Dinheiro na cueca: filho de Rodrigues vai assumir vaga no Senado

Edição da semana

Em Em 20 out 2020, 13:44

Dinheiro na cueca: filho de Rodrigues vai assumir vaga no Senado

20 out 2020, 13:44

Senador Chico Rodrigues (DEM-RR) pediu afastamento do cargo por 121 dias após ser flagrado com mais de R$ 30 mil escondidos na cueca

senador

Senador foi alvo de operação da Polícia Federal na semana passada | Foto: Marcos Oliveira/Agência Senado

O senador Chico Rodrigues (DEM-RR), que foi flagrado pela Polícia Federal com dinheiro na cueca, alterou o seu pedido de afastamento para 121 dias. Mais cedo, o democrata havia enviado um pedido para que ficasse fora do cargo por 90 dias.

Com o afastamento, o senador fica sem remuneração. Desta forma, o primeiro-suplente Pedro Arthur Rodrigues (DEM-RR), filho do senador, poderá assumir o cargo.

A licença foi uma solução costurada com diversos aliados para evitar a cassação. Logo após a operação da PF, o ministro Luís Roberto Barroso do Supremo Tribunal Federal (STF) determinou que Rodrigues fosse afastado do cargo. No entanto, a decisão final caberia ao Senado, e uma votação poderia desgastar os demais parlamentares.

Rodrigues é suspeito de participar de um esquema de desvio de recursos destinados ao combate à covid-19. Em sua residência, a PF apreendeu cerca de R$ 33 mil, sendo que pouco mais de R$ 17 mil estavam escondidos na cueca do senador.

Em nota divulgada na segunda, 19, a defesa de Rodrigues afirmou que o dinheiro encontrado nas vestes íntimas se destinava “ao pagamento dos funcionários de empresa da família do senador”. Segundo os advogados Ticiano Figueiredo, Pedro Ivo Velloso e Yasmin Handar, o ex-vice-líder “está sendo linchado por ter guardado seu próprio dinheiro”.

TAGS

*O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais à equipe da publicação, a outro usuário ou a qualquer grupo ou indivíduo identificado. Caso isso ocorra, nos reservamos o direito de apagar o comentário para manter um ambiente respeitoso para a discussão.

4 Comentários

  1. O Senador deveria ser cassado, e o advogado que o defende, com uma declaração cínica desta, deveria ter seus direitos suspensos. Ambos são amorais.

    Responder
  2. Para assumir o cargo precisa examinar pra ver se tem dinheiro na bunda ou se a bunda está vazia. Se houvesse dignidade o filho não aceitaria esse cargo esvaziado nessas circunstâncias.

    Responder
  3. Filho de bundão, ladrão também deve ser.
    Como a esquerda adora maltratar o termo família, vai eu mudando de lado.
    Agora sou canhoto.

    Responder
  4. Com este afastamento de mais de 120 dias, seu filho já poderá se aposentar com todas as regalias de ter sido Senador. É pilantra demais até na hora de ser pilantra.

    Responder

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Assine a nossa newsletter

Colunistas

O império dos sem-voto

Há cada vez mais pessoas que nunca receberam um único voto na vida, e não têm mandato nenhum, dizendo o que o cidadão deve ou não deve fazer

O mal de roupa nova

O Partido Democrata não esconde as intenções: quer mais coletivismo, menos autonomia dos Estados, maior controle exercido pelo Executivo central e intervenção na economia

A nova Torre de Babel

Ao contrário do mito bíblico, a torre atual está sendo edificada com base na confusão proposital das palavras por indivíduos desprovidos de inteligência e coragem

Segundo turno nupcial

“Ué, você tá torcendo pra mim?” / “Não sei. Estou indeciso”

A imprensa morre no escuro

A atividade que já foi chamada de “quarto poder” escorrega perigosamente para a irrelevância

O resgate de Tocqueville

O desprezo pelo cristianismo, tão comum em meios “progressistas”, representa um perigoso afastamento dos pilares norte-americanos

A coerção e o coronavírus

A necessidade de restrições ocasionais não deve abalar os fundamentos do verdadeiro liberalismo, sustentado no “inovismo” e no “adultismo”

Uma nova doença: o vício em desculpas

Poucas figuras públicas têm a força de caráter para se recusar a pedir desculpas aos identitaristas, que gostam de desempenhar o papel de vítimas permanentes

Você não pode perder

A VOZ DAS REDES

Uma seleção de tuítes que nos permitem um olhar instigante do mundo, ajudam a pensar e divertem o espírito

LEIA MAIS

Oeste Notícias

R$ 19,90 por mês