Corte Especial do STJ: STF nega pedido de Witzel para adiar julgamento

Edição da semana

Em 2 set 2020, 14:40

STF nega pedido de Witzel para adiar julgamento

2 set 2020, 14:40

Governador afastado terá caso analisado pelo STJ

wilson witzel será julgado pela comissão especial do stj - philippe lim - fotos públicas

Wilson Witzel será julgado pela Comissão Especial do STJ | Foto: PHILIPPE LIM/FOTOS PÚBLICAS

O presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Dias Toffoli, negou hoje o pedido feito pela defesa do governador afastado do Rio de Janeiro, Wilson Witzel (PSC). Os advogados solicitavam o adiamento do julgamento sobre a situação do político fluminense pelo Superior Tribunal de Justiça (STJ), mas não foram atendidos.

Leia mais: “Certeiro: Augusto Nunes avisou em junho que Witzel seria o primeiro a cair”

A decisão de Toffoli mantém programada para a tarde desta quarta-feira, 2, a sessão da Corte Especial do STJ. Composta por quinze ministros, a turma será responsável por manter ou não o afastamento de Witzel do governo do Rio de Janeiro. Ele está afastado do cargo desde a última sexta-feira, 28, pois o ministro Benedito Gonçalves entendeu essa medida como necessária para não prejudicar investigações sobre esquemas de corrupção do primeiro escalão do Executivo do Estado.

O julgamento do afastamento de Witzel na Corte Especial do STJ não contará com ministros que, naturalmente, deveriam participar da sessão. Isso porque na tarde de ontem, quatro magistrados se declaram impedidos: Felix Fischer, Herman Benjamin, Jorge Mussi e João Otávio Noronha. Assim, outros quatro ministros serão convocados pelo presidente do STJ, Humberto Martins.

Situação

O parecer monocrático de Benedito Gonçalves teve efeito imediato. Dessa forma, Wilson Witzel está sem exercer a função de governador do Rio de Janeiro. Para validar a decisão de Gonçalves e manter o afastamento, ao menos dez votos precisam ser registrados contra o político do PSC. Caso contrário, ele retornará ao cargo.

MAIS: “Witzel se coloca como alguém enganado, traído e ‘linchado politicamente’”

TAGS

*O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais à equipe da publicação, a outro usuário ou a qualquer grupo ou indivíduo identificado. Caso isso ocorra, nos reservamos o direito de apagar o comentário para manter um ambiente respeitoso para a discussão.

0 comentários

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Assine a nossa newsletter

Colunistas

O crime acima de todos

Não é que as instituições estejam funcionando mal, ou passando por alguma anomalia — ao contrário, elas são organizadas de maneira a tornar inevitáveis resultados como o que beneficiou André do Rap

O “cancelamento” contra a arte

Caso a sociedade se submeta a essa versão gourmetizada do stalinismo, nossos filhos e netos não terão o que ler, ouvir ou assistir

A segunda onda de hipocrisia

Em que pesem as comprovações de ineficácia dos lockdowns, enganadores como Emmanuel Macron fingem ter um mapa de bloqueio de contágio

Alerta: pesquisas à vista!

Por que as sondagens eleitorais erram tanto, como isso distorce o processo democrático e o que se pode fazer

O capitalismo pode salvar o mundo?

O sistema não é uma ideologia de laboratório, como o comunismo. É uma força viva, dinâmica, que há milênios se aperfeiçoa na satisfação das necessidades humanas

A coerção e o coronavírus

A necessidade de restrições ocasionais não deve abalar os fundamentos do verdadeiro liberalismo, sustentado no “inovismo” e no “adultismo”

Uma guerra civil nos EUA?

A mídia recusa-se a noticiar o que é evidente aos olhos de seus espectadores, e intelectuais argumentam que “saques e protestos violentos são vivenciados como eventos alegres e libertadores”

Você não pode perder

A VOZ DAS REDES

Uma seleção de tuítes que nos permitem um olhar instigante do mundo, ajudam a pensar e divertem o espírito

LEIA MAIS

Oeste Notícias

R$ 19,90 por mês