Covid-19: Covas gasta R$ 7 milhões em 'urnas funerárias' à toa - Revista Oeste

Edição da semana

Em 30 set 2020, 21:18

Covid-19: Covas gasta R$ 7 milhões em ‘urnas funerárias’ à toa

30 set 2020, 21:18

Em abril, prefeitura de SP adquiriu 38 mil caixões; apenas 36% foram usados até o momento

bruno covas

O prefeito de São Paulo, Bruno Covas | Foto: Newton Menezes/Estadão Conteúdo

Em abril, o prefeito de São Paulo, Bruno Covas (PSDB-SP), anunciou a compra de 38 mil caixões. A aquisição mórbida feita por Covas era parte do “Plano de Contingenciamento Funerário”. Seu objetivo era “atender o aumento da demanda em decorrência de óbitos da covid-19″, informava a prefeitura. No entanto, desde o começo da pandemia, nos últimos dias de fevereiro deste ano, até o presente momento, cerca de 14 mil pessoas morreram devido ao coronavírus na capital paulista. Ou seja, ainda sobram 24 mil “urnas funerárias”. O planejamento macabro custou ao pagador de impostos R$ 12 milhões. Por volta de R$ 7,5 milhões — o valor estimado dos caixões que restam — ainda não se mostraram necessários e, felizmente, não foram usados.

Leia também: “A gastança fúnebre de Bruno Covas”

TAGS

*O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais à equipe da publicação, a outro usuário ou a qualquer grupo ou indivíduo identificado. Caso isso ocorra, nos reservamos o direito de apagar o comentário para manter um ambiente respeitoso para a discussão.

5 Comentários

  1. Ele podia já reservar a dele e ir pra pqp de uma vez!

    Responder
  2. Se o Dinheiro saísse do trabalho, bolso, desse cidadão , ele teria esse procedimento? Como o dinheiro sai do bolso alheio, eles , politicos, tocam fogo só para ver a fumaça subir. Pobre Brasil, é por isso que não voto em Políticos com mais de 8 anos num mesmo cargo ou em parentes de Políticos que tiveram sucesso, filho ou neto nunca são como os pais ou avós, vide no futebol, com raríssimas exceções, é por isso não arrisco. Considero esse cidadão fraquissimo como gestor público.

    Responder
  3. A mais útil e nobre finalidade seria se ele , sua família e os merdas do psdbosta aproveitassem e utilizassem todos com eles mesmos…
    A sociedade paulista e o país ficariam eternamente gratos! Único problema…onde enterrar tanto lixo tóxico…haja aterro!

    Responder
  4. Qual o sobrenome desse m…? Covas? ora..ora..ora..

    Responder
  5. Mais uma forma de Covidão.

    Responder

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Assine a nossa newsletter

Colunistas

Vacinação sem vacina

Falar em obrigar a população inteira a se vacinar — com uma vacina que não existe — significa o quê? Um negócio da China?

Supremas diferenças

Ao compararmos o STF à Suprema Corte dos Estados Unidos, o choque é violento

A coerção e o coronavírus

A necessidade de restrições ocasionais não deve abalar os fundamentos do verdadeiro liberalismo, sustentado no “inovismo” e no “adultismo”

Uma nova doença: o vício em desculpas

Poucas figuras públicas têm a força de caráter para se recusar a pedir desculpas aos identitaristas, que gostam de desempenhar o papel de vítimas permanentes

Você não pode perder

Ciência, que é bom, nada

Ciência, que é bom, nada

"Desde o começo da epidemia a discussão vem sendo assim: política em primeiro lugar", afirma J.R. Guzzo...

A VOZ DAS REDES

Uma seleção de tuítes que nos permitem um olhar instigante do mundo, ajudam a pensar e divertem o espírito

LEIA MAIS

Oeste Notícias

R$ 19,90 por mês