Poucas figuras públicas têm a força de caráter para se recusar a pedir desculpas aos identitaristas, que gostam de desempenhar o papel de vítimas permanentes

Você não pode perder

A VOZ DAS REDES

Uma seleção de tuítes que nos permitem um olhar instigante do mundo, ajudam a pensar e divertem o espírito

LEIA MAIS

Oeste Notícias

R$ 19,90 por mês