Dez fatos sobre a vacina candidata de Oxford - Revista Oeste

Edição da semana

Em Em 8 jun 2020, 20:30

Dez fatos sobre a vacina candidata de Oxford

8 jun 2020, 20:30

Eneida Parizotto-Lee e Wen Hwa-Lee, da Universidade de Oxford; e Margareth Dalcomo, da Fiocruz contaram o que já se sabe sobre a vacina mais avançada em desenvolvimento até agora

webinar - vacina - oxford

Especialistas discutiram vacina candidata de Oxford, que pode sair em setembro | Foto: Reprodução

Normalmente, um novo remédio ou vacina demora de dez a 15 anos para ser desenvolvido, custa em torno de US$ 2,6 bilhões e tem uma taxa de sucesso de apenas 2%. Com a chegada da pandemia de covid-19, porém, essa história teve de mudar: a rapidez e a facilidade na transmissão da doença levaram os cientistas a correrem para tentar desenvolver terapias e vacinas que ajudassem pacientes infectados com o vírus.

Atualmente, 747 terapias são estudadas no mundo, sendo cem delas vacinas. Destas, a mais avançada começa em breve seus testes em humanos e vem da Universidade de Oxford. Abaixo, listamos dez curiosidades sobre a ChAdOx1 nCov-19.

  • O nome da vacina é dividido por partes: Ch vem de Chipanzé, primeiro animal em que foi testada a substância. Ad de adenovírus, o vetor viral que “ataca” o vírus. Ox de Oxford, universidade criadora da vacina. 1, porque é a primeira tentativa. E nCov-19 porque é contra a covid-19.
  • Os testes atuais não são os primeiros: em 2012, a vacina, com outra denominação, foi testada para Síndrome Respiratória do Oriente Médio (MERS). Por isso o estudo pôde avançar tão rapidamente.
  • A vacina será dada em 30 mil pessoas nos Estados Unidos, 10 mil no Reino Unido e 2 mil no Brasil. Metade dos pacientes receberão a substância e metade, um placebo. Os pacientes serão profissionais de saúde acima de 56 anos e uma pequena parte, crianças entre 5 e 12 anos.
  • Na primeira fase, foi testada a segurança da vacina.
  • Na segunda fase, a eficácia em animais.
  • Na terceira, última e atual fase, a ideia é testar a efetividade em humanos, para saber, por exemplo, que efeitos colaterais o medicamento pode ter e por quanto tempo a imunização pode durar.
  • A ChAdOx1 nCov-19 não deve impedir o coronavírus, mas sim sua forma mais grave, aquela que causa pneumonia e leva a graves complicações respiratórias.
  • Não é possível ter certeza de quando a terceira fase termina, mas os primeiros resultados devem começar a ser analisados pela universidade em setembro.
  •  A produção da vacina no Brasil depende de acordos comerciais para a transferência de tecnologia para alguma instituição do país. Segundo a pneumologista Margareth Dalcomo, tanto a Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), quanto o Instituto Butantan estão aptos a receberem a produção, bastando que governo, empresas e a Universidade de Oxford cheguem a um consenso. A AztraZeneca já tem acordo para produção da vacina para os Estados Unidos e o Reino Unido e a Serum deve produzir 1 bilhão de doses para a Índia.

TAGS

*O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais à equipe da publicação, a outro usuário ou a qualquer grupo ou indivíduo identificado. Caso isso ocorra, nos reservamos o direito de apagar o comentário para manter um ambiente respeitoso para a discussão.

0 comentários

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Assine a nossa newsletter

Colunistas

Um caso de amor com a tirania

Na França, é cada vez mais evidente o namoro com o autoritarismo sob o disfarce da racionalidade, da competência administrativa, do bem comum, da justiça social

A obsessão da imprensa por Donald Trump

Com o único propósito de ser anti-Trump, a mídia não saberá o que fazer se não puder culpar o bufão laranja por todo o mal que eventualmente venha a acontecer

O Guevara da Daslu

Faça como Doria. Pare diante do espelho, fale meia dúzia de clichês do humanismo de butique e note que você também tem um corpinho de centro-esquerda

A China e a fábula dos pardais

Enquanto o discurso ambientalista foca a Amazônia e as mudanças climáticas, a China segue com suas práticas predatórias e não assume responsabilidades

O gênio e o mito

Maradona não deveria ser uma referência moral para ninguém. Mas é um equívoco não homenageá-lo por seu futebol-arte

A coerção e o coronavírus

A necessidade de restrições ocasionais não deve abalar os fundamentos do verdadeiro liberalismo, sustentado no “inovismo” e no “adultismo”

Uma nova doença: o vício em desculpas

Poucas figuras públicas têm a força de caráter para se recusar a pedir desculpas aos identitaristas, que gostam de desempenhar o papel de vítimas permanentes

Você não pode perder

É o “mecanismo”

É o “mecanismo”

A 3ª maior doadora da campanha paulistana do PSOL é uma herdeira da empreiteira de obras públicas Andrade Gutierrez...

A VOZ DAS REDES

Uma seleção de tuítes que nos permitem um olhar instigante do mundo, ajudam a pensar e divertem o espírito

LEIA MAIS

Oeste Notícias

R$ 19,90 por mês