Celso de Mello pede que PGR se manifeste sobre notícias-crime contra Bolsonaro - Revista Oeste

Em 22 Maio 2020, 11:34

Celso de Mello pede que PGR se manifeste sobre notícias-crime contra Bolsonaro

22 Maio 2020, 11:34

Medidas são de praxe, visto que a PGR que investiga o presidente; Augusto Aras não tem um prazo para se manifestar

Ministro Celso de Mello é relator do inquérito no STF – Fellipe Sampaio/STF

O decano do Supremo Tribunal Federal (STF), o ministro Celso de Mello, enviou três notícias-crimes que foram apresentadas por parlamentares e partidos contra o presidente Bolsonaro para a Procuradoria Geral da República (PGR) .

Entre as medidas pedidas nas notícias-crimes — que buscam investigar uma suposta interferência do presidente na Polícia Federal — estão que o presidente preste um depoimento e a busca e apreensão dos celulares de Jair e de seu filho Carlos Bolsonaro.

Os despachos foram enviados nesta quinta-feira, 21, para a PGR. De acordo com o G1, Celso de Mello afirmou que o Estado deve apurar a “autoria e da materialidade dos fatos delituosos narrados por ‘qualquer pessoa do povo’”.

Os pedidos usam como base as falas do ex-ministro da Justiça Sérgio Moro, que saiu do governo acusando o presidente de tentativa de interferência na PF e de tentar saber  informações de investigações em andamento.

Medida é praxe

É normal que um ministro do STF peça para que a PGR se manifeste sobre esse tipo de ação, visto que é o órgão responsável por investigar o presidente. Celso de Mello é o relator do inquérito proposto por Augusto Aras para investigar os fatos narrados pelo então ministro da Justiça.

O PGR não tem um prazo para se manifestar sobre os pedidos.

 

TAGS

10 Comentários

  1. Manda logo esse gagá se lascar e parar de encher o saco. Vai trabalhar vagabundo de toga.

    Responder
    • Saulo Ramos, tinha razão. Que tal um artigo sobre a história desse ministro?)

      Responder
  2. Ué, e não pediu o celular do Moro? Esse “juiz de merda” não passa de um canalha.

    Responder
  3. Esse é o Pavão de Tatuí. Já vi vários adjetvos merecedores de aplauso. Esse, dado pelo brilhante Augusto Nunes, está no topo da lista. O Brasil que tem vergonha na cara espera ansiosamente pelo dia em que esse sujeitinho saia do “stf” e caia no lugar que merece: o esquecimento.

    Responder
    • O PAVÃO DE TATUÍ politizado vai acabar caindo de sua própria bengala. Notícias crimes desse nipe nem seriam consideradas por um ministro sério e neutro.

      Responder
  4. Longos serão os meses até a despedida! Que preguiça…

    Responder
  5. Nunca vi tantas tentativas pra tirar um presidente do poder usando “provas robusta” com base no TAPETÃO! Quem ver a quantidade de pedidos de impeachment e “denúncias”, acha que elegemos o maior “criminoso” de todos os tempos. #SQN!
    Pior, ignoram o cabeça da ORCRIM solto, condenado, torrando o dinheiro do Estado e comandado as ações.
    É O BRASIL!!

    Responder
  6. Não pediu apreensão dos celulares de lula que, sabidamente, cometeu crimes e foi condenado por isso (aliás não pediu os celulares de nenhum condenado na lava jato – imagina o que ia encontrar no de Sérgio Cabral) mas faz isso com o atual PR e seu filho.
    É isso ser ministro da justiça ou do justiçamento?
    A questão não é se gosta ou não de Bolsonaro.
    A questão é se isso é correto.

    Responder
    • O Senado Federal, poderia, num momento de assombrosa coragem e vergonha na cara, suspender (impeachment não) esse senhor de suas funções por seis meses….game over…

      Responder
  7. O Presidente da República falou palavrões.

    Responder

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Coronavírus

Assine a nossa news

Oeste Notícias