Deputado de SP quer cortar pela metade salários de deputados, secretários e do governador e vice - Revista Oeste

Edição da semana

Em 27 mar 2020, 12:32

Deputado de SP quer cortar pela metade salários de deputados, secretários e do governador e vice

27 mar 2020, 12:32

Projeto do parlamentar Tenente Coimbra (PSL) foi apresentado ontem, quinta-feira, 26, na Assembléia Legislativa de São Paulo

O deputado estadual tenente Coimbra (PSL)

O deputado estadual Tenente Coimbra (PSL) quer cortar 50% dos salários dos deputadores estaduais, dos secretários e do governador e seu vice enquanto estiver valendo o estado de emergência em razão da pandemia de coronavírus em São Paulo.

Coimbra protocolou um projeto com essa medida ontem, quinta-feira, 26, na Assembléia Legislativa de São Paulo (Alesp). Na justificativa do projeto divulgado pelo jornal O Estado de S. Paulo, o parlamentar afirma que: “Nessa toada, deverão ser tomados todos os esforços no sentido de adquirir recursos públicos, bem como a economicidade de verbas públicas, para que as mesmas sejam in totum canalizadas para a prevenção e ao combate ao coronavírus.”

A Alesp possui 94 deputados, cada um com salário de R$ 25,3 mil; os secretários do estado recebem R$ 20.743; o vice-governador, Rodrigo Garcia (DEM), R$ 21.896,27 e o governador de São Paulo, João Doria, recebe 23.048,59.

TAGS

*O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais à equipe da publicação, a outro usuário ou a qualquer grupo ou indivíduo identificado. Caso isso ocorra, nos reservamos o direito de apagar o comentário para manter um ambiente respeitoso para a discussão.

0 comentários

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Assine a nossa newsletter

Colunistas

Vacinação sem vacina

Falar em obrigar a população inteira a se vacinar — com uma vacina que não existe — significa o quê? Um negócio da China?

Alerta: pesquisas à vista!

Por que as sondagens eleitorais erram tanto, como isso distorce o processo democrático e o que se pode fazer

Supremas diferenças

Ao compararmos o STF à Suprema Corte dos Estados Unidos, o choque é violento

A coerção e o coronavírus

A necessidade de restrições ocasionais não deve abalar os fundamentos do verdadeiro liberalismo, sustentado no “inovismo” e no “adultismo”

Uma guerra civil nos EUA?

A mídia recusa-se a noticiar o que é evidente aos olhos de seus espectadores, e intelectuais argumentam que “saques e protestos violentos são vivenciados como eventos alegres e libertadores”

Você não pode perder

A VOZ DAS REDES

Uma seleção de tuítes que nos permitem um olhar instigante do mundo, ajudam a pensar e divertem o espírito

LEIA MAIS

Oeste Notícias

R$ 19,90 por mês