Cidade no interior de SP tem distribuição de kit cloroquina - Revista Oeste

Em 30 jul 2020, 09:56

Cidade no interior de SP tem distribuição de kit cloroquina

30 jul 2020, 09:56

Prefeito garante que a população infectada pelo coronavírus melhorou depois de tomar o medicamento

cidade

Hidroxicloroquina é distribuída em cidade paulista | Foto: DIVULGAÇÃO

A prefeitura de Cajati, no Vale do Ribeira, interior de São Paulo, está distribuindo um kit médico com hidroxicloroquina e ivermectina à população contaminada pelo coronavírus. Na quarta-feira 29, o município de 28,5 mil habitantes registrou 961 casos de covid-19.

“Recebemos 1,5 mil comprimidos do governo Bolsonaro. E está ajudando bastante aqui no município: hidroxicloroquina junto com a ivermectina”, afirmou o prefeito Vavá Cordeiro (PSB) ao portal Metrópoles.

Quer saber por que a cloroquina ajuda no combate ao coronavírus? Leia “A solução que venceu a ideologia”, reportagem publicada na edição n° 3 de Oeste

Além disso, conforme Cordeiro, a equipe médica da cidade confia no tratamento. Portanto, está receitando a droga. A medida foi autorizada pelo Conselho Federal de Medicina, que, porém, condicionou o uso da cloroquina a critério do médico e consentimento do paciente.

“Se é perigoso, não sei dizer, mas o que está dando resultado é isso”, observou Vavá, ao mencionar que, sem o remédio, os infectados não estavam se recuperando. “Dessa forma, a gente acabou receitando e as pessoas que tomaram se sentiram melhor”, relatou.

TAGS

*O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais à equipe da publicação, a outro usuário ou a qualquer grupo ou indivíduo identificado. Caso isso ocorra, nos reservamos o direito de apagar o comentário para manter um ambiente respeitoso para a discussão.

3 Comentários

  1. Beneficiários dos Planos de Saúde Bradesco ao se consultarem com médicos credenciados, recebem receitas com as mesmas indicações da matéria, com custos beijos, mesmo com a ganância dos laboratórios produtores. Resta provado, então, que a canalhice praticada por Governadores e Prefeitos genocidas era apenas birra com o ” remédio do Bolsonaro ” Acontece que os medicamentos são usados há décadas e no Brasil, quando dos casos de microcefalia, grávidas usavam sem maiores problemas. Grande parte da mídia brasileira, Governadores, Prefeitos, foi cooptada dela indústria farmacêutica, tocando o terror para vender medicamentos caros, como o Rendesivir, cujo tratamento, a depender da variação do dólar custa 13 mil reais por pessoa. Resta saber o que os Governadores e Prefeitos GENOCIDAS, gestores do enfrentamento da Covid 19 por decisão do STF terá a dizer às famílias das vítimas dessa desumanidade.

    Responder
    • Em Sertãozinho, Pontal, Franca começaram a adotar este protocolo também… Tenho certeza que as internações por covid começarão da diminuir nestas cidades. Em compensação, em Ribeirão Preto, estes protocolos não são utilizados, com um agravante de colocar o hospital sta Lídia que trata pacientes pediátricos com câncer sendo tratados com portadores de covid, um absurdo!!!!

      Responder
  2. … Custos bem menores*

    Responder

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Assine a nossa news

Coronavírus

Oeste Notícias