Caças Gripen chegam ao Brasil como marco 'antivenezuelização'

Edição da semana

Em 22 set 2020, 14:30

Caças Gripen chegam ao Brasil como marco ‘antivenezuelização’

22 set 2020, 14:30

Compradas pelo governo de Dilma Rousseff, aeronaves quase foram trocadas por aviões russos que mataram militares no país de Chávez

caças gripen, dilma rousseff, ministério da defesa

Caça Gripen adquirido pelo Brasil em 2013 | Foto: Jorge Cardoso/Ministério da Defesa

Em 2013, a aquisição de 36 caças suecos Gripen foi marcada por muita discussão dentro do governo da então presidente Dilma Rousseff.

Isso porque, até que a decisão realmente fosse tomada, pelo menos três modelos de avião concorriam para fazer parte da defesa aérea brasileira: o americano F18, o russo Sukhoi e o sueco Gripen.

Por questões técnicas, o competidor da Rússia foi eliminado.

Até muito pouco tempo antes da compra, o candidato dos Estados Unidos parecia que sairia vencedor. Contudo, as revelações de Edward Snowden de que o governo norte-americano bisbilhotava a petista e sua turma fizeram com que o negócio não saísse. E, pior, trouxe de volta o Sukhoi como provável campeão.

A aeronave era usada na Venezuela, assim como helicópteros Mi-35, que também foram comprados pelo Brasil e viviam mais em terra que no ar, por falta de peças de reposição para manutenção.

Na terra de Hugo Chávez, a questão era ainda mais preocupante: os Sukhoi já tinham histórico de quedas e de morte de militares. Um desastre.

Assim, a quase milagrosa opção de Dilma pelos Gripen, pelo módico valor de US$ 4,5 bilhões, foi comemorada pela Aeronáutica como um marco, um passo a mais para longe da Venezuela.

 

TAGS

*O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais à equipe da publicação, a outro usuário ou a qualquer grupo ou indivíduo identificado. Caso isso ocorra, nos reservamos o direito de apagar o comentário para manter um ambiente respeitoso para a discussão.

3 Comentários

  1. Como no mundo político tudo é movido a dindim, desses quase 25 bilhões de reais de custo dos 36 caças, o PT levou uma boa bolada.

    Responder
  2. PETRALHAS têm grana, como bem disse nosso ministro Gilmar Mendes, para financiar campanhas eleitorais durante as próximas décadas. Não era esse o objetivo da cleptocracia social-democrata, na verdade comunistas travestidos de liberais progressistas? 2 são minhas, outras 2 são suas!!Só que FHC sacaneou + 1 X MG, de novo contra os Neves, e deram outro destino á diverticulite do sobrinho de Tancredo Neves, a cadeia.
    Ou a farsa não começou logo após a promulgação da CARTA Frankenstein e COMUNISTA?

    Responder
  3. Faltou contar porquê o caça francês Rafale, anunciado por Lula,foi deixado de lado. Pressão americana com certeza já que não tem nenhuma peça que não seja francesa.

    Responder

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Assine a nossa newsletter

Colunistas

As piores eleições do mundo

A cura para a desgraça que são as eleições brasileiras é um conjunto de meia dúzia de providências simples como a tabuada

EUA — O que está em jogo

Em confronto, duas visões antagônicas sobre temas como geopolítica e comércio internacional, impostos e saúde, clima e energia, China e Oriente Médio

Meio ambiente é causa conservadora

Conservadores não podem se eximir da responsabilidade e reforçar a ideia de que preservação ambiental é pauta da esquerda

O plebiscito dos mentecaptos

Acaba o auxílio emergencial, mas começa a campanha emocionante do Ricardo Barros pelo plebiscito — e emoção é alimento espiritual

Nova Constituição para quê?!

Uma Carta ruim como a nossa deve ser reformada, e não anulada para que outra seja escrita. Essa é a solução conservadora

A coerção e o coronavírus

A necessidade de restrições ocasionais não deve abalar os fundamentos do verdadeiro liberalismo, sustentado no “inovismo” e no “adultismo”

Uma nova doença: o vício em desculpas

Poucas figuras públicas têm a força de caráter para se recusar a pedir desculpas aos identitaristas, que gostam de desempenhar o papel de vítimas permanentes

Você não pode perder

A VOZ DAS REDES

Uma seleção de tuítes que nos permitem um olhar instigante do mundo, ajudam a pensar e divertem o espírito

LEIA MAIS

Revista Oeste — Edição 32 — 30/10/2020

Oeste Notícias

R$ 19,90 por mês