CPMI das fake news solicitou informações de operação da PF - Revista Oeste

Edição da semana

Em Em 27 maio 2020, 14:17

CPMI das fake news solicitou informações de operação da PF

27 maio 2020, 14:17

Nesta manhã, agentes cumpriram 29 mandados de busca e apreensão em uma investigação sobre informações falsas contra o STF

Lídice da Mata é relatora da CPMI das fake news| Foto: Moreira Mariz/Agência Senado

A relatora da Comissão Parlamentar Mista de Inquérito (CPMI) das fake news no Congresso, deputada Lídice da Mata (PSB-BA), solicitou ao Supremo Tribunal Federal (STF) as informações colhidas pela operação da Polícia Federal nesta quarta-feira, 27. Na ação, agentes cumpriram 29 mandados de busca e apreensão em uma investigação sobre informações falsas contra a Corte.

“As ações promovidas pela operação reafirmam o que já era conhecido pelos membros da CPMI através de depoimentos e documentos recebidos pela comissão: uma rede financiada por alguns empresários e com recursos públicos – integrada por vários políticos e agentes públicos – para disseminação de informações falsas no Brasil com o objetivo de manchar biografias, espalhar o caos e o medo e influenciar pleitos eleitorais”, afirmou a relatora a Oeste.

LEIA MAIS: Entenda o que está em jogo na investigação do STF

Segundo a deputada, as informações colhidas na operação de hoje da PF somadas aos dados já colhidos pela CPMI serão fundamentais para conduzir os próximos passos da investigação. “Teremos agora importantes novos elementos que nos ajudarão a desmontar essa rede de ódio”, completou.

Entenda

A Polícia Federal desencadeou nesta quarta, 27, uma operação contra 29 pessoas, entre elas empresários, militantes e parlamentares por supostas divulgações de fake news contra membros do Supremo Tribunal Federal. O presidente nacional do PTB, Roberto Jefferson, foi um dos alvos da ação. No mês passado, ele denunciou um suposto golpe contra o presidente Jair Bolsonaro arquitetado por Rodrigo Maia e deputados de oposição.

Além de Jefferson, o deputado estadual Douglas Garcia (PSL-SP), o empresário Luciano Hang, o humorista Rey Bianch e a ativista Sara Winter estão sendo investigados.

Na decisão que autorizou a operação, o ministro do STF Alexandre de Moraes indicou que provas e laudos periciais juntados aos autos da investigação apontam para a “real possibilidade de existência de uma associação criminosa, denominada ‘Gabinete do Ódio’ dedicada a disseminação de notícias falsas, ataques ofensivos a diversas pessoas, às autoridades e às Instituições, dentre elas o Supremo Tribunal Federal, com flagrante conteúdo de ódio, subversão da ordem e incentivo à quebra da normalidade institucional e democrática”.

 

 

 

 

TAGS

*O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais à equipe da publicação, a outro usuário ou a qualquer grupo ou indivíduo identificado. Caso isso ocorra, nos reservamos o direito de apagar o comentário para manter um ambiente respeitoso para a discussão.

2 Comentários

  1. CHEGA A SER UMA AFRONTA COLOCAR UM SENHORA DESSAS, QUE MAL SABE O QUE É UM CELULAR PRA SER RELATORA DE FAKE NEWS!! ? ? As “tias do Zap” são mais qualificadas!!
    Este é o Brasil que temos, mas NÃO É O BRASIL QUE QUEREMOS E LUTAREMOS PRA TER!!????

    Responder
  2. O gabinete do ódio sabemos bem onde fica, na Praça dos Três Poderes e vamos desmontá-lo em breve e quero ver sair de camburão estes 11 pilantras e esta comunista do PSB que disse que a disseminação de informações falsas no Brasil com o objetivo de manchar biografias, espalhar o caos e o medo e influenciar pleitos eleitorais. Quem faz isto sua babaca, são seus seguidores desta ideologia assassina. Sua hora também vai chegar.

    Responder

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Assine a nossa newsletter

Colunistas

O império dos sem-voto

Há cada vez mais pessoas que nunca receberam um único voto na vida, e não têm mandato nenhum, dizendo o que o cidadão deve ou não deve fazer

O mal de roupa nova

O Partido Democrata não esconde as intenções: quer mais coletivismo, menos autonomia dos Estados, maior controle exercido pelo Executivo central e intervenção na economia

A nova Torre de Babel

Ao contrário do mito bíblico, a torre atual está sendo edificada com base na confusão proposital das palavras por indivíduos desprovidos de inteligência e coragem

Segundo turno nupcial

“Ué, você tá torcendo pra mim?” / “Não sei. Estou indeciso”

A imprensa morre no escuro

A atividade que já foi chamada de “quarto poder” escorrega perigosamente para a irrelevância

O resgate de Tocqueville

O desprezo pelo cristianismo, tão comum em meios “progressistas”, representa um perigoso afastamento dos pilares norte-americanos

A coerção e o coronavírus

A necessidade de restrições ocasionais não deve abalar os fundamentos do verdadeiro liberalismo, sustentado no “inovismo” e no “adultismo”

Uma nova doença: o vício em desculpas

Poucas figuras públicas têm a força de caráter para se recusar a pedir desculpas aos identitaristas, que gostam de desempenhar o papel de vítimas permanentes

Você não pode perder

A VOZ DAS REDES

Uma seleção de tuítes que nos permitem um olhar instigante do mundo, ajudam a pensar e divertem o espírito

LEIA MAIS

Oeste Notícias

R$ 19,90 por mês