CEO do Facebook fez 'lobby' contra chinesas da tecnologia - Revista Oeste

Edição da semana

Em Em 24 ago 2020, 12:30

CEO do Facebook fez ‘lobby’ contra chinesas da tecnologia

24 ago 2020, 12:30

Mark Zuckerberg teria feito alerta ao presidente Donald Trump ainda em 2019 sobre o crescimento do TikTok nos Estados Unidos

mark zuckerberg, tiktok, facebook, donald trump, estados unidos, china, wechat, instagram

Zuckerberg fez lobby contra o TikTok já em 2019 | Foto: Anthony Quintano/Wikimedia Commons

Em um jantar na Casa Branca em outubro de 2019, o CEO do Facebook, Mark Zuckerberg, teria alertado o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, sobre o crescimento das empresas de tecnologia chinesas no país e o risco que isso poderia trazer.

Para Zuckerberg, controlar o avanço dessas companhias deveria ser prioridade do governo norte-americano, por elas representarem um risco para os valores e para o domínio tecnológico do país.

O CEO do Facebook também teria advertido que o TikTok não tem o mesmo compromisso com a liberdade de expressão que a rede social que ele dirige. Essa constatação fez com quem os senadores Tom Cotton e Chuck Schumer pedissem, em outubro, uma investigação contra a ByteDance, dona da plataforma de vídeos chinesa, logo depois de uma reunião com Zuckerberg, em setembro.

Durante a pandemia, o TikTok passou por uma fase de acelerado crescimento e começou a incomodar o Instagram, uma das plataformas ligadas ao Facebook.

Tanto o aplicativo de vídeo quanto o WeChat foram alvo de um decreto do presidente Trump que proíbe empresas ou qualquer cidadão dos Estados Unidos de fazer negócios com as duas multinacionais chinesas. De acordo com o presidente norte-americano, ambas são um risco à segurança nacional por coletar informações pessoais dos cidadãos. Com isso, deu às duas companhias um prazo de 90 dias para que sejam vendidas a proprietários norte-americanos ou saiam do país.

As duas disseram que vão recorrer da decisão.

Com informações do The Wall Street Journal

TAGS

*O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais à equipe da publicação, a outro usuário ou a qualquer grupo ou indivíduo identificado. Caso isso ocorra, nos reservamos o direito de apagar o comentário para manter um ambiente respeitoso para a discussão.

3 Comentários

  1. Ele falar em liberdade de expressão, chega a ser cômico.

    Responder
  2. Segundo a reportagem “Para Zuckerberg, controlar o avanço dessas companhias deveria ser prioridade do governo americano, por elas representarem um risco para os valores americanos e para o domínio tecnológico do país”. Agora sabemos que Zuckerberg estava apenas preocupado com o próprio faturamento de suas empresas porque suas redes sociais veem censurando usuários de direita conservadores há tempos.

    Responder
  3. Zuckinho você não é exemplo de liberdade de expressão pra ninguém vai dar a b…a pros esquerdopatas seu comunista!!

    Responder

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Assine a nossa newsletter

Colunistas

O partido contra o Brasil

Ninguém ainda descobriu no planeta um jeito tão eficaz de concentrar renda quanto a fórmula usada para administrar as contas públicas no país

A paciência acabou

Os brasileiros começam a reagir à cassação dos direitos individuais

O ataque

A baderna no Capitólio é mais um sintoma da crise da democracia do que a causa de novos problemas

Eficácia

“Você demorou muito a comprar. Eficácia depende de rapidez” / “Poxa… Se eu soubesse teria comprado mais rápido. Ando muito dispersivo”

O culto à ignorância

Valorizar a educação formal e a cultura clássica virou preconceito elitista, um mau sinal para o futuro

Como surgiu o novo coronavírus?

A resposta mais provável, até o momento: o vírus teve origem em pesquisas com manipulação genética no Instituto de Virologia de Wuhan

Globalistas assanhados com Biden

Eles não costumam viver de fatos, apenas de narrativas. Adotam a visão estética de mundo, e por isso a ONU é seu maior símbolo

A coerção e o coronavírus

A necessidade de restrições ocasionais não deve abalar os fundamentos do verdadeiro liberalismo, sustentado no “inovismo” e no “adultismo”

Uma nova doença: o vício em desculpas

Poucas figuras públicas têm a força de caráter para se recusar a pedir desculpas aos identitaristas, que gostam de desempenhar o papel de vítimas permanentes

Você não pode perder

A VOZ DAS REDES

Uma seleção de tuítes que nos permitem um olhar instigante do mundo, ajudam a pensar e divertem o espírito

LEIA MAIS

Oeste Notícias

R$ 19,90 por mês