Auxílio emergencial evitou que 5,6 milhões de crianças fossem parar na extrema pobreza - Revista Oeste

Em 7 jul 2020, 22:30

Auxílio emergencial evitou que 5,6 milhões de crianças fossem parar na extrema pobreza

7 jul 2020, 22:30

Pesquisa do Ibre/FGV aponta que sem as distribuição dos recursos pelo governo federal, quase 8 milhões de crianças seriam afetadas

pobreza extrema, coronavoucher, auxílio emergencial, governo federal, fgv, pesquisa

Sem coronavoucher, mais de 28 milhões de brasileiros teriam caído na pobreza extrema

Pesquisa do Instituto Brasileiro de Economia da Fundação Getúlio Vargas (Ibre/FGV) mostra que o auxílio emergencial evitou que 5,6 milhões de crianças entrassem para a extrema pobreza.

Dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) mostram que 2,27 milhões de crianças, entre zero e 13 anos, estavam abaixo da linha da extrema pobreza em maio, ou seja, 5,5% do total de pessoas nessa faixa etária no país.

Sem a distribuição do coronavoucher, esse número subiria para 7,93 milhões, o equivalente a 19,4% do total.

Com relação à população de todas as idades, o auxílio emergencial evitou que 19,17 milhões de pessoas caíssem na pobreza extrema.

Sem ele, o número total de pessoas nessa situação iria para 28 milhões, 8,83 milhões a mais, segundo a FGV.

TAGS

*O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais à equipe da publicação, a outro usuário ou a qualquer grupo ou indivíduo identificado. Caso isso ocorra, nos reservamos o direito de apagar o comentário para manter um ambiente respeitoso para a discussão.

0 comentários

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Assine a nossa news

Coronavírus

Oeste Notícias