Câmara aprova criação do TRF-6 - Revista Oeste

Edição da semana

Em Em 26 ago 2020, 17:03

Câmara aprova criação do TRF-6

26 ago 2020, 17:03

Novo tribunal federal terá sede em Belo Horizonte e jurisdição no Estado de Minas Gerais; projeto agora segue para o Senado

trf-6, câmara dos deputados, joão otávio de noronha, stj, criação

O ministro João Otávio de Noronha é autor do projeto que cria o TRF-6 | Foto: Emerson Leal/STJ

Em votação simbólica, a Câmara dos Deputados aprovou nesta quarta-feira, 26, a criação do Tribunal Regional Federal da 6ª Região, o TRF-6, que terá sede em Belo Horizonte e jurisdição no Estado de Minas Gerais.

O projeto de lei (PL) agora segue para o Senado e, caso receba aprovação, deve ir para sanção presidencial. Os deputados ainda votam destaques que podem mudar o texto.

A matéria estava para ser votada na Câmara desde o ano passado e tinha como um de seus principais defensores o presidente do Superior Tribunal de Justiça, ministro João Otávio de Noronha, que também é o autor do PL.

No momento, cinco tribunais analisam casos de segunda instância no país. Os casos de Minas Gerais são geridos pelo TRF-1, que também cuida de processos do Distrito Federal e outros 12 Estados.

A criação do TRF-6 entrou e saiu da pauta da Câmara diversas vezes por falta de acordo para a votação. A falta de entendimento se dava por causa dos problemas econômicos trazidos pela pandemia de coronavírus.

“De fato, parece uma incoerência. Estamos preocupados com gasto e vamos criar gasto permanente”, opinou o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), na semana passada. “Respeito quem pensa o contrário, mas haverá aumento de despesa.”

Os deputados favoráveis à criação do tribunal afirmam que não haverá novos gastos, porém estudo do Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea) aponta um custo de R$ 270 milhões ao ano.

Outros membros do Poder Judiciário, como o ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Gilmar Mendes, classificaram a criação do TRF-6 de inoportuna.

“Se não vai ter aumento de despesa, poderia haver uma emenda determinando que o gasto de todos os tribunais no próximo ano será o gasto deste ano corrigido pela inflação apenas”, sugeriu Maia durante a sessão que aprovou o novo tribunal federal. “Com isso, a tese de que não haverá aumento de despesa estará garantida.”

O partido Novo tentou obstruir a sessão e conseguir o adiamento da votação; no entanto, a bancada mineira venceu e votou para que o projeto fosse aprovado. A base governista também votou pela aprovação.

TAGS

*O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais à equipe da publicação, a outro usuário ou a qualquer grupo ou indivíduo identificado. Caso isso ocorra, nos reservamos o direito de apagar o comentário para manter um ambiente respeitoso para a discussão.

5 Comentários

  1. Mais uma vergonha . Enquanto o povo tenta sobreviver esses senhores aumentam mais os gatos. Lamentável

    Responder
    • * gastos

      Responder
      • Não tenho como avaliar se, tecnicamente, é necessária a criação de mais um TRF. Mas não tenho a menor dúvida que isso implicará em mais despesas. A máquina pública não trabalha para diminuir de tamanho.

        Responder
  2. MAIS DESPESAS PRA UNIÃO E JUÍZES PRA COMPRAR!! Que vergonha, Congresso!!

    Responder
  3. Nosso país é um carro velho sem combustível e sem freio descendo uma ladeira. O pior é que os passageiros somos nós, o povo. Um país sem recursos, saindo de uma pandemia, quase estourando o teto de gasto, com aproximadamente 16.000.000 de desempregados e outros tantos milhões de subemprego e nossos congressistas criam mais essa despesa recorrente e manda o povo pagar. Temos que renovar 100% desses criminosos que estão na câmara.

    Responder

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Assine a nossa newsletter

Colunistas

O império dos sem-voto

Há cada vez mais pessoas que nunca receberam um único voto na vida, e não têm mandato nenhum, dizendo o que o cidadão deve ou não deve fazer

O mal de roupa nova

O Partido Democrata não esconde as intenções: quer mais coletivismo, menos autonomia dos Estados, maior controle exercido pelo Executivo central e intervenção na economia

A nova Torre de Babel

Ao contrário do mito bíblico, a torre atual está sendo edificada com base na confusão proposital das palavras por indivíduos desprovidos de inteligência e coragem

Segundo turno nupcial

“Ué, você tá torcendo pra mim?” / “Não sei. Estou indeciso”

A imprensa morre no escuro

A atividade que já foi chamada de “quarto poder” escorrega perigosamente para a irrelevância

O resgate de Tocqueville

O desprezo pelo cristianismo, tão comum em meios “progressistas”, representa um perigoso afastamento dos pilares norte-americanos

A coerção e o coronavírus

A necessidade de restrições ocasionais não deve abalar os fundamentos do verdadeiro liberalismo, sustentado no “inovismo” e no “adultismo”

Uma nova doença: o vício em desculpas

Poucas figuras públicas têm a força de caráter para se recusar a pedir desculpas aos identitaristas, que gostam de desempenhar o papel de vítimas permanentes

Você não pode perder

A VOZ DAS REDES

Uma seleção de tuítes que nos permitem um olhar instigante do mundo, ajudam a pensar e divertem o espírito

LEIA MAIS

Oeste Notícias

R$ 19,90 por mês