Angelo Coronel apresenta novo texto do projeto de lei das fake news

Em 29 jun 2020, 21:47

Confira a nova versão do texto do Projeto de Lei das ‘fake news’

29 jun 2020, 21:47

Senado deve levar proposta para votação do plenário nesta terça-feira, 30; relator Angelo Coronel divulga substitutivo

projeto de lei das fake news - novo texto - angelo coronel - senado

Fake news estão em discussão no Senado | Foto: FREEPIK

Previsto para entrar na pauta do Senado nesta terça-feira, 20, o Projeto de Lei 2630/2020 conta com um novo texto. Isso porque o relator do chamado PL da fake news, Angelo Coronel (PSD-BA), apresentou o substitutivo na noite de hoje.

Leia mais:Frota é condenado a pagar R$ 50 mil por divulgar fake news

A modificação do texto ocorre após a proposta ser retirada, em cima da hora e com pressão sobre o presidente da Casa, Davi Alcolumbre (DEM-AP), da sessão da última quinta-feira.

O novo texto do projeto da fake news traz pelo menos 14 modificações em relação à versão que iria para votação na semana passada. Entre os pontos alterados está, por exemplo, a localização de bancos de dados mantidos por plataformas de redes sociais e aplicativos de mensagens. Anteriormente, a proposta falava em obrigação do equipamento estar no Brasil. Agora, contudo, prevê-se a possibilidade de ele ser acessado de modo remoto — sem ter que estar fisicamente no país.

Também foram retirados, conforme indicado pela equipe do relator, os tópicos que, na prática, acabavam por alterar a Lei das Eleições. O artigo que abordava a questão de remuneração por conteúdos jornalísticos e artísticos em redes sociais foi excluído no novo substitutivo.

Exclusão de conteúdo

O substitutivo apresentado por Angelo Coronel traz modificações também na parte de exclusão de conteúdo da internet. A nova versão do projeto destaca que materiais considerados como incitação à violência, estímulo ao suicídio e estímulo à pedofilia devem ser excluídos de forma imediata. Exclusão essa que é de responsabilidade das plataformas de redes sociais e aplicativos de mensagens.

Há, ainda, ponto que movimenta comercialmente o mercado de marketing digital do Brasil. O substitutivo traz em seu artigo 11 a proibição da venda de soluções de disparos de mensagens oferecidas por empresas que não sejam devidamente credenciadas pelos próprios aplicativos de mensagens.

Confira, afinal, como ficou o substitutivo do PL das fake news:

Novo Texto – Projeto de Lei Das Fake News by Revista Oeste on Scribd

TAGS

*O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais à equipe da publicação, a outro usuário ou a qualquer grupo ou indivíduo identificado. Caso isso ocorra, nos reservamos o direito de apagar o comentário para manter um ambiente respeitoso para a discussão.

0 comentários

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Assine a nossa news

Coronavírus

Oeste Notícias