Greve dos Correios chega ao fim após um mês - Revista Oeste

Edição da semana

Em 22 set 2020, 20:31

Fim da greve: Correios voltam ao trabalho

22 set 2020, 20:31

Funcionários lutavam pela manutenção de privilégios, como o vale-peru natalino, e chegaram até a reclamar de aumento salarial definido pela Justiça

fim da greve dos correios - agência brasil

Funcionários dos Correios estão de volta ao trabalho
Foto: José Rivaldo Silva/Agência Brasil

A greve dos Correios chega ao fim após mais de um mês. Em nota divulgada na tarde desta terça-feira, 22, a Federação Nacional dos Trabalhadores em Empresas de Correios e Telégrafos e Similares (Fentect) anunciou o retorno às atividades, o que não ocorria desde 17 de agosto. A volta ao trabalho vale a partir das 22 horas de hoje.

Leia mais: “Amazon e Magazine Luiza estão de olho nos Correios”

O fim da paralisação dos Correios ocorre um dia após o Tribunal Superior do Trabalho (TST) determinar aumento salarial aos servidores da estatal. De acordo com a decisão judicial, a categoria ganhará — em meio à pandemia do vírus chinês — acréscimo de 2,6% nos vencimentos mensais. Além disso, a Justiça não definiu nenhuma punição rígida devido à greve. Os funcionários que aderiram ao movimento terão apenas metade dos dias sem trabalhar descontada em folha.

Fim da greve, mas continuação dos ataques

Apesar do aumento e de a categoria não sofrer nenhuma punição administrativa, a Fentect criticou o Poder Judiciário brasileiro. Ao anunciar o fim da greve dos Correios, a entidade acusou o TST (como um todo) de ter “alinhamento político-ideológico” com o governo federal. A federação voltou a falar em movimentação contra direitos. A instituição sindical não explicou, entretanto, que um dos direitos reivindicados é a manutenção do vale-peru natalino.

“O Judiciário vem mostrando sua face mais obscura do jogo de interesse político”

“Não é de hoje que o Judiciário vem mostrando sua face mais obscura do jogo de interesse político dentro dos tribunais, deixando de lado a imparcialidade e a harmonia que deveria existir entre os poderes. Infelizmente, o Tribunal Superior do Trabalho e [o] Supremo Tribunal Federal se tornaram um banco de negócios para atender a interesses políticos e individuais”, acusou a Fentect. Por ora, TST e STF não responderam aos ataques da entidade que organizou greve que durou mais de um mês.

MAIS: “Greve faz grupo clamar pela privatização dos Correios”

TAGS

*O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais à equipe da publicação, a outro usuário ou a qualquer grupo ou indivíduo identificado. Caso isso ocorra, nos reservamos o direito de apagar o comentário para manter um ambiente respeitoso para a discussão.

3 Comentários

  1. só que a qualidade do serviço, dessa que foi já uma das mais notáveis instituições do Brasil, vai continuar a mesma porcaria depois que a pelegada arruinou a empresa.

    Responder
  2. O mal não está na Empresa, o mal estava nos 14 anos dos desgovernos do PT, deve cobrar responsabilidades de quem tinha ou tem. Já no primeiro ano do Governo Bolsonaro, a Empresa voltou a apresentar Lucro e com isso os Correios não dependem de dinheiro de Impostos dos brasileiros e pelo contrário à UNIÃO fica com maior parte desse Lucro que servirá para ajudar o Brasil.Estão querendo matar a vaca para acabar com os carrapato querendo privatizar, principalmente para estrangeiros. Os EUA privatizou parte dos Correios de lá, parte lucrativa que subsidiavá a parte deficitária, aqui ocorrerá o mesmo, agora o Post Office correios americanos está dando prejuízos, em 2019 foram 2,5 bilhões em prejuízos no Correio Americano.

    Responder
  3. Acabar com esse disparate de tribunais trabalhistas é urgente, justiça é uma só, essa sinecura tem de acabar. Privatizar empresas que não pertencem de fato ao povo, pois na realidade os corruptos é que levam seus lucros para seus próprios bolsos, é urgentíssimo!

    Responder

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Assine a nossa newsletter

Colunistas

As piores eleições do mundo

A cura para a desgraça que são as eleições brasileiras é um conjunto de meia dúzia de providências simples como a tabuada

EUA — O que está em jogo

Em confronto, duas visões antagônicas sobre temas como geopolítica e comércio internacional, impostos e saúde, clima e energia, China e Oriente Médio

Meio ambiente é causa conservadora

Conservadores não podem se eximir da responsabilidade e reforçar a ideia de que preservação ambiental é pauta da esquerda

O plebiscito dos mentecaptos

Acaba o auxílio emergencial, mas começa a campanha emocionante do Ricardo Barros pelo plebiscito — e emoção é alimento espiritual

Nova Constituição para quê?!

Uma Carta ruim como a nossa deve ser reformada, e não anulada para que outra seja escrita. Essa é a solução conservadora

A coerção e o coronavírus

A necessidade de restrições ocasionais não deve abalar os fundamentos do verdadeiro liberalismo, sustentado no “inovismo” e no “adultismo”

Uma nova doença: o vício em desculpas

Poucas figuras públicas têm a força de caráter para se recusar a pedir desculpas aos identitaristas, que gostam de desempenhar o papel de vítimas permanentes

Você não pode perder

A VOZ DAS REDES

Uma seleção de tuítes que nos permitem um olhar instigante do mundo, ajudam a pensar e divertem o espírito

LEIA MAIS

Revista Oeste — Edição 32 — 30/10/2020

Oeste Notícias

R$ 19,90 por mês