Hong Kong pede cooperação da população - Revista Oeste

Edição da semana

Em Em 9 jun 2020, 17:20

Chefe do governo de Hong Kong pede cooperação da população

9 jun 2020, 17:20

Região enfrenta protestos e embates com Pequim desde o ano passado

carrie lam - hong kong - china

Carrie Lam é a chefe do governo de Hong Kong | Foto: REPRODUÇÃO/NHK

Ter a cooperação do povo no trabalho de restabelecer a ordem social. É isso que espera a chefe-executiva do governo de Hong Kong, Carrie Lam. Em tom de apelo, ela se dirigiu à população da região nesta terça-feira, 9 de junho.

Leia mais:Um dos líderes dos protestos em Hong Kong fala a Oeste

Ao conversar com jornalistas, Carrie Lam falou que ela e demais integrantes do governo precisam aprender com erros. De acordo com ela, o mesmo vale para a população local.

O período marca um ano do início dos protestos em Hong Kong. Desde junho de 2009, a população local vai às ruas. Inicialmente, o motivo dos protestos era a possibilidade de uma proposta de lei seguir adiante. Projeto que permitiria que suspeitos de cometerem crimes fossem enviados à China continental — ficando, assim, sob domínio do governo comunista.

As reclamações, contudo, não pararam por aí. Posteriormente, o povo voltou a protestar. Isso porque o governo de Pequim deseja implementar uma lei de segurança nacional. De acordo com Oeste, essa ação por parte do Partido Comunista chinês pode abalar a economia de Hong Kong. E pior: fazer a região perder o status de território autônomo. Para o secretário de Estado dos Estados Unidos, Mike Pompeo, isso já aconteceu.

Solidariedade internacional

Diante do temor de ser rebaixada a uma região a ser administrada diretamente pelos comunistas, o povo honconguês tem recebido apoio internacional. Desde o fim de março, o governo de Taiwan oferece abrigo a quem resolver fugir dos protestos e, consequentemente, da repressão chinesa. O Reino Unido planeja adotar medida similar. Conforme noticiado por Oeste, a nação europeia pode facilitar a obtenção de cidadania a quem fugir do controle vindo de Pequim.

Com informações da agência de notícias NHK.

TAGS

*O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais à equipe da publicação, a outro usuário ou a qualquer grupo ou indivíduo identificado. Caso isso ocorra, nos reservamos o direito de apagar o comentário para manter um ambiente respeitoso para a discussão.

1 Comentário

  1. Esse apoio e importante dos pauses mas precisa caminhar tambem na direcao de acuar o partido comunista e dar apoio para que ditadura acabe. Sem falar na responsabilidade da china ante a pandemia que custou milhares de vidas e o impacto na economia dos paises, sobretudo os que nao sao desenvolvidos.

    Responder

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Assine a nossa newsletter

Colunistas

O império dos sem-voto

Há cada vez mais pessoas que nunca receberam um único voto na vida, e não têm mandato nenhum, dizendo o que o cidadão deve ou não deve fazer

O mal de roupa nova

O Partido Democrata não esconde as intenções: quer mais coletivismo, menos autonomia dos Estados, maior controle exercido pelo Executivo central e intervenção na economia

A nova Torre de Babel

Ao contrário do mito bíblico, a torre atual está sendo edificada com base na confusão proposital das palavras por indivíduos desprovidos de inteligência e coragem

Segundo turno nupcial

“Ué, você tá torcendo pra mim?” / “Não sei. Estou indeciso”

A imprensa morre no escuro

A atividade que já foi chamada de “quarto poder” escorrega perigosamente para a irrelevância

O resgate de Tocqueville

O desprezo pelo cristianismo, tão comum em meios “progressistas”, representa um perigoso afastamento dos pilares norte-americanos

A coerção e o coronavírus

A necessidade de restrições ocasionais não deve abalar os fundamentos do verdadeiro liberalismo, sustentado no “inovismo” e no “adultismo”

Uma nova doença: o vício em desculpas

Poucas figuras públicas têm a força de caráter para se recusar a pedir desculpas aos identitaristas, que gostam de desempenhar o papel de vítimas permanentes

Você não pode perder

A VOZ DAS REDES

Uma seleção de tuítes que nos permitem um olhar instigante do mundo, ajudam a pensar e divertem o espírito

LEIA MAIS

Oeste Notícias

R$ 19,90 por mês