Com otimismo em relação à pandemia, dólar cai e bolsa sobe - Revista Oeste

Edição da semana

Em Em 5 jun 2020, 12:12

Com otimismo em relação à pandemia, dólar cai e bolsa sobe

5 jun 2020, 12:12

Bolsa de Valores de São Paulo já está próximo aos 100 mil pontos; dólar está sendo cotado no menor valor desde o dia 26 de março

cotação - dólar - otimismo - coronavírus

Foto: NikolayFrolochkin/ Pixabay

A cotação do dólar está sofrendo uma desvalorização forte em razão do otimismo que acontece no mundo pelo arrefecimento da pandemia do coronavírus. Os números surpreendentemente positivos do desemprego divulgados hoje pelos EUA contribuíram para a queda.

Nesta manhã, a moeda norte-americana está sendo cotada em cerca de R$5, com a mínima de R$ 4,97. A cotação do dólar comercial está caindo cerca de 3,5% nesta manhã, de acordo com dados do jornal O Estado de S. Paulo.

Veja também: “Bolsa despenca com a saída de Moro”

Ao longo da crise do coronavírus, a cotação da moeda norte-americana foi muito pressionada. Em 14 de maio, ela alcançou a sua maior valorização, sendo negociada a R$ 5,97.

Os R$ 4,97 em que o dólar está sendo cotado no momento é o menor valor da moeda norte-americana desde o dia 26 de março. Mesmo com essa queda expressiva nos últimos dias, o dólar se valorizou 25% em comparação ao real  desde o início de 2020.

Bolsa de Valores

A Bolsa de Valores de São Paulo, a B3, também está sendo contagiada com o otimismo com a retomada econômica no mercado internacional. O principal índice da bolsa paulista, o Ibovespa, chegou a alcançar os 97 mil pontos, algo que não acontecia desde o dia 5 de março, informa O Estado de S. Paulo.

Mais: “Bolsa de São Paulo cai 29,9% em março”

No momento, o Ibovespa está em 96. 072,49 pontos, com uma alta de 2,39%. No dia 23 de março, no auge do pânico dos mercados em razão da pandemia, a Ibovespa chegou a cerca de 62 mil pontos, o menor valor registrado do ano.

A expectativa dos investidores é que o Ibovespa retome logo os 100 mil pontos, índice que foi alcançado pela primeira vez na história no dia 18 de março de 2019, em meio à expectativa com o projeto de reforma da previdência tramitando na Câmara dos Deputados.

TAGS

*O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais à equipe da publicação, a outro usuário ou a qualquer grupo ou indivíduo identificado. Caso isso ocorra, nos reservamos o direito de apagar o comentário para manter um ambiente respeitoso para a discussão.

0 comentários

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Assine a nossa newsletter

Colunistas

O império dos sem-voto

Há cada vez mais pessoas que nunca receberam um único voto na vida, e não têm mandato nenhum, dizendo o que o cidadão deve ou não deve fazer

O mal de roupa nova

O Partido Democrata não esconde as intenções: quer mais coletivismo, menos autonomia dos Estados, maior controle exercido pelo Executivo central e intervenção na economia

A nova Torre de Babel

Ao contrário do mito bíblico, a torre atual está sendo edificada com base na confusão proposital das palavras por indivíduos desprovidos de inteligência e coragem

Segundo turno nupcial

“Ué, você tá torcendo pra mim?” / “Não sei. Estou indeciso”

A imprensa morre no escuro

A atividade que já foi chamada de “quarto poder” escorrega perigosamente para a irrelevância

O resgate de Tocqueville

O desprezo pelo cristianismo, tão comum em meios “progressistas”, representa um perigoso afastamento dos pilares norte-americanos

A coerção e o coronavírus

A necessidade de restrições ocasionais não deve abalar os fundamentos do verdadeiro liberalismo, sustentado no “inovismo” e no “adultismo”

Uma nova doença: o vício em desculpas

Poucas figuras públicas têm a força de caráter para se recusar a pedir desculpas aos identitaristas, que gostam de desempenhar o papel de vítimas permanentes

Você não pode perder

A VOZ DAS REDES

Uma seleção de tuítes que nos permitem um olhar instigante do mundo, ajudam a pensar e divertem o espírito

LEIA MAIS

Oeste Notícias

R$ 19,90 por mês