Confiança da indústria cresce e indica que o pior ficou no passado

Edição da semana

Em 28 set 2020, 09:30

Confiança da indústria cresce e indica que o pior ficou no passado

28 set 2020, 09:30

Nível é o maior desde janeiro de 2013

confiança da indústria

Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil

As mais recentes projeções acerca da economia brasileira apontam para a mesma direção: ela vai se recuperar rapidamente. Conforme noticiou Oeste, o Banco Central já revisou sua estimativa para o Produto Interno Bruto deste ano, que indicava queda de 6,4%. Segundo o novo prognóstico, a contração será de 5%. Agora, chegou a vez de outro indicador dar sinais de otimismo. Divulgado nesta segunda-feira, 28, pela Fundação Getulio Vargas (FGV), o Índice de Confiança da Indústria avançou 8,0 pontos em setembro. Alcançou, assim, 106,7 pontos, o maior nível desde janeiro de 2013, quando também atingiu 106,7 pontos. Portanto, esse resultado deixa a média do terceiro trimestre (98,4 pontos) 32,7 pontos acima da média do segundo trimestre (65,7 pontos).

Leia também: “Por onde virá a retomada”, reportagem publicada na edição n° 12 da Revista Oeste

Neste mês, 18 dos 19 segmentos industriais pesquisados pela FGV registraram crescimento da confiança. O resultado do mês reflete perspectivas positivas em relação a este momento e em relação aos próximos três meses. Além disso, o Índice de Situação Atual subiu 9,5 pontos, para 107,3 pontos, o maior valor desde janeiro de 2013 (107,6 pontos). Por sua vez, o Índice de Expectativas (IE) cresceu 6,3 pontos, para 105,9 pontos, o maior desde abril de 2013 (107,2 pontos). Aumentou também de 33,0% para 39,9% a parcela de empresas que preveem melhora, enquanto a das que projetam piora caiu de 22,5% para 13,6%. Os indicadores de produção e emprego previstos para os próximos três meses avançaram, com altas de 3,3 pontos e 7,5 pontos, para 111,1 pontos e 109,8 pontos, respectivamente

TAGS

*O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais à equipe da publicação, a outro usuário ou a qualquer grupo ou indivíduo identificado. Caso isso ocorra, nos reservamos o direito de apagar o comentário para manter um ambiente respeitoso para a discussão.

0 comentários

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Assine a nossa newsletter

Colunistas

Vacinação sem vacina

Falar em obrigar a população inteira a se vacinar — com uma vacina que não existe — significa o quê? Um negócio da China?

Supremas diferenças

Ao compararmos o STF à Suprema Corte dos Estados Unidos, o choque é violento

A coerção e o coronavírus

A necessidade de restrições ocasionais não deve abalar os fundamentos do verdadeiro liberalismo, sustentado no “inovismo” e no “adultismo”

Uma nova doença: o vício em desculpas

Poucas figuras públicas têm a força de caráter para se recusar a pedir desculpas aos identitaristas, que gostam de desempenhar o papel de vítimas permanentes

Você não pode perder

Ciência, que é bom, nada

Ciência, que é bom, nada

"Desde o começo da epidemia a discussão vem sendo assim: política em primeiro lugar", afirma J.R. Guzzo...

A VOZ DAS REDES

Uma seleção de tuítes que nos permitem um olhar instigante do mundo, ajudam a pensar e divertem o espírito

LEIA MAIS

Oeste Notícias

R$ 19,90 por mês