China tenta interferir na política australiana - Revista Oeste

Edição da semana

Em Em 28 abr 2020, 17:28

China tenta interferir na política australiana

28 abr 2020, 17:28

Embaixador chinês divulgou conversa privada que teve com secretária do governo de Scott Morrison

Bandeira Austrália

Foto: Linda72/Pixabay

O embaixador da China na Austrália, Cheng Jingye, divulgou conversa privada que teve com a secretária de Negócios Estrangeiros e Comércio, Frances Adamson. As autoridades do país acreditam que a China quer desestabilizar o governo do primeiro-ministro Scott Morrison.

Os dois países estão passando por uma crise diplomática após a Austrália sugerir uma investigação independente sobre a origem do coronavírus e a China falar sobre um boicote dos produtos australianos.

De acordo com o embaixador, a secretária “admitiu” para ele que a Austrália não poderia ter pedido a investigação em meio à pandemia do coronavírus. A informação foi divulgada pela rede de televisão australiana Sky News.

O embaixador da China foi convocado pelo governo australiano para comentar sobre a sugestão do boicote aos produtos do país na noite de ontem, nesse encontro que teria ocorrido a fala da secretária Frances Adamson.

O governo australiano divulgou oficialmente que está comprometido para que a investigação sobre a origem do coronavírus aconteça e que essa é a única política defendida.

TAGS

*O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais à equipe da publicação, a outro usuário ou a qualquer grupo ou indivíduo identificado. Caso isso ocorra, nos reservamos o direito de apagar o comentário para manter um ambiente respeitoso para a discussão.

6 Comentários

  1. Isso é o óbvio ululante…! Há meses que estamos dizendo aqui e em todo lugar….esse vírus não chama coronavirus pxxxx nenhuma, isso se chama vírus chinês – foi gerido, parido e atirado para todo lado por aquele país. Aqui esta revista Oeste já publicou matéria a respeito…mas me atrevo a colocar aqui mais alguns dados:
    Prêmio Nobel de Medicina diz que o laboratório de alta segurança da cidade de Wuhan é especializado nesse tipo de vírus
    O virologista francês Luc Montagnier, prêmio Nobel de Medicina de 2008, afirmou que o novo coronavírus foi fabricado artificialmente em um laboratório chinês, provavelmente no segundo semestre de 2019.
    O covid-19 seria um vírus manipulado, acidentalmente liberado de um laboratório chinês em busca de uma vacina contra a Aids. O cientista francês diz que o laboratório de alta segurança da cidade de Wuhan é especializado nesse tipo de vírus, o novo coronavírus, desde o começo dos anos 2000.
    Em entrevista à rádio francesa Frequénce Médicale o professor explica ter analisado a sequência com seu colega matemático Jean-Claude Perrez. “Isso foi uma surpresa para mim, pois era exatamente o HIV”, afirmou. “A história que veio de um mercado de peixes é uma lenda. O vírus saiu de um laboratório de Wuhan”.
    “Os iranianos reconheceram que derrubaram um avião por engano. Os chineses também deveriam reconhecer o erro, pelo bem da ciência”, declarou.
    E eu acrescento ainda: cientistas indianos também já chegaram à mesma constatação, na estrutura genética do vírus há estruturas inteiras do vírus do HIV, o que segundo essas pesquisas é impossível que tivesse acontecido naturalmente mas sim através de técnicas avançadas só realizáveis em laboratórios especializados como o de Wuhan.
    É chinesada…o gato vai subir no telhado!

    Responder
  2. A China vai pagar um alto preço por este vírus. É só uma questão de tempo. E nada vai adiantar os embaixadores chineses ficarem dando chilique mundo afora.

    Responder
    • Alem de dois premios nobels, o governo americano e o governo indiano, tem um documentário da Epoch Times a mais de um mês que mostra uma reportagem investigativa mostrando como os chineses criaram esse vírus, como acharam o material genético do HIV, quem comandou a pesquisa, as mentiras e o encobrimento do PCCh, mostra o laboratório P3 de Wuhan . UMA TRAMA SÓRDIDA QUE MERECE RESPOSTA.

      Responder
  3. Complementou o cientista, que já trabalhou em Wuhan, que os seus colegas quê juntos lá viveram, se quer atendem mais seus telefonemas desde dezembro, o que evidencia a mortandade assassina necessária de todos eles. Que as investigações se oerpetuem, pois estamos lidando com COMUNISTAS. Achávamos q só os daqui eram covardes e mentirosos, os sociais democratas daqui tbm só querem poder, domínio, grana.

    Responder
  4. Que o CHINAVÍRUS saiu de um laboratório em Wuhan, isto é óbvio – a única dúvida é saber se ele é resultado direto de pesquisas em guerra biológica (menos provável) ou pura incompetência/dolo eventual ao se deixar vazar o mesmo para fora de instalações protegidas.

    Em qualquer dos dois casos, a China deveria ser punida exemplarmente.

    Responder
  5. Além da declaração do premio Nobel Jean Luc Montagnier, temos também outro nobel de medicina Tasuko Honjo que afirma que o vírus chinês não é natural e que foi, sim, produzido artificialmente no laboratório de Wuhan. então estamos vendo esse corro de cientistas renomados só a aumentar.

    Responder

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Assine a nossa newsletter

Colunistas

O império dos sem-voto

Há cada vez mais pessoas que nunca receberam um único voto na vida, e não têm mandato nenhum, dizendo o que o cidadão deve ou não deve fazer

O mal de roupa nova

O Partido Democrata não esconde as intenções: quer mais coletivismo, menos autonomia dos Estados, maior controle exercido pelo Executivo central e intervenção na economia

A nova Torre de Babel

Ao contrário do mito bíblico, a torre atual está sendo edificada com base na confusão proposital das palavras por indivíduos desprovidos de inteligência e coragem

Segundo turno nupcial

“Ué, você tá torcendo pra mim?” / “Não sei. Estou indeciso”

A imprensa morre no escuro

A atividade que já foi chamada de “quarto poder” escorrega perigosamente para a irrelevância

O resgate de Tocqueville

O desprezo pelo cristianismo, tão comum em meios “progressistas”, representa um perigoso afastamento dos pilares norte-americanos

A coerção e o coronavírus

A necessidade de restrições ocasionais não deve abalar os fundamentos do verdadeiro liberalismo, sustentado no “inovismo” e no “adultismo”

Uma nova doença: o vício em desculpas

Poucas figuras públicas têm a força de caráter para se recusar a pedir desculpas aos identitaristas, que gostam de desempenhar o papel de vítimas permanentes

Você não pode perder

A VOZ DAS REDES

Uma seleção de tuítes que nos permitem um olhar instigante do mundo, ajudam a pensar e divertem o espírito

LEIA MAIS

Oeste Notícias

R$ 19,90 por mês